DiscoverÉ nóia minha?
É nóia minha?
Claim Ownership

É nóia minha?

Author: enoiaminha

Subscribed: 89,916Played: 481,585
Share

Description

No Podcast “É nóia minha?” a roteirista, escritora e paranoica de plantão Camila Fremder divide com seus convidados - que muitas vezes acabam sendo tão noiados quanto ela - todas as maluquices que passam pela sua cabeça. Então, se você é do tipo que perde o sono com pensamentos absurdos, esse podcast com certeza é feito para você. Ou não, né? Vai que você fica ainda mais noiado... Sei lá.
34 Episodes
Reverse
Todo mundo já passou por muitas fases, e fez parte de várias tribos durante a vida, mas tem gente que escolhe a sua tribo e fica. É o caso da minha convidada Roberta Martinelli. Já meu outro convidado, Jorge Wakabara, não é assim tão fiel à sua tribo. E você, sabe qual é a sua? Porque eu ainda tô pensando...
Roubadas da Black Friday

Roubadas da Black Friday

2019-11-2900:45:367

Chegou o final de novembro e com ele só alegria. Afinal, tem Black Friday! Várias promo, tudo o que a gente sempre sonhou na maior pechincha! E noix tá como?Sem um realzinho no bolso para contar história. Afinal, não podemos esquecer que é final de mês, né minha gente?Ficou na bad, foi? Não precisa mais ficar!Porque é só hoje, é só agora! O gerente tá maluco! Vamos liberar um episódio extra do podcast hoje! E para me acompanhar nessa Black Fraude, eu chamei a maravilhosa Francesca Monfrinatti e o maravilhoso Thiago Pasqualotto, que vão dividir as melhores e piores histórias deles nessa data tão importante para o capitalismo, risos.Ouve aí, vai!som by @bárrickelo
Quem já viveu um amor impossível? Tenho certeza que todo mundo, já que meu conceito de amor impossível inclui ficar apaixonada por um ator internacional que nem sabe que eu existo. Mas fora isso, vários outros fatores tornam um amor impossível. Por isso, chamei Julia Faria e Nando Ricca para me contarem suas histórias de amor. Dá um play apaixonado aí!
Batalha de nóias

Batalha de nóias

2019-11-2001:02:0016

Após uma vasta pesquisa entre as pessoas que eu conheço, selecionei minhas duas amigas mais noiadas, a escritora Tati Bernardi e a atriz e comunicadora Hel Ramos, para um embate com ninguém menos que Laurinha Lero. Nessa batalha de nóias passamos por diversos assuntos e não chegamos a um resultado final. Por isso, contamos com você para decidir quem é a grande mestre das nóias. Play já!
Como sair da zona de conforto?

Como sair da zona de conforto?

2019-11-1300:53:3817

Quem aqui nunca se pegou pensando em mudar completamente de vida? Pensar é fácil, mas na hora de agir será que você não acaba escolhendo a zona de conforto? Pra debater sobre esse tema convidei a comunicadora Babi Thomaz e a modelo e influencer Carla Ortiz. Vai lá ouvir pra ver se você faz a linha aventureiro que se joga ou se tá de boa aí na sua...
Como anda a sua autoestima?

Como anda a sua autoestima?

2019-11-0700:53:1815

Nessa era de redes sociais onde todo mundo se expõe e se compara com os outros o tempo inteiro, às vezes é bom parar, respirar e fazer alguma coisa só pra gente. Será que estamos só vivendo no automático e esquecendo que merecemos um pouco de elogios e carinhos de nós mesmos? Pra falar sobre isso convidei a maquiadora, cabeleireira e modelo Welida Souza e o youtuber e comunicador Maicon Santini. Dá o play aí!
O medo do flop é real?

O medo do flop é real?

2019-10-3100:56:469

Quem nunca postou uma foto e viu que 30 minutos depois ela tinha um total de duas curtidas e foi lá e apagou? Ou postou a sua arte nas redes e ninguém se quer mandou um: nossa, que tudo! Pois é, minha gente, essas coisas deixam a gente tão noiada, que eu já tô aqui pensando quantas pessoas vão ouvir esse podcast, sabe…Mas para me ajudar a saber mais desses cases aí, eu chamei a influencer e DJ Jude Paulla e a CEO & diretora criativa da Obvious Agency, Marcela Ceribelli, que sabem tudo do medo do flop.
Quão misterioso você é?

Quão misterioso você é?

