DiscoverInglês na Ponta da Língua » Podcast
Inglês na Ponta da Língua » Podcast
Claim Ownership

Inglês na Ponta da Língua » Podcast

Author: Denilso de Lima

Subscribed: 9,599Played: 43,689
Share

Description

Inglês na Ponta da Língua é um dos mais antigos canais de aprendizado de inglês no Brasil. Mantido pelo prof. Denilso de Lima, especialista em ensino de inglês e autor de vários livros na área, dá dicas de gramática, expressões, phrasal verbs, como aprender ou ensinar inglês, métodos e abordagens de ensino e muito mais. São dicas para professores e estudantes de inglês que querem ouvir o que os especialistas têm a dizer de modo sério, profissional e também sempre complicações sobre a Língua Inglesa. Depois do Inglês na Ponta da Língua, você certamente não vai querer ouvir e nem ler mais ninguém. Follow me and keep learning!
38 Episodes
Reverse
Como aprender listening estudando inglês sozinho? Essa é uma daquelas perguntinhas que recebo frequentemente aqui no Inglês na ponta da Língua.As pessoas sabem que eu aprendi inglês sozinho, então é natural elas quererem saber como eu desenvolvi a minha habilidade de ouvir inglês mesmo estudando sozinho e sem nunca ter morado fora do Brasil.Já escrevi muitos textos aqui no blog falando sobre listening. Você encontra a lista com algumas dessas dicas no final desse texto. Abaixo, para não continuar falando as mesmas coisas – o que mesmo assim não dá! –, eu compartilho um vídeo falando qual era o meu “método”. Esse vídeo foi publicado em nosso canal lá no Youtube. Portanto, se você quiser, poderá assisti-lo diretamente no Youtube clicando aqui.Como aprender listening estudando inglês sozinho?Espero que alguma coisa da minha história seja útil para que você se anime a continuar desenvolvendo o listening em inglês. Afinal, o meu objetivo – além de dar dicas de inglês – é também ajudar você a não desistir jamais desse sonho. PodcastEste conteúdo está também disponível em formato de podcast. Portanto, você poderá ouvi-lo através de sua plataforma favorita. Seguem abaixo o link das mais conhecidas:SpotifyGoogle PodcastiTunesVocê também pode ouvir tudo agora. Para isso é só clicar/tocar no player abaixo.Mais dicas para te ajudarPor que listening é difícil? Como resolver o problema?Como melhorar o listening em inglês?Dicas para melhorar o listening em inglêsQuer melhorar o listening!? Então, estude a pronúncia do inglês! Qual o seu nível de listening em inglêsQuer aprender ainda mais?Se você quiser aprender muito mais, então tenha o livro Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar seu vocabulário. Nele você aprende a aprender phrasal verbs, expressões, frases do cotidiano, dicas de como estudar, como se organizar, atividades que podem ser feitas em qualquer lugar e assim manter o inglês ativo na memória e muito mais.Nessa oferta exclusiva, você receberá o livro em seu endereço e autografado por mim – o autor. Portanto, não perca essa oportunidade. Clique no botão abaixo e fique com seu Inglês na Ponta da Língua.A dica Como aprender listening estudando inglês sozinho? foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
As pessoas sempre me perguntam como eu aprendi inglês. Perguntam isso porque sabem que eu aprendi inglês sozinho. Nunca frequentei um curso de inglês e nem mesmo fiz um intercâmbio. Como minhas amigas e amigos dizem, eu aprendi na marra.Assim, sempre querem saber coisas como: O que você fez para aprender? Como se organizava? Que material usava? Qual era o seu método de estudos? Como organizava o tempo? Como estudava a pronúncia se não tinha ninguém para ajudar/corrigir? Enfim, são tantas as perguntas que fazem que eu acredito que daria para fazer um filme explicando cada detalhe. Mas, como Hollywood ainda não sabe da minha história, eu fiz um vídeo no qual conto em resumo como eu aprendi inglês.Este vídeo está publicado lá no Youtube. Então, você pode assisti-lo por lá ou aqui mesmo no site. É só tocar no player abaixo e ouvir a minha história.Como Eu Aprendi Inglês (podcast)Além da versão em vídeo (Youtube), você pode também encontrar esse bate papo em formato podcast. O áudio está abaixo também. Mas, para acompanhar o Inglês na Ponta da Língua nas plataformas de podcast é só clicar na sua favorita abaixo:SpotifyGoogle PodcastiTunesOutras dicas para te ajudarSeguem abaixo outras dicas para ajudar você um pouco mais:Como eu fiquei fluente