DiscoverFora da Política Não há Salvação
Fora da Política Não há Salvação

Fora da Política Não há Salvação

Author: Cláudio Couto

Subscribed: 297Played: 19,101
Share

Description

Este é o podcast do canal do Youtube #ForadaPolíticaNãoháSalvação, produzido pelo cientista político Cláudio Couto. Os programas do YouTube estão disponíveis aqui na versão de áudio.
Um podcast voltado à discussão da conjuntura política, em especial a brasileira, com base no conhecimento acadêmico produzido sobre a política, as políticas públicas e o direito público.
Novos episódios disponíveis aos sábados de manhã.

Conheça nosso blog no site da CartaCapital. https://www.cartacapital.com.br/blogs/fora-da-politica/

#AnálisePolítica #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira #CiênciaPolítica
187 Episodes
Reverse
Dentre as várias áreas de políticas públicas destroçadas durante o governo Bolsonaro, figuram de forma destacada as políticas indigenista e ambiental. Uma das facetas desse processo de destruição é o desmonte das políticas sanitárias para as populações originárias. Outra é o estímulo à invasão de terras indígenas por garimpeiros. As consequências são as piores possíveis para os indígenas e para o meio ambiente nas terras por eles habitadas. Isso ficou claro com a situação trágica vivida pelos Yanomami em Roraima. Alastramento da malária, intoxicação por mercúrio, falta de alimentos, falta de medicamentos e de assistência à saúde produziram centenas de mortos, doentes e desnutridos. Um verdadeiro holocausto. Não se trata, contudo, de algo acidental. A dizimação da população Yanomami é uma política intencional do bolsonarismo e dos militares que integraram seu governo. Isso está expresso em declarações, doutrina e ações. Como compreender tal contexto? Quais os fundamentos dessa política mortífera? Qual a importância do garimpo em Roraima e na Amazônia de forma geral? Para compreender tais pontos, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe dois convidados. Um é Estevão Senra, geógrafo, doutor em desenvolvimento sustentável pela UnB, pesquisador do Instituto Socioambiental (ISA). O outro é Rodrigo Chagas, sociólogo, professor da Universidade Federal de Roraima onde é docente do Programa de Pós-Graduação Sociedade e Fronteiras (PPGSOF). As músicas deste episódio são "A Ghost Town", de Quincas Moreira, e "Dark Alley Deals", de Aaron Kenny. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação e também a todas e todos que apoiaram por meio do botãozinho do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Yanomami #Genocídio #Indígenas #PolíticaIndigenista #Garimpo #Militares #Amazônia #Bolsonarismo #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
A intentona bolsonaresca de 8 de janeiro teve nas Forças Armadas atores centrais. País afora, instalações militares serviram de abrigo a golpistas que clamavam por um golpe de Estado. Apesar dessas serem áreas de segurança sob jurisdição das Forças, golpistas acampados contaram com sua complacência e mesmo sua participação no movimento, por meio de parentes, reservistas ou até militares da ativa em trajes civis. Depois, por ocasião do ataque às sedes dos três poderes em Brasília, o que viu foi complacência - ou até colaboração - de militares com golpistas. A Guarda Presidencial foi dispensada na véspera dos atos pelo Gabinete de Segurança Institucional, ainda coalhado de bolsonaristas indicados pelo Gal. Augusto Heleno. No QG do Exército, a polícia do DF foi impedida por soldados de prender acampados, conforme determinação do ministro do STF, Alexandre de Moraes. No dia seguinte o presidente Lula apontou o dedo para os militares, acusando-os de passividade e afirmando que as Forças Armadas não são o "poder moderador" que pensam ser. Como entender o papel dos militares nesse evento e no processo que lhe antecedeu? O que passa pela sua cabeça? É o caso de falar em "bolsonarismo" ou em "militarismo" como ameaça à democracia brasileira? Para discutir tais temas, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Piero Leirner, antropólogo, professor da UFSCAR, pesquisador do CNPq e um dos principais estudiosos da questão militar no Brasil. Piero Leirner é autor de recente livro sobre a atuação dos militares na cena política: "O Brasil no espectro de uma guerra híbrida", Alameda Editorial,já em 2ª edição. O Twitter de Piero Leirner é: @pierolei As músicas deste episódio são "First Call", "Destiny Day" e "Day of Chaos", todas de Kevin MacLeod, licenciadas de acordo com a licença Atribuição 4.0 da Creative Commons. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação e também a todas e todos que apoiaram por meio do botãozinho do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Militares #ForçasArmadas #Militarismo #Bolsonarismo #Golpismo #Autoritarismo #Democracia #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