2019-10-2400:57:5412

Você já parou para pensar que nos dias de hoje é praticamente impossível ser anônimo? Eu mesma fiquei pensando aqui e não conheço nenhuma pessoa que não tenha redes sociais! Resolvi falar sobre esse tema e chamei a Bruna, do perfil @estarmorta, e o Leo, do Twitter @ocriador e Instagram @sacdivino, que já viveram anonimato e fama na internet e acabaram revelando suas identidades. Dá o play aí!
Imagina se a vida fosse assim, uma proporção perfeita: você trabalha, recebe seu dinheiro, paga os boletos certinhos e ainda consegue guardar e viajar? Pois é, mas essa conta muitas vezes não fecha, né? Se identificou? Então bora, porque chamei para nos acompanhar nessa matemática muito louca a Carol Sandler, do canal Finanças Femininas, e a Janaina Ayres, empresária e dona da marca Tangerina Moon. Será que até o final do podcast rende um dinheirinho na conta? Ah, sei lá, ouve aí!
Eu odeio burocracia

Eu odeio burocracia

2019-10-1000:56:4012

Assombração, monstro, palhaço assassino? Esquece: o que tira mesmo o sono da gente é imposto de renda, formulário, nota fiscal. Quem aí não odeia papelada e burocracia? Para discutir esse tema convidei o publicitário Hilário Júnior, que também sofre desse mal, e a advogada Fernanda, do canal Me Conta Direito, para ajudar a gente a traduzir burocratês. Assina três vias, dá um pulo no cartório e ouve aí!
Nos dias de hoje, quem é que ainda não se deu conta de que todas as nossas escolhas têm impacto pro planeta? Ser mais consciente e sustentável é preciso. Consumir mais alimentos de produtores locais, separar o lixo, conhecer as marcas que compramos... E é para nos ajudar com essas questões que eu trouxe a Mari Sciotti, dona do restaurante vegano/vegetariano Quincho, e o Rafael Pastor, da City Farm, que vai nos contar sobre a tendência de fazendas urbanas. Já ouviu falar?
Você também é aquela pessoa da turma que SEM-PRE, mas, assim, toda vez fala para algum amigo que você tem um primo, ou um amigo do seu namorado, que ele PRE-CI-SA CONHECER? Porque eles tem TU-DO a ver? É o famoso cupidão da galera, sabe? Pois é, nos dias de hoje isso é o famoso shipar, e nada como sair shipando a galera por aí. Por isso recebo hoje as shipadas Manu Gavassi e Thais Farage, ou devo chamar de #thanu, ou #farassi? Ah, sei lá, ouve aí para a gente entender essa shipação toda.
Você também sente que as 24 horas do dia não são suficientes para tudo o que temos para fazer? É casa, trabalho, rolê, trabalho de novo, amigos (no meu caso, filho) e aí ligam oferendo um jobzinho a mais, e por que não, né?Afinal, tá tranquilo... Só que não. Se você é como a chef Renata Vanzetto, a jornalista e roteirista Carol Pires e eu, ouve aí esse podcast. E enquanto ouve, vê se não perde tempo, hein! Aproveita para responder aquele e-mail do trabalho, lavar uma louça, bater uma máquina... Vai, vai, que o tempo tá passando e surgiu mais um freela!
Todos os dias em que olhamos nossos celulares, só para dar aquela relaxadinha gostosa no busão, ou em casa, automaticamente você é levado a abas com milhares de informações sobre tudo que tá rolando do lado de fora. Se a gente já fica assim, imagina quem trabalha com essas notícias?Por isso convidei a jornalista Manu Barem e a apresentadora do podcast diário Café da Manhã, da Folha de S. Paulo, Magê Flores, para me ajudar a entender e ficar menos noiada sobre isso, ou não, sei lá. Péra, subiu uma notificação aqui.Bom, dá o play aí, gente
Você é do tipo que fica pensando no que as pessoas faziam há 200 mil anos atrás? Você também tem medo que todos os legados que os povos antigos deixaram acabem se perdendo e sumindo com o tempo? Eu sou uma apaixonada pela astrologia. Para mim, esse é um dos legados mais interessantes que os nossos antepassados nos deixaram. Por isso, convidei a astróloga Madama Bruna e o ator, estudioso e palestrante sobre Grécia antiga Rodrigo Lopéz para viajarem no tempo comigo. Vem conferir esse papo astrológico e ancestral!som by bárrickelo
Quem também carregou alguns medos da infância, que por sua vez se juntaram aos medos da vida adulta, e no final das contas você é uma pessoa que tem pavor da loira do banheiro e de não conseguir pagar a fatura do cartão? Essa sou eu e uma das minhas convidadas, a roteirista Jéssica Reis. O diferentão do papo é o escritor best-seller de livros de terror, André Vianco, que nos deixou com mais medos ainda. Mas como sou teimosa tô lendo os livros dele e dormindo de luz acesa. Dá play aí nesse episódio aterrorizante
Peneirinha da amizade