em inglêsPor onde começar os estudos de inglês?Tempo para Estudar InglêsDesenvolver o hábito de estudar inglêsComo se organizar para estudar inglês?Quer aprender ainda mais?Se você quiser aprender muito mais, então tenha o livro Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar seu vocabulário. Nele você aprende a aprender phrasal verbs, expressões, frases do cotidiano, dicas de como estudar, como se organizar, atividades que podem ser feitas em qualquer lugar e assim manter o inglês ativo na memória e muito mais.Nessa oferta exclusiva, você receberá o livro em seu endereço e autografado por mim – o autor. Portanto, não perca essa oportunidade. Clique no botão abaixo e fique com seu Inglês na Ponta da Língua.A dica Como eu aprendi inglês! Um resumo da história! foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
Aprender inglês com músicas!? Será que é mesmo possível usar músicas para aprender inglês!? Quando alguém fala sobre esse assunto, o que você pensa a respeito!? Qual sua opinião!? Como você usa as letras de canções conhecidas para estudar inglês?Essas são perguntas que, vira e mexe, eu recebo aqui no Inglês na Ponta da Língua. Trata-se de um assunto que sempre gera muito interesse. Eu mesmo tenho respondido perguntas sobre esse tema desde que comecei a dar aulas de inglês. Isso lá em 1994! Depois no Orkut (2005), esse assunto era bastante discutido em nossa comunidade. Aqui no site – desde seu início em 2007 –, eu sempre acabo escrevendo algo a respeito. Veja uma lista de textos sobre o assunto no final desta dica.Agora, para dar continuidade a ele, gravei um vídeo no qual falo novamente sobre aprender inglês com músicas. Logo, se você tem interesse sobre esse assunto, assista ao vídeo abaixo. Eu tenho minhas opiniões sobre o tema. Mas, eu adoraria saber qual sua opinião! Portanto, deixe seu comentário e assim a gente vai poder continuar trocando ideias a respeito.Aprender Inglês com MúsicasAssista ao vídeo Aprender Inglês com Músicas e aproveite a oportunidade para se inscrever no canal Inglês na Ponta da Língua no Youtube, clicando aqui.Se não tiver como assistir ao vídeo agora, ouça o áudio abaixo. Você pode também procurar o Inglês na Ponta da Língua em sua plataforma de podcast: Spotify (clique aqui), Google Podcast (clique aqui) ou iTunes (clique aqui). Leitura ComplementarAbaixo segue alguns textos entrar para você ler e aprender mais.Chunks of Language: o que são e por que aprender? 80 Dicas para Aprender Inglês Sozinho O Inglês das Músicas Aprender Inglês Ouvindo Músicas Lembre-se que aqui no Inglês na Ponta da Língua, há muitas outras dicas sobre os mais variados assuntos. Para encontrar dicas específicas, use a barra de busca. Você vai se surpreender!I hope you enjoy all these tips. I’m quite sure you’ll learn a lot from them. That’s all I have for now! So, take care and keep learning. A dica Aprender Inglês com Músicas? É mesmo possível? Como fazer? foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
Take the plunge!? O que isso quer dizer!? Como usar essa expressão em inglês!?Bom! Se você curte aprender expressões idiomáticas em inglês, vai gostar de aprender mais essa. Portanto, pegue aí o seu lexical notebook e anote tudo o que vou te ensinar aqui. Lembre-se de colocar em prática o que você aprender aqui após ler e ouvir essa dicas. Assim, você vai ficar cada vez mais com seu Inglês na Ponta da Língua.Antes de continuar lendo, se liga no recadinho em destaque abaixo. Afinal, agora está muito mais fácil de você acompanhar nossas dicas.Este é também um episódio em nosso Inglês na Ponta da Língua Podcast. Portanto, você pode ouvir esta dica no Spotify (clique aqui), no Google Podcast (clique aqui) ou na iTunes (clique aqui). Ou, ouça diretamente aqui no site, clicando no player abaixo!Take the Plunge: significadoComo de costume, vamos ver o que os dicionários de inglês dizem sobre essa expressão. Então, leia abaixo a definição encontrada no Cambridge Dictionary:to make a decision to do something, especially after thinking about it for a long timePortanto, TAKE THE PLUNGE refere-se ao ato de alguém decidir fazer algo, especialmente depois de pensar a respeito por algum tempo.Em português, o que dizemos nesse caso é TOMAR CORAGEM ou ainda CRIAR CORAGEM.Logo, TAKE THE PLUNGE é outra maneira que temos para dizer TOMAR  CORAGEM em inglês.Vamos ver alguns exemplos e assim