O 8 de Janeiro de 2022 ficará marcado como o dia em que a base bolsonarista tentou um golpe de Estado, motivada pelas teorias da conspiração de seu líder. Milhares de pessoas invadiram e depredaram as sedes dos três poderes, destruindo o patrimônio físico, artístico e histórico. Tentaram também destruir a democracia, mas fracassaram nesse intento. A reação institucional foi forte e rápida. O presidente Lula decretou a intervenção federal na segurança do Distrito Federal, depois confirmada pelo Congresso. O STF afastou o governador do DF por 90 dias. Depois, foi decretada a prisão do comandante da Polícia Militar do DF no dia da tentativa de golpe, assim como do então secretário de Segurança Pública, o bolsonarista Anderson Torres. O que explica o episódio? Como chegamos a esse ponto? Qual a responsabilidade das forças policiais? E como se pode analisar a atuação do Supremo Tribunal Federal nesse episódio? Para entender essas questões, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe dois convidados. Uma é a socióloga Jacqueline Sinhoretto, professora da Universidade Federal de São Carlos e líder do Grupo de Estudos sobre Violência e Administração de Conflitos (GEVAC). O outro é Rubens Glezer, constitucionalista, professor da FGV Direito São Paulo onde coordenador o Supremo em Pauta e o Núcleo de Justiça e Constituição. É também autor do livro "Catimba Constitucional: o STF do antijogo à crise constitucional", da Arraes Editora. As músicas deste episódio são "Restless Natives", de Doug Maxweel - Media Right Productions, e "Oh Fire", de Carmen María & Edu Espinal. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos às novas apoiadoras do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Leila Torres, Adonei Mota, Sérgio Rocha, Angelo Roberto Meia Meneghelo e Giovanna de Moura Rocha Lima, e também a todas e todos que apoiaram por meio do botãozinho do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Política #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira #Sociologia #CiênciaPolítica #Violência #Sociedade #Bolsonarismo --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
O Brasil é um país com uma tradição de violência política. Nela se inscrevem as recentes manifestações golpistas promovidas por bolsonaristas, inconformados com o resultado da eleição presidencial. Elas são, contudo, apenas uma das manifestações atuais desse problema. A violência política encontrou em nossa sociedade, violenta, um terreno fértil para se desenvolver. E isso seguirá um traço distintivo de nosso país. O que vai ficar na sociedade brasileira depois das eleições e depois que assumir o novo governo, como herança destes anos bolsonarescos? Que tradição violenta é essa e que outros episódios de nossa história são manifestações dela? Para discutir esse tema, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Angela Alonso, socióloga, professora do Departamento de Sociologia da USP e pesquisadora do CEBRAP, o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Angela Alonso tem também uma coluna quinzenal na Folha de S. Paulo, na qual discute temas da conjuntura política e social brasileira. Twitter de Angela Alonso: @angelaalonso115 As músicas deste episódio são "God Rest Ye Merry Gentlmen" do DJ Williams, e "Kazoom", de Quincas Moreira. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos às novas apoiadoras do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Vanessita, Cris Souza, Ricardo Teixeira da Silva, e também a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Política #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira #Sociologia #CiênciaPolítica #Violência #Sociedade #Bolsonarismo --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
À medida que dezembro avança, o governo eleito de Luís Inácio Lula da Silva ganha contornos mais definidos, com a definição de alguns ministros e mesmo de membros do segundo escalão. Contudo, o caráter de frente ampla, que marcou a campanha eleitoral, não se revelou com a mesma nitidez na formação do ministério em seus passos iniciais. Lula definiu o núcleo central do governo com indicações para a Fazenda, Casa Civil, Justiça, Defesa e Relações Exteriores. Também vazou o nome da indicada para o Ministério da Cultura. Mas e o resto? Em paralelo a esse processo, o governo eleito negocia com o Congresso já em final de mandato a aprovação de uma importante medida para assegurar seu funcionamento: a PEC da Transição. Tudo indica que a negociação da PEC afeta as decisões relativas ao ministério e posterga decisões importantes, como o lugar de Simone Tebet no novo governo e o quinhão de partidos aliados. Para entender esse proceso, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Maria Rita Loureiro, cientista política, professora aposentada da FGV EAESP e da USP. Maria Rita é uma estudiosa do funcionamento dos governos e, em especial, de sua área econômica. As músicas deste episódio são "Clean and Dance" de An Jone e "Come on Out" de Dan Lebowitz. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos às novas apoiadoras do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Vanessita, Cris Souza, Ricardo Teixeira da Silva, e também a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira #GovernoLula PresidencialismodeCoalizão #FrenteAmpla #Bolsonarismo #ExtremaDireita --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
