DiscoverConversas #nuncamais
Conversas #nuncamais
Claim Ownership

Conversas #nuncamais

Author: Academia Cidadã

Subscribed: 5Played: 13
Share

Description

Todos os meses lançaremos uma nova pergunta, baseada num preconceito, estereótipo ou bode expiatório veiculado pelos movimentos neofascistas, para desmontar discursos discriminatórios, xenófobos e simplistas.
5 Episodes
Reverse
Convidada: Carmo Gê Pereira (educadora sexual para adultos, ativista feminista e LGBTQIA+) Moderação: Joana Amaral Grilo (Com Calma – Espaço Cultural) Feminismo é o contrário de machismo. As feministas andam de tronco nu e  nunca se depilam. As feministas odeiam crianças e não querem ter  família. As feministas são mulheres mal amadas, que nunca conseguiram  conquistar um homem. As feministas são lésbicas. As feministas odeiam os  homens. O feminismo, ao defender o empoderamento feminino e a libertação dos  poderes patriarcais, bem como a defesa dos direitos das mulheres e dos  seus interesses, incomoda muita gente. De facto, este movimento de  carácter político, social, ideológico e filosófico, coloca em causa  pilares muito antigos, estruturantes da nossa sociedade. Disso mesmo  resulta que, no discurso mainstream, frequentemente se distorça o real  significado da luta feminista e que ela seja muitas vezes definida de  forma enviesada ou mesmo deturpada, seja por desconhecimento ou  desinformação, seja intencionalmente, com o objetivo de descredibilizar o  movimento. Para debater estes aspectos, convidamos a Carmo Gê Pereira, ativista  feminista e LGBTQIA+, e educadora sexual para adultos, numa conversa  moderada pela Joana Amaral Grilo (ativista feminista, Com Calma – Espaço  Cultural). Vens conversar connosco? NOTA: Atendendo às recomendações de distanciamento social decorrentes da pandemia COVID-19, esta Conversa #nuncamais, inicialmente prevista para 17 de março de 2020, foi adiada para 21 de abril e realizou-se exclusivamente online. Para o efeito, tivemos de adquirir uma conta profissional de Zoom, cujo custo foi de 86€. Se podes, contribui com um donativo para ajudar a cobrir este gasto, em https://academiacidada.org/contribuir. Obrigada!
“A colonização portuguesa foi a mais fofinha de todas porque os  portugueses são o único povo do mundo que não é racista.” Podia ser este  o resumo simplista do lusotropicalismo, uma teoria política que o  regime salazarista utilizou para justificar na comunidade internacional a  manutenção das colónias até 1974. Esta propaganda ganhou raízes e está  hoje bem presente numa sociedade que recusa assumir os erros do seu  passado, inviabilizando uma reparação histórica que permita identificar  no presente as influências de um sistema de subjugação racista que  mantém estruturas económicas e sociais discriminatórias. Já vários  debates foram organizados onde pessoas de etnias minoritárias explicam  como são discriminadas diariamente (e estruturalmente). Faltava a  conversa onde pessoas da etnia maioritária refletem sobre o que estamos  (ou não) a fazer para combater o racismo de que somos motor. Este é o mote mas a conversa é aberta a toda a gente, por isso, convidámos André Amálio para debater e Mamadou Ba (SOS Racismo) para moderar. Vens conversar connosco? Esta conversa aconteceu a 18 de fevereiro de 2020, no Com Calma – Espaço Cultural (Lisboa) Ouve aqui, no Spotify ou na tua plataforma de podcasts, a conversa que teve lugar a 21 de janeiro de 2020 no Com Calma – Espaço Cultural. Vídeo apresentado antes do início da conversa - excerto do epísódio sobre Racismo do programa "E Se Fosse Consigo", da SIC Vídeo apresentado durante a conversa - excerto de vídeo do youtuber T7agox "Racismo em Portugal?" -- Apoia a Academia Cidadã através do Patreon, Paypal ou por Transferência bancária em academiacidada.org/contribuir
A eleição de governos que negam a existência do aquecimento global e  negam que a ação humana seja o principal factor que contribui para as  alterações climáticas alimenta a desinformação sobre este tema. A  ascenção de partidos neofascistas, a consolidação de governos  conservadores que continuam a querer fazer o business as usual e a  ignorar a crise climática é preocupante. Em 2018 tivemos uma conferência  de negacionistas em Portugal e na opinião pública não se fala em crise  climática, deixando em aberto a dúvida na mente dos cidadãos. Na  Academia Cidadã não temos dúvidas quanto a isto mas queremos  desmistificar alguns mitos e para isso convidamos o Luís Fazendeiro, do  Climáximo, para nos ajudar a fazê-lo. A moderação é do João Costa, da Academia Cidadã e da Campanha Linha Vermelha Vens conversar connosco? Apoia a Academia Cidadã através do Patreon, Paypal ou por Transferência bancária em academiacidada.org/contribuir