aprender como usar essa expressão.ExemplosWell, I guess it’s about time we took the plunge and set up our own business. (Bom, eu acho que já está mais do que na hora da gente tomar coragem e abrir um negócio só nosso.)He took the plunge and asked Suzie to marry him. (Ele criou coragem e pediu a Suzie em casamento.)She took the plunge and invested her entire savings in the plan. (Ela tomou coragem e investiu todas suas economias no plano.)Duas Coisas Interessantes Para encerrar a dica, vou te ensinar duas coisas interessantes sobre o uso dessa expressão.A primeira é que às vezes ela é seguida pela preposição into. Veja,Ralph and his wife decided to take the plunge into business.Nesse caso, você pode traduzir por “entrar de cabeça em” ou “entrar com tudo em“:Ralph e sua esposa decidiram entrar de cabeça no negócio.Veja outros exemplos:Ridley took the plunge into the world of comedy in 2012. (Ridley entrou com tudo no mundo da comédia em 2012.)IMAX took the plunge into virtual reality in 2016 after a successful $50 million investment round. (IMAX entrou de cabeça na realidade virtual em 2016 após um investimento bem-sucedido de 50 milhões de dólares.)A segunda coisa interessante é que TAKE THE PLUNGE pode ser usada sozinha como no exemplo abaixo:Sarah and Ricky took the plunge last year.Quando for assim, a expressão significará “casar-se“:Sarah and Ricky se casaram ano passado.Portanto, fique sempre atento ao contexto. Ele ajudará você a entender bem o significado da expressão. Mas, no geral, não há o que temer. Se você praticar e seguir as orientações que dei acima, você vai ficar expert nessa expressão.Ok! That’s all for now! I hope you’ve enjoyed this tip. Take care and keep learning!A dica Take the Plunge: o que significa e como usar? foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
Phrasal verbs!? Vamos falar sobre isso novamente!? Sim, mas desta vez é um podcast! Portanto, clique no player abaixo para ouvir. Ou você pode ouvir na plataforma que desejar: Spotify (clique aqui), Google Podcast (clique aqui) ou iTunes (clique aqui).Agora que falamos isso, você pode continuar lendo ou ouvindo esta super dica para aprender tudo sobre como aprender phrasal verbs e muito mais! I hope you enjoy all this!Phrasal Verbs: podcastHello, guys! This is Denilso speaking and welcome to another episode of Inglês na Ponta da Língua podcast.Desta vez, quero bater um papo com vocês sobre phrasal verbs. Eu já escrevi muito aqui no site sobre isso. Lembro que o primeiro texto publicado a respeito é de 2007. Mas, esse assunto nunca deixa de ser um tormento para estudantes de inglês.Então, eu vou meio que juntar todas as dicas que já dei aqui e falar a respeito. Por isso, eu também digo que esse aqui é o Guia Definitivo Para Você Aprender Phrasal Verbs.Tudo o que eu vou falar aqui é praticamente tudo o que nós – pesquisadores, especialistas e linguistas – temos a dizer sobre phrasal verbs. Aqui vou responder as seguintes perguntas:O que são phrasal verbs?Qual a maior dificuldade para aprender phrasal verbs?Como realmente aprender phrasal verbs sem complicações?Os tipos de phrasal verbsVou dar ainda algumas informações relevantes para que você simplesmente mude a sua mente – o seu mindset – sobre como o que são e como aprender phrasal verbs em inglês.Lembrando que o texto deste podcast pode ser encontrado lá em nosso site. Então, acesse www.inglesnapontadalingua.com.br, procure pelo texto Phrasal Verbs: entenda e aprenda de uma vez por todas e você terá todo esse conteúdo para guardar e revisar sempre que quiser.Para começar, vamos à pergunta que todos sempre fazem.O que são phrasal verbs?e modo bem simples, um phrasal verb nada mais é do que a combinação de um verbo com uma preposição ou um advérbio ou os dois e que juntos possuem um único significado.Ou seja, não adianta traduzir – interpretar – o verbo e a preposição ou advérbio separadamente. Nós temos de interpretar o conjunto.Portanto, “look down on” é um exemplo de phrasal verb. Pois, trata-se de da combinação de um verbo (look) e duas preposições (down on). Mas, não podemos traduzir (interpretar) isso palavra por palavra. Temos de ver como um conjunto. Esse conjunto tem um significado próprio.Dessa forma, “look down on” significa “menosprezar”. Uma mãe pode aconselhar seu filho a never look down on people. Ou seja, nunca menospreze as pessoas.Resumindo: phrasal verbs