Em tempos de Copa do Mundo, muitos assuntos acabam sendo relacionados a ela e ao futebol – um deles, a política. E há razões de sobra para isso. Jogadores, técnicos, dirigentes, jornalistas e outras pessoas ligadas ao mundo do futebol se posicionam politicamente. Grandes eventos esportivos, como Olimpíadas e Copas, são instrumentalizados politicamente por governos, sejam democráticos, como Brasil 2014 e 2016 (neste caso, Olimpíada) ou autoritários, como China 2010, Rússia 2018 e Catar 2022. No Brasil, particularmente, há uma longa história de entrelaçamento entre esportes e política, especialmente no caso do futebol: a Copa de 1970, a Democracia Corinthiana, as Diretas Já. Mas há mais do que isso. Que papel têm os grandes atletas em seus posicionamentos políticos? Como avaliar, por exemplo, Pelé, Sócrates, Reinaldo ou Zico. E Neymar? Para discutir tais temas, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe o antropólogo José Paulo Florenzano, professor da PUC-SP e estudioso das relações entre esportes e política – especialmente o futebol. Florenzano é autor do livro A Democracia Corinthiana: práticas de liberdade no futebol brasileiro, editada pela EDUC e pela FAPESP. As músicas deste episódio são "Up the Steps" do Geographer e "My Peeps" de Aaron Lieberman. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos às novas apoiadoras do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Vanessita, Cris Souza, Ricardo Teixeira da Silva, e também a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira #Futebol #Bolsonarismo #ExtremaDireita #Futebol #CopaDoMundo #Esportes --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
Após a vitória de Lula no segundo turno das eleições presidenciais, grupos de Bolsonaristas rumaram para estradas e portas de quartéis, questionando o resultado das urnas e demandando um golpe de Estado que impedisse o presidente eleito de tomar posse. Além da pauta golpista desses grupos, o fenômeno chamou a atenção por conta das muitas bizarrices que proporcionou: indivíduo que se agarra a um caminhão, pessoas clamando pelo socorro de extraterrestres, orações num "muro das lamentações", hino cantado para um pneu de trator, choro e ranger de dentes. O que explica tais comportamentos? Seria um surto coletivo? Teria o bolsonarismo se tornado uma seita que mobiliza hordas de fanáticos? Essas pessoas não temem o ridículo? Procurando entender esse fenômeno, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Sérgio Freire, linguista e psicólogo clínico, professor da Universidade Federal do Amazonas, onde integra o LAPCRI (Laboratório de Psicanálise e Criação) e dirige a editora da universidade (EDUA). Sérgio Freire também mantém um blog onde publica algumas de suas reflexões. Nesse espaço ele publicou recentemente um artigo que dá o título deste episódio do #FPNS: "Tá todo mundo louco?". Twitter de Sérgio Freire: @sergiofreire Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos às novas apoiadoras do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Vanessita, Cris Souza, Ricardo Teixeira da Silva, e também a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira #GovernoBolsonaro #Bolsonarismo #Psicanálise #PsicologiaSocial #PsicologiadeMassas #Fascismo #Extremismo #ExtremaDireita #Comportamento --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
Os anos de Jair Bolsonaro na Presidência foram marcados pelo crescente isolamento internacional do Brasil, convertido num pária global. Essa situação pode mudar com o novo governo Lula? Os primeiros sinais a tal respeito foram bastante positivos. Antes mesmo da eleição, governantes europeus importantes, como os primeiros ministros de Portugal e Espanha, declararam apoio a Lula. Logo após o anúncio da vitória do ex-presidente, diversos governos se apressaram em reconhecer o novo governante eleito. Destacadamente, Joe Biden, presidente dos EUA, congratulou Lula apenas 38 minutos após o anuncio de sua eleição pelo TSE. O primeiro ato importante do futuro presidente foi ir à COP 27, no Egito, onde foi saudado como pop star por autoridades governamentais e lideranças da sociedade civil. Lula foi ovacionado ao dizer que "o Brasil voltou". Pode-se então afirmar que voltou mesmo? Para discutir o tema este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Dawisson Belém Lopes, professor de política internacional do Departamento de Ciência Política da UFMG e pesquisador visitante na Universidade de Oxford. As músicas deste episódio são "Batuque Bom", de Quincas Moreira e "Getz Me to Brazil", de Doug Maxwell.Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. O Twitter de Dawisson Belém Lopes é: @dbelemlopes Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos às novas apoiadoras do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Maria Beatriz de Camargo Lemos e Beatriz Bracher, e também a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira #RelaçõesInternacionais #PolíticaExterna #GovernoLula #GovernoBolsonaro #Bolsonarismo #MeioAmbiente #MudançasClimáticas #Regionalismo #AméricaLatina --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