Peneirinha da amizade

2019-08-2100:51:5534

Se você nunca ouviu o termo "peneirinha da amizade", não se assuste: eu inventei essa expressão com uma amiga que, aliás, sobreviveu a uma peneirada. Os amigos que ficam depois de uma peneirada são amigos de verdade, e, logo em seguida, sempre chegam novos amigos que em alguns anos serão excluídos, ou não, por uma nova peneirada. E assim por diante. Pra falar sobre essa nóia fascinante, eu convidei a minha amiga que mais pega bode dos amigos, a escritora e roteirista Tati Bernardi. E também uma outra amiga, de Twitter, Samyra Torquilho, que virou daquelas que a gente fala to dos os dia por áudios eternos no Whatsapp. Vem gente, amizade rendeu um podcast maravilhoso!
Essa nóia eu tenho certeza que não é só minha! Gente, o que estamos fazendo com o nosso planeta? A cada nova notícia sobre a Amazônia, o plástico, as indústrias poluentes, eu fico mais angustiada. Por isso, chamei duas mulheres que vivem essa mesma preocupação, e mudaram totalmente seu estilo de vida em prol do meio ambiente. A consultora de moda sustentável Giovanna Nader e a jornalista focada em slow beauty, Marcela Rodrigues. Dá o play e tome nota das muitas dicas!  by Jose Bárrickelo
Toda mãe se sente cobrada a ser uma mãe perfeita, mas o que é afinal uma mãe perfeita? Se fomos listar todos os itens que supostamente definem o que é uma boa mãe, já dá pra perceber que essa lista é, além de cruel, impossível de ser cumprida. Convidei minha amiga e designer Monica Benini e a empresária Bia Mendes, da marca Agora sou mãe, para dividirem as noias e pressões que toda mãe sente diariamente. Falamos bastante sobre amamentação, passando por sono, julgamento e puerpério. Dá o play!
Ajuda o povo de humanas?

Ajuda o povo de humanas?

2019-08-0101:22:3218

É noia minha ou o povo de humanas só conhece e anda com o povo de humanas? Convidei o cientista Altay de Lima e a programadora Roberta Arcoverde pra um papo onde, além de debatermos o porquê das turmas não se misturarem tanto, também acabei tirando umas dúvidas pessoais. Porque, né, ninguém é de ferro. E se você é de biológicas falamos também, então não se sinta excluído, ok? Tem polêmica, opiniões diferentes, teorias conspiratórias. Dá o play logo!
loading
Comments (141)

Bete Novaes

Estou amando este podcast! Descobri ele há mais ou menos uma semana e já estou maratonando pra alcançar os episódios recentes. Não te conhecia Camila e já estou te admirando muito! Suas nóias são parecidas com algumas das que tenho e já me esclarecem de outras que poderiam ser! Kkkk Este episódio me fez pensar em muuuuita coisa, tanto que escutei ele duas vezes hj. Sou uma bibliotecária que quer ser professora universitária e que estuda linguística pra esta mudança (sou formada em Letras também) e estudo astrologia por conta nas poucas horas vagas. Gostei muito da fala do Guilherme e da Ana também! Ainda bem que podemos ser quem quisermos nesta vida! Obrigada por este podcast incrível! Sucesso sempre!