Convidado: Miguel Duarte (HuBB – Humans Before Borders) Moderação: João Labrincha (Academia Cidadã) Segundo a OCDE,  a afluência de refugiados à Europa terá um impacto quase nulo na  demografia e na economia do continente. E, tratando-se maioritariamente  de pessoas em idade ativa, chegando a países com populações  envelhecidas, a tendência será para que esse impacto seja positivo. No entanto, o medo da convivência com uma cultura desconhecida, enfatizado pela divulgação de notícias falsas sobre violações que nunca aconteceram ou a generalização abusiva de que todos os muçulmanos são radicais e  chegam aos nossos países com segundas intenções terroristas, alimentada  pela comunicação social que repete à exaustão termos como “crise” ou  “invasão”, resultam numa opinião pública que respalda decisões políticas  violadoras da Convenção de Genebra, transformando o Mar Mediterrâneo  numa gigante vala comum. No Dia Internacional dos Direitos Humanos,  convidamos Miguel Duarte, que enfrenta uma acusação de auxílio à  imigração ilegal por resgatar pessoas da morte por afogamento no Mar  Mediterrâneo. --- Na terceira terça-feira de cada mês (exceto em dezembro, que foi no dia 10), às 21h30, no Com Calma – Espaço Cultural (Benfica), lançaremos uma nova pergunta provocatória, baseada num  preconceito, estereótipo ou bode expiatório veiculado pelos movimentos neofascistas. Junta-te a nós e vem refletir, discutir e encontrar  estratégias para desmontar discursos discriminatórios, xenófobos e  simplistas. Fascismo #nuncamais (25 de abril sempre)! Este é o  mote da campanha da Academia Cidadã para valorizar e fortalecer a democracia, identificando, desconstruindo e eliminando práticas  anti-democráticas. “Conversas #nuncamais”  são a primeira de muitas atividades da “Campanha #nuncamais”, pensada  para combater o crescimento da extrema-direita em Portugal. Conhece a programação completa aqui. Apoia a Academia Cidadã através do Patreon, Paypal ou por Transferência bancária em academiacidada.org/contribuir
Convidado: António Góri (Habita! – Associação pelo direito à habitação e à cidade) Moderação: Leonor Duarte (Morar em Lisboa / Academia Cidadã) Os preços da habitação não páram de crescer em Portugal e em toda a  Europa. As casas já não são para habitar mas para realizar investimentos  financeiros. Muitas pessoas não atribuem a responsabilidade da situação   aos governos e aos grupos económicos. Perante a perda, a escassez e a  impossibilidade de encontrar uma habitação a preço acessível viram-se  contra grupos sociais minoritários que julgam privilegiados ou  consideram que a crise é fruto da corrupção generalizada. A precariedade  na habitação é uma bomba relógio que favorece os objectivos da  extrema-direita: desacreditar o sistema democrático e colocar os pobres  contra os pobres. A Iniciativa de Cidadania Europeia “Habitação para  Toda a Gente” considera a crise da habitação uma bomba-relógio que  ameaça a nossa Democracia. É  preciso obrigar os governantes nacionais e  europeus  a ouvir-nos antes que seja tarde. --- Na terceira terça-feira de cada mês, às 21h30, no Com Calma – Espaço Cultural (Benfica), lançaremos uma nova pergunta provocatória, baseada num preconceito, estereótipo ou bode expiatório veiculado pelos movimentos neofascistas. Junta-te a nós e vem refletir, discutir e encontrar estratégias para desmontar discursos discriminatórios, xenófobos e simplistas. Fascismo #nuncamais (25 de abril sempre)! Este é o mote da campanha da Academia Cidadã para valorizar e fortalecer a democracia, identificando, desconstruindo e eliminando práticas   anti-democráticas. “Conversas #nuncamais” são a primeira de muitas atividades da “Campanha #nuncamais”, pensada para combater o crescimento da extrema-direita em  Portugal. Programação completa das Conversas #nuncamais (25 de abril sempre)! Apoia a Academia Cidadã através do Patreon, Paypal ou por Transferência bancária em academiacidada.org/contribuir
Comments 
Download from Google Play
Download from App Store