Após a derrota de Jair Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial, manifestações golpistas tomaram ruas, estradas e outros espaços públicos, contestando o resultado das urnas com base em teorias conspiratórias e fake news. Em algumas delas, como em São Miguel do Oeste, Santa Catarina, os ataques bolsonaristas à democracia se fizeram acompanhar de demonstrações nitidamente fascistas, lançando mão de símbolos do nazifascismo, como o "sieg heil". O que explica não só essas expressões neofascistas recentes, desdobradas do bolsonarismo, mas também o crescimento desse tipo de movimentação no Brasil desde que Jair Bolsonaro ascendeu ao poder? Para discutir esse tema, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe dois especialistas no tema. Um é Michel Gherman, sociólogo, professor da UFRJ, onde é também pesquisador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Judaicos, além de membro do Observatório da Extrema Direita (OED). O outro é Fábio Gentile, cientista político, professor da UFCE, estudioso do fascismo e membro do Observatório da Extrema Direita (OED). As músicas deste episódio são "808 Door Chimes" do Unicorn Heads e "Arms Dealer" do Anno Domini Beats. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios   (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao  tema  do canal: a  política. Agradecemos aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Virgínia Helena Campos Vasconcelos, Janderson Campos, Edson Baeta, Ronaldo F. N. Araújo, bem como a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio.     1. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor.     2. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join     3. Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao     4. PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Fascismo #ExtremaDireita #Nazismo #Bolsonarismo #Eleições2022 #Análise Política #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
Mal decorrida uma semana de sua vitória no segundo turno das eleições presidenciais, Lula iniciou conversações com partidos e congressistas. A montagem de uma coalizão de governo é tarefa indispensável a um presidente no presidencialismo de coalizão brasileiro. Para se desincumbir dela, Lula não tem caminho simples. O Congresso saído das eleições de 2 de outubro se tornou menos fragmentado, porém bem mais à direita. O PL, partido de Bolsonaro, obteve as maiores bancadas na Câmara e no Senado. Como lidar com um Congresso assim? Quais os desafios de Lula neste processo? Será possível construir uma coalizão que dê suporte a suas agendas? Para discutir esses temas, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe o cientista político Fabiano Santos, estudioso do tema. Professor do IESP UERJ, onde coordena o Observatório do Legislativo Brasileiro, integra ainda o Observatório das Eleições do Instituto da Democracia e Democratização da Comunicação Política. As músicas deste episódio são "Here it Comes" e "As you were", do TrackTribe. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Américo  Freire, Abaixo o Neoliberalismo, Joá Guimarães, Júlio Gonçalves Rocha,  Gabriel Calzavara de Araujo, Angelo Roberto Neia Meneghelo e Marisa, bem  como a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
Após uma disputa apertada e tensa, Luis Inácio Lula da Silva venceu a disputa presidencial, dando início ao término dos quatro anos de bolsonarismo no governo. Contudo, os desafios do novo presidente e de seu governo não se encerraram. Lula terá de lidar com um Congresso de maioria conservadora e com um legado desastroso de desorganização administrativa, aparelhamento das forças de segurança, deterioração do ambiente político e contestação ao resultado das urnas. Que cenário é esse que advirá após a vitória eleitoral? Para discutir esse tema, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Bruno Pinheiro Wanderley Reis, cientista político, professor do Departamento de Ciência Política e diretor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) da UFMG. Twitter de Bruno Reis: @brunopwr As músicas deste episódio são "Zula" e "A Kind of Party" dos Mini Vandals. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios   (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao  tema  do canal: a  política. Agradecemos às novas apoiadoras do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Maria Carmen Coutinho Cavalcanti e Mariza Rodrigues, bem como a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Bolsonarismo #Autoritarismo #EleiçãoPresidencial #Democracia #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica  #PolíticaBrasileira #Eleições #Eleições2022 #Lula #PartidodosTrabalhadores  --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