Dec 9th
Reply

Ed Alk

Tenho nomofobia, vício em internet e celular. Anos e anos viciado em facebook, joguinhos, Instagram, Youtube, pornografia, tinder, internet em geral. Ate notícias era viciante! Isso destruiu a minha auto estima. Super ansioso e frustrado com a vida, sua cabeça não descansa, o dia inteiro bombardeado por informação e eu sentido uma necessidade de participar daquilo, da rede, dos comentários de internet, e se ficar, abstinência! A caixa de texto me seduz até hoje: “quero e preciso opinar sobre tudo, preciso dar minha opinião!” Fiquei assim por uns 8 anos, desde que ganhei meu computador e meu celular. Serio: quase entrei em depressão. E tudo isso gerou meu maior defeito: procrastinação crônica. Tenho tantos planos, mas nao executo nenhum! Desesperei quando vi que todo esse panorama me fez atrasar a entrega meu tcc. Foi a gota d’agua. A muito tempo tenho tentado mudar esse vício em internet. Mas por causa desse atraso no Tcc por literalmente ficar o dia todo no YouTube, fui ao extremo: bloqueei tudo! No celular, coloquei senha nos apps que sou viciado e que distraem (youtube, appstore, insta etf), e deixei os essenciais que nao distraem para mim (uber, calculadora, whats). A senha nao sei, quem pos foi minha irmã, e como ela não mora comigo, não tem como ficar pedido a senha. No PC, baixei um programa chamado Cold Turkey: ele bloqueia uma lista de sites e nao tem jeito de desinstalar nem voltar atras! É perfeito! Você escolhe quanto tempo dura o bloqueio, e eu bloqueio todos dias uteis. Resultado: MINHA VIDA TÁ MUDANDO DA AGUA PARA O VINHO! auto estima melhor, sono melhorou, todo dia sinto que estou produtivo, tenho ate comido melhor e projetos e tarefas que tenho adiado a tempos, tenho feito um atras do outro! Nem acumulo mais louça na pia kkkkk serio: vi que vício na internet destroi sua vida! Devia ter feito isso bem antes!!! Agora, tenho que tomar cuidado: tenho passado mais tempo na TV, no YouTube na smart. Mas como la nao tem comentarios, sinto que apenas assisto o video, e é menos viciante e estressante do que ficar brigando na internet coisas idiotas. Como viram, gosto de escrever kkk mas em semanas, essa é a primeira vez que escrevo na Internet. No celular, das 18h as 19h, pus um “cota de vicio”: meu iphone libera para usar os apps viciantes e ai posso entrar no insta ou YouTube e usar uma hora (a função chama Tempo de Uso, e o Iphone ja esta ate tirando dos novos iPhones, imagino para que as pessoas não diminuam o uso dos aparelhos). Nessa cota que pus de 1 hora, ja percebo que nao consigo mais ficar 1 min no insta! Que ambiente toxico kkkkkkk no YouTube, ja ate ignoro os comentarios dos meus comentários. O tinder ficou chato! Percebi que uma balada é muito mais legal oras! Tenho me exercitado , lido mais, tenho voltado q aprender inglês, me cuidado mais (eu procrastinava até para cortar a unha!). Hoje, por exemplo, fiz algo que não faço a muito tempo: acordei cedo e fui tomar um sol e pensar na vida! To fazendo ate uma horta! Detalhe, não tem nem 2 semanas que comecei a bloquear! Ou seja, vida nova! Nunca mais quero essa senha 😅 Aconselho a todos! ;)

Nov 27th
Reply

Ed Alk

Tenho nomofobia, vício em internet e celular. Anos e anos viciado em facebook, joguinhos, Instagram, Youtube, tinder.

Nov 27th
Reply

Larissa Costa

Conheci agora e já amei

Nov 23rd
Reply

Lara Kenny

que episódio maravilhoso

Nov 22nd
Reply

Clarice Menezes

Também passei muito leite no cabelo pra ficar loira como paquita. E as meninas dentro do padrão paquita que conhecia queriam ser a Xuxa, isso diz da autoestima TB.

Nov 18th
Reply

Renan Oliveira

🤔

Nov 16th
Reply

Jenny Santos

nossa, tudo o que eu precisava ouvir era um podcast desse. Gratidão. Nem ouvi ainda, mas só pelo tema é super eu. Preciso mudar mas é complicado

Nov 14th
Reply

geiza rodrigues

esse não deu pra ouvir, quando a fofa fala que tinha responsabilidades com 18 anos... wos

Nov 14th
Reply

Luís Ricardo Benhossi

Escorpião. Foi o único que ela não falou.

Nov 14th
Reply

Rosah

só lacração ❌

Nov 11th
Reply

Renata Kosminsky

podcast sensacional!!!!! interessante do início ao fim!!!

Nov 8th
Reply

Rosah

😵😵😵😵😵😵😵

Nov 8th
Reply

Marcos Teixeira

Que papo delicioso com pessoas muito agradáveis. Adorei a conversa. Dá até vontade de conhecer todos vocês e sentar pra conversar por horas. Muita sensibilidade. Parabéns e obrigado.

Nov 7th
Reply

Lola Cristina

Eu sou a Carol que não quer perder nada, mas o meu lado Camila tbm existe, de nao querer ver todo mundo. Existe MT cobrança dentro de mim hahahahaha

Nov 4th
Reply

Erica Viera

Amei o podcast! Eu me vejo como uma mistura das duas, da Camila e da Carol. Tem hrs que não quero interagir socialmente, fico de saco cheio, já, outras, quero curtir tudo, ficar até o último minuto. Aproveitar tudo que der. E sobre a questão de controlar, super eu kkkk Amei a parte dos relacionamentos. Realmente, esse negócio de metade da laranja não existe. Amei a frase: "Se relacionar e se frustar.". Sobre essa questão do Japão, é bem complicado isso que tá ocorrendo lá. Vejo que não está rolando só lá, porém, em menor grandeza que lá. Amei o fato também de aceitar e respeitar as diferenças. Tenho diversos amigos diferentes e amo isso. Gosto muito de fazer amizades por ver as formas como as pessoas são diferentes e como pensam sobre os mesmos assuntos que eu.

Nov 4th
Reply

Ricardo Almeida

amei

Oct 31st
Reply

Rosah

Muito bom 😂

Oct 29th
Reply

Rosah

Me diverti horrores

Oct 25th
Reply (1)

Andre Luiz

Excelente meninas! Parabéns

Oct 24th
Reply
loading
Download from Google Play
Download from App Store