A eleição de 2022 chega a seu final com embates nos meios de comunicação tradicional, nas ruas e, principalmente, nas redes sociais. Depois de vencer as eleições de 2018 se valendo fartamente da utilização das redes, em especial do WhatsApp, o bolsonarismo enfrenta um jogo mais equilibrado. Seus adversários, embora ainda em certa desvantagem, aprenderam a utilizar as ferramentas digitais das redes para a disputa eleitoral. Na campanha de Lula, a entrada de André Janones produziu um fato novo. O principal efeito do "janonismo cultural" tem sido produzir ruído e um curto-circuito cognitivo nas hostes bolsonaristas. A equipe de comunicação digital da extrema-direita se vê atarantada com o novo adversário. No seio da campanha bolsonarista, Carlos Bolsonaro perde espaço para políticos tradicionais e marqueteiros, embora siga atuante e próximo ao pai - especialmente nos debates. Como entender esse fenômeno tão complexo e tão relevante para a disputa política contemporânea? Para discutir esse tema, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe o antropólogo David Nemer, professor da Universidade da Virgínia e estudioso das mídias digitais. O Twitter de David Nemer é: @DavidNemer As músicas deste episódio são "Side Scroller" do RKVC e "The Computer Has Feelings" do JHS Pedals. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts.   Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital.   Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar!  Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios   (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao  tema  do canal: a  política.  Agradecemos às novas apoiadoras do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Maria Carmen Coutinho Cavalcanti e Mariza Rodrigues, bem como a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛  Há quatro formas possíveis de apoio.     Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor.     Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join      Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao     PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #RedesSociais #FakeNews #Bolsonarismo #Autoritarismo #EleiçãoPresidencial #Democracia #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica  #PolíticaBrasileira #Eleições #Eleições2022 --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
“Queria dizer a essa imprensa maravilhosa, nossa, que eu não quero  acabar com a Lava Jato… Eu acabei com a Lava Jato porque não tem mais  corrupção no governo”, disse Jair Bolsonaro em outubro de 2020.   Essa declaração ocorreu depois que Sergio Moro já havia deixado o  Ministério da Justiça, após acusar Bolsonaro de interferir na Polícia  Federal.   O fato é que desde então, de fato a Lava Jato acabou, bem como deixou de  existir uma Procuradoria Geral da República independente, pois Augusto  Aras, o PGR, é um serviçal de Bolsonaro.   O presidente também nomeou para o Supremo Tribunal Federal dois sabujos -  Kássio Nunes Marques e André Mendonça - que decidem sempre de forma a  favorecer o Poder Executivo.   Qual o tamanho do desmonte bolsonaresco das estruturas de combate à  corrupção? De que forma toda a construção institucional pós-1988 e,  principalmente, pós-2003 foi desmontada pelo bolsonarismo?   Para discutir esse tema, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe o  cientista político Rogério Arantes, professor do Departamento de Ciência Política da USP.   Rogério Arantes é um dos principais estudiosos brasileiros das relações  entre Direito e Política, com pesquisas sobre o Sistema de Justiça,  Supremo Tribunal Federal, Ministério Público, Polícia Federal e  Constitucionalismo. O Twitter de Rogério Arantes é: @rogeriobarantes As músicas deste episódio são "Lock" e "Baba", ambas  de Jeremy Black.   Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts.   Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital.   Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar!  Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios   (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao  tema  do canal: a  política.  Agradecemos  aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação e também a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛  Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join  Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Corrupção #LavaJato #MinistérioPúblico #PolíciaFederal #PoderJudiciário #Bolsonarismo #Autoritarismo #EleiçãoPresidencial #Democracia #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica  #PolíticaBrasileira #Eleições #Eleições2022 --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
No dia 2 de outubro, no que a apuração das eleições avançava, avançava  também a surpresa. Muitos resultados diferiam bastante do esperado. As pesquisas eleitorais erraram?  Diante do questionamento, veículos de imprensa e responsáveis por  levantamentos de intenção de voto respondiam que não, as pesquisas não  erraram.  A negativa da resposta se baseava em diversos argumentos.  Um era o de que pesquisas mostram apenas um momento da corrida, não  prevendo o resultado final. Assim, não teriam como captar a tempo  mudanças de última hora.  Outro argumento era o da defasagem dos dados do Censo, que atrapalharia a  ponderação dos diversos estratos da população.  Diante da desconfiança do público, uma voz dissonante se fez ouvir:  Andrei Roman, CEO da AtlasIntel, cujas pesquisas mais se aproximaram dos  resultados finais nacionalmente e em diversos estados.  Cientista político e economista com doutorado em Harvard, Andrei é o  convidado deste #ForadaPolíticaNãoháSalvação. Nessa conversa ele dirá porque considera que, sim, as pesquisas erraram e erraram muito. O Twitter de Andrei Roman é: @andrei__roman As músicas deste episódio são "One Time" e "First of 3", ambas de Jeremy Black. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos  aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação: Bárbara Mota, Victor Gentilli, Adonei Mota, Flavia Morais, Jéssica Amaral e Marcelo Sevaybricker, e também a todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Eleições #Eleições2022 #EleiçãoPresidencial #Democracia #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica  #PolíticaBrasileira #PesquisasEleitorais #Estatística #Amostragem --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
As eleições de 2 de outubro produziram uma grande vitória eleitoral da direita, inclusive da extrema-direita bolsonarista. Isso ficou patente não só no desempenho acima do esperado de Bolsonaro na eleição presidencial, mas também no aumento da bancada direitista no Congresso e na vitória de governadores bolsonaristas em estados importantes. O bolsonarismo consolidou a direita como nunca antes desde o final da ditadura militar. Deu-lhe não só coesão, mas também maior assertividade ideológica. O Centrão, em vez de moderar Bolsonaro, radicalizou-se com ele. O que explica esse fenômeno? Que país é esse que sai das urnas em 2022? Para compreender o que ocorreu e o que podemos esperar, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe o cientista político Jairo Nicolau, professor do FGV CPDOC e um dos principais pesquisadores brasileiros de partidos e eleições. Jairo Nicolau publicou algo recentemente o livro "O Brasil dobrou à direita: uma radiografia da eleição de Bolsonaro em 2018", editado pela Zahar. O Twitter de Jairo Nicolau é: @JairoNicolau1 As músicas deste episódio são "Batuque Bom" e "Eletrosamba", de Quincas Moreira. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manter e a melhorar! Apoiadores  contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde  que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a  política. Agradecemos  aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação, inclusive a todos e  todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Fazendo uma assinatura simbólica do #FPNS no Benfeitoria.com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Eleições #Eleições2022 #EleiçãoPresidencial #Democracia #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica  #PolíticaBrasileira #PesquisasEleitorais #Evangélicos   #Bolsonaro #PartidosPolíticos #SistemaPartidário #Antipetismo #Esquerda #Direita #Conservadorismo #Lula --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
Há um fenômeno político que, ao menos desde a eleição de 2018, tem chamado a atenção de analistas, estudiosos e do público em geral: a força de Jair Bolsonaro no eleitorado evangélico. Naquela eleição estima-se que cerca de 70% do voto evangélico foi para Bolsonaro, tendo um peso importante em sua vitória nas urnas. Em 2022 esse número caiu, mas ainda assim é alto: pouco mais de 50% dos evangélicos declaram que votarão para reeleger o presidente. O fenômeno, contudo, não é tão novo. A tendência conservadora, ou mesmo ultraconservadora, de grande parte do eleitorado evangélico se tem verificado em seguidas disputas eleitorais, nos três níveis de governo. O que explica esse fenômeno? E por que mesmo os evangélicos mais pobres têm esse viés conservador no voto, inclusive ao ponto de rechaçar partidos e políticos mais simpáticos a políticas de redistribuição da riqueza? É sua religiosidade que explica tal comportamento eleitoral? Para entender o fenômeno este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebeu Victor Araújo, cientista político, pesquisador na Universidade de Zurique e autor do livro A religião distrai os pobres? O voto econômico de joelhos para a moral e os bons costumes, publicado pela Editora 70. As músicas deste episódio são "God Fury" do Anno Domini Beats e "Future Renaissance" do Godmode. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manterem e a melhorar! Apoiadores contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a política. Agradecemos aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação, inclusive a todos e todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Tornando-se assinante simbólico do #FPNS no Benfeitoria. com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Eleições #Religião #Evangélicos #Pentecostalismo #Neopentecostalismo #Protestantismo #Eleições2022 #EleiçãoPresidencial #Democracia #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica  #PolíticaBrasileira #PesquisasEleitorais #Bolsonaro #PartidosPolíticos #SistemaPartidário #Antipetismo #Esquerda #Direita #Conservadorismo --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
As eleições de 2022 se aproximam de um momento decisivo, entrando na  última semana de campanha antes do primeiro turno. Todas as atenções se voltam à disputa presidencial, pois diversas  pesquisas apontam a possibilidade de Lula vencer ainda no primeiro  turno.  A possibilidade aumenta com novos apoios ao ex-presidente vindo até de  opositores outrora ferrenhos, como Miguel Reale Jr., autor do pedido de  impeachment de Dilma Rousseff.  Reiteradas ameaças à democracia perpetradas por Jair Bolsonaro,  inconformado com uma provável derrota, alarmam setores políticos e  sociais, dentro e fora do Brasil.  O que se pode esperar dessa disputa que se avizinha? E as demais  eleições, para o Congresso e governos estaduais, que se pode esperar  delas?  Para discutir esses temas este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe dois cientistas políticos, especialistas em questões eleitorais.  Uma é Lara Mesquita, professora da FGV EESP, pesquisadora do FGV CEPESP e do CEBRAP.  Outro é Rafael Cortez, consultor da Tendências, professor do IDP e docente convidado da FGV EAESP.   As músicas deste episódio são "No Clarity", do Stayloose e "Remembering her Face" do Silent Partner. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manterem e a melhorar! Apoiadores contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a política. Agradecemos aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação, José de Arimatéia Dantas, Luiz Aroeira, Gabriel Calvazara de Araujo, Omar di Dio e todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Tornando-se assinante simbólico do #FPNS no Benfeitoria. com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Eleições #Eleições2022 #EleiçãoPresidencial #Democracia #AnálisePolítica #ConjunturaPolítica  #PolíticaBrasileira #PesquisasEleitorais #PrimeiroTurno #CongressoNacional #Governadores #Lula #Bolsonaro #PartidosPolíticos #SistemaPartidário #FinaciamentoEleitoral --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
Já era sabido há muito tempo que uma das maiores fragilidades eleitorais  de Jair Bolsonaro estava no eleitorado feminino, em que sua rejeição é  muito alta. Diante dessa vulnerabilidade, a campanha bolsonarista procurou acenar a  esse eleitorado, principalmente pelo engajamento da primeira-dama,  Michelle.  Toda essa estratégia, contudo, foi prejudicada pela misoginia  incontrolável de Bolsonaro, externalizada no violento ataque verbal à  jornalista Vera Magalhães no primeiro debate presidencial. Não bastasse, ao tentar consertar o problema, o presidente proferiu  novas declarações de cunho machista – o que só piorou as coisas. Por fim, um deputado estadual bolsonarista, Douglas Garcia, repetiu os  mesmos ataques a Vera Magalhães por ocasião do debate entre os  candidatos ao governo paulista. Essa imitação da conduta presidencial prejudicou a imagem do títere de  Bolsonaro no Estado, Tarcísio de Freitas, com respingos para a campanha  presidencial.  Para entender tal situação e seu contexto, este  #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe a cientista política Camila Rocha, doutora pela USP e assessora legislativa na Assembleia Legislativa de  São Paulo.  Estudiosa da questão feminina, ela é uma das organizadoras do livro  "Feminismo em disputa: um estudo sobre o imaginário político das  mulheres brasileiras", editado pela Boitempo.   As músicas deste episódio são "Real Bad Girl," do Audionautix e "Hey  Girl", de Topher Mohr & Alex Elena. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manterem e a melhorar! Apoiadores contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a política. Agradecemos aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação, José de Arimatéia Dantas, Luiz Aroeira, Gabriel Calvazara de Araujo, Omar di Dio e todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Tornando-se assinante simbólico do #FPNS no Benfeitoria. com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info #Misoginia #Machismo #Eleições #Democracia #AnálisePolítica  #Eleições2022 #EleiçãoPresidencial #Bolsonarismo #ConjunturaPolítica  #PolíticaBrasileira #Feminismo #Gênero #Mulheres --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
Vivemos uma era marcada pela ascensão, mundo afora, de lideranças  populistas e movimentos reacionários. Por vezes essas duas coisas aparecem combinadas.  Um dos exemplares mais vistosos dessa combinação é o bolsonarismo, um  movimento ao mesmo tempo populista, reacionário e autoritário.  Mas o que caracteriza tanto o reacionarismo como o populismo? De que  forma e por que eles se combinam? Como Bolsonaro logrou liderar esse  movimento no Brasil e se tornar presidente?  Para discutir esses temas este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe os  cientistas políticos Christian Lynch e Paulo Henrique Cassimiro, do IESP UERJ.  Ambos acabaram de lançar o livro "O Populismo Reacionário: Ascensão e  Legado do Bolsonarismo", pela editora Contracorrente, no qual tratam  exatamente desses assuntos.   As músicas deste episódio são "Sonic Pogo" e "Deep State", ambas do Vans  in Japan .    Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts.   Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital.   Apoie o e ajude o canal e o podcast a se manterem e a melhorar!  Apoiadores contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios  (claro, desde que desejem) e terão acesso a brindes relacionados ao tema  do canal: a política.   Agradecemos aos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação, Claudia Yukari Asazu, Gilvano Silva, João Paulo e todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛  Há quatro formas possíveis de apoio.       Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor.      Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join      Benfeitoria: Tornando-se assinante simbólico do #FPNS no Benfeitoria. com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao      PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info    #Populismo #Reacionarismo #Eleições #Democracia #AnálisePolítica #Eleições2022 #EleiçãoPresidencial #Bolsonarismo #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira #Extremismo #ExtremaDireita #Fascismo --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
A eleição presidencial de 2022 coloca a democracia brasileira diante de  uma situação perigosa. Uma eventual vitória de Jair Bolsonaro pode significar o fortalecimento  de um projeto político autoritário que passa pela captura das  instituições pelo chefe do Executivo.  O principal alvo dessa investida autocrática é o Supremo Tribunal  Federal. Como Hugo Chávez na Venezuela, Bolsonaro quer controlar o STF e  o tornar uma corte subserviente a seu mando.  Mas como chegamos até aqui?  O que ocorreu ao longo de diversas eleições e  governos para que estivéssemos, hoje, diante desse risco? E o que  significaria um novo governo Lula, derrotando Bolsonaro?  Para tal discussão este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebeu Fernando  Limongi, cientista político, professor da Escola de Economia de São  Paulo da FGV, professor titular aposentado da USP e pesquisador do  CEBRAP.  Limongi é um dos principais cientistas políticos brasileiros e sua  reflexão sobre nossa democracia é primordial para entender o que se  passa.  Twitter de Fernando Limongi: @fplimongi   As músicas deste episódio são "Everything you wanted" de Dan Lebowitz e  "Out on my skateboard" dos Mini Vandals.   Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital. Apoie o  e ajude o canal e o podcast a se manterem e a melhorar! Apoiadores contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios (claro, desde que desejem) e terão acesso a brindes digitais relacionados ao tema do canal: a política. Agradecemos aos novos apoiadores do #ForadaPolíticaNãoháSalvação, Rodrigo Menck, Botafogo A. F., Ary Fortes, Cesar Dantas e Padre Adriano Ferreira Rodrigues, assim como todas e todos que apoiaram por meio do #ValeuDemais! 💛💛💛💛 Há quatro formas possíveis de apoio. Valeu Demais: Fazendo uma doação pelo botão "Valeu" do vídeo no YouTube. Você determina o valor. Clube dos Canais: Tornando-se membro do canal no Clube dos Canais do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbSOn9WtyJubqodDk_nL1aw/join Benfeitoria: Tornando-se assinante simbólico do #FPNS no Benfeitoria. com: https://benfeitoria.com/projeto/ApoioForadaPoliticaNaohaSalvacao PIX: Por meio de PIX. Chave PIX: contato@foradapoliticanaohasalvacao.info  #Eleições #Democracia #AnálisePolítica #Eleições2022 #EleiçãoPresidencial #Bolsonarismo #SistemaPartidário #EleiçõesCríticas #ConjunturaPolítica #PolíticaBrasileira --- Send in a voice message: https://anchor.fm/fpns/message
loading
Comments (5)

Alex Costa

Parabéns pela maravilhosa análise, sem lados, mostrando fatos, história, geopolítica. Agora eu posso dizer que me explicaram o Putin. 👏🏻👏🏻👏🏻 O que levei pra mim é que não existe anjo ou demônio nessa guerra.

Mar 6th
Reply

Alex Costa

A mim me parede que o bolsonarismo é um oportunista que sai pegando conceitos de outros movimentos, como: faciscimo, integralismo etc, para beneficiar um grupo de políticos e pessoas. Como explicar ser movimento de direita e ir flertar com a Rússia? Alguém poderia me explicar?

Feb 26th
Reply

Paulo Sérgio Costa Borges

Curto muito este canal. Estou sentindo falta dos episódios de 2022.

Jan 25th
Reply

Márcio Bertelli

Claudio, parabéns pela qualidade das entrevistas.

Jul 10th
Reply

Wallace Mello

Excelente programa. Muito bom poder ouvir o Prof. Limongi. Parabéns pelo programa professor Claudio.

Jun 3rd
Reply
Download from Google Play
Download from App Store