são pequenas combinações de palavras formadas por um verbo, um advérbio e/ou uma preposição que devemos aprender como se fossem uma coisa só e que possuem um significado próprio.Em minha opinião, uma pessoa que deseja ser fluente em inglês não tem a obrigação de saber definir o que são phrasal verbs. Isso equivale a dizer que para falar português fluentemente, ninguém precisa saber definir o que são verbos defectivos, verbos anômalos ou verbos abundantes. Você certamente não sabe o que são esses verbos, mas mesmo assim fala e ouve português ao longo do seu dia sem o menor problema.Saber a definição de phrasal verbs é algo para professores e linguistas. Já os alunos não precisam ficar sabendo desses detalhes técnicos. A não ser que realmente queiram.O problema dos phrasal verbsEssa explicação técnica é uma das maiores causas para que estudantes de inglês odeiem os phrasal verbs e também perpetuem a crença de que jamais aprenderão phrasal verbs.Um outro problema é o fato da maioria dos phrasal verbs possuírem vários significados ou usos. Alguns são fáceis de aprender. Afinal, têm apenas um significado. Já outros possuem vários significados e isso causa revolta em muitos estudantes.O phrasal verb “flag down” pode ser citado aqui como exemplo de phrasal verb com apenas um significado. “Flag down” significa “acenar para que o motorista pare seu veículo”. Veja o exemplo:We’ve been trying to flag down a cab for hours. (A gente está tentando parar um táxi há horas.)Lembrando que nesse caso, o aceno é feito com a mão. Imagine-se esperando por um ônibus. Quando você o avista, você acena – faz um gesto com a mão – para que ele pare e você possa entrar nele.Até aí tudo bem! O problema é que a maioria dos phrasal verbs não são assim tão simples. Veja “look up” por exemplo.Na sentença, “If you don’t know what ‘flabbergasted’ means, you can look it up in the dictionary”, “look up” nesse caso significa procurar uma palavra no dicionário.Já ao dizer, “Things are looking up”, o sentido de “look up” é melhorar. Portanto, a sentença toda significa “As coisas estão melhorando”. Em “I’ll look you up next time I’m in São Paulo”, o significado de “look up” é “visitar”. Logo, a tradução é “Eu vou te visitar na próxima vez que eu estiver em São Paulo”.Acabei de mostrar 3 significados de “look up”: procurar em um dicionário, melhorar e visitar.Muitos estudantes simplesmente não conseguem entender como uma só combinação de palavras pode ter tantos significados. Eles até dizem que isso é loucura.Será mesmo loucura?Quando eu escuto alguém dizendo isso, eu olho para a pessoa e digo que não é loucura. Isso é normal em qualquer língua. Em português, temos palavras que também possuem vários significados.Um exemplo clássico disso é a palavra “manga”. Como você bem sabe, manga é uma fruta. Mas, temos ainda a manga de uma camisa. Na região norte do Brasil, se alguém diz “o João manga de todo mundo” o significado é “o João zoa todo mundo”, “o João tira sarro de todo mundo”. Em outras regiões manga pode ser uma chuva forte ou ainda um cercado que conduz o gado para o curral.Ou seja, o fato de “look up” – e outros tantos phrasal verbs – ter três significados ou mais não é loucura. Afinal, em nossa língua também temos palavras com vários significados e usos.Ao aprender uma outra língua, isso pode ser sim um problema. Mas, esse problema é causado pelo modo como nós fomos e continuamos sendo “ensinados” a aprender phrasal verbs.Isso nos leva então à pergunta de um milhão de reais!Afinal, como aprender phrasal verbs?A maneira mais comum que todo mundo usa para aprender phrasal verbs é fazendo listas. Assim, você faz uma lista com 10 ou mais phrasal verbs e os decora. Depois, você faz mais uma lista com 10 ou mais phrasal verbs e os decora também. E assim você segue fazendo dia após dia. Certo? É assim que você faz?Outra maneira comum é aquela de fazer uma lista de phrasal verbs com get e passar um tempo decorando. Depois, faz-se uma lista de phrasal verbs com take e passa-se um tempo decorando. Então, cria-se uma lista de phrasal verbs com cut e mais uma vez as decora.Seja lá como for, o que a maioria das pessoas faz é LISTAS DE PHRASAL VERBS. Elas decoram 10, 20, 30, 40, 50, etc., phrasal verbs e acabam desistindo. Cria-se aí a crença de que aprender phrasal verbs é impossível.Em meu primeiro livro, Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar o seu vocabulário –, eu escrevo que se você quiser esquecer alguma coisa, basta colocar em uma lista. No caso dos phrasal verbs, ocorre isso. Se você coloca vários deles em uma lista para decorar, depois de um tempo você terá esquecido boa parte deles.Tem aí toda uma teoria sobre o estudo da memória para explicar o porquê disso acontecer. Mas, vamos deixar esse assunto para outro momento. Por ora, quero apenas que você saiba que se você está tentando aprender phrasal verbs por meio de listas, pode parar agora. Você só está criando motivos para desanimar e desistir de aprender inglês. Deixe-me te dar uma dica sobre como realmente aprender phrasal verbs.Como realmente aprender phrasal verb?A dica é a seguinte: você aprende phrasal verbs da mesma maneira como aprende palavras, gírias ou expressões novas em português. Sim! Eu disse português! Como assim?Quando você encontra – lê ou ouve – uma palavra que nunca encontrou antes em português, o que você faz?Eu acredito que você pergunta a alguém – ou procura no dicionário – o que significa. Você nunca leu ou ouviu aquilo; mesmo assim, você quer saber o que significa. Curiosamente, você começa a notar que seus amigos, familiares, pessoas em entrevistas, etc., estão usando aquela palavra, gíria ou expressão.Seu cérebro começa a assimilar naturalmente o significado e o uso daquilo. Com o tempo, você se pega usando aquela palavra, gíria ou expressão naturalmente. Ou seja, ela acaba se tornando parte do seu vocabulário ativo.Mas, como é em inglês?Em inglês, acontece a mesma coisa. Quando você se depara com um phrasal verb, a primeira coisa a aprender é qual o seu significado dentro daquele contexto.Assim, ao ler a sentença “If you don’t know what ‘flabbergasted’ means, look it up in the dictionary”, você aprende que “look up” significa “procurar”. Além disso, você também nota que o contexto é o de procurar por uma palavra em um dicionário. Logo, you look up a word in the dictionary. Esse “look up” não tem nada a ver com o procurar por algo que você perdeu. Vou repetir: o contexto de “look up” é o de procurar uma palavra no dicionário.Você pode procurar mais exemplos de “look up” com o significado de “procurar” e aprender que além de “procurar em um dicionário”, pode também ser usado no contexto de procurar por algo em uma lista: seu nome na lista de aprovados do ENEM, por exemplo.Com o tempo, você pode encontrar “look up” sendo usado com o sentido que não se encaixa naquele que você aprendeu. Isso significa que você precisa agora aprender esse outro uso de “look up”. Trata-se de algo natural: aprender novos significados para um phrasal verb já conhecido. É o mesmo que aprender que “manga” é outro nome que damos para uma peça de metal também conhecida como “bucha”.É assim que aprendemos phrasal verbs!Aos poucos, um de cada vez, e sempre dentro do contexto. Temos de aprender lendo exemplos. Temos de nos envolvermos com a língua e assim aquele phrasal verbs que lemos em um texto ou ouvimos em uma conversa vai se tornando parte de nosso vocabulário ativo. Com o tempo, estaremos tão acostumados com ele que nos pegaremos usando-o naturalmente sem o menor problema.Não é preciso ter pressa e nem medo!Sua pergunta agora deve ser a seguinte: “Denilso, a minha professora vai fazer uma prova semana que vem e ela disse que temos de decorar uma lista de 50 phrasal verbs que ela passou?”Se esse for o seu caso, eu sinto muito! Se sua professora mandou e vai cair na prova, então eu desejo um bom teste de memória para você. Afinal, essa prova não é uma prova de inglês; mas, sim um teste de memória para saber se você é capaz de memorizar o maior número possível de itens colocados em uma lista. Repito: isso é um teste de memória e não uma prova de inglês. Boa sorte!Tipos de Phrasal VerbsPara deixar esse papo aqui mais completo, eu tenho de falar sobre os tipos de phrasal verbs. Afinal, esse assunto também complica a vida de muita gente. Então, vamos lá!Os phrasal verbs podem ser divididos tecnicamente em duas categorias: separáveis e inseparáveis.Lá no começo, a definição técnica que dei para os phrasal verbs é que eles são combinações de palavras formadas por um verbo, uma preposição e/ou um advérbio. Assim, “look up” e “look down on” são exemplos de phrasal verbs. O interessante é que “look up” é um phrasal verb separável. Já, “look down on” é inseparável.Como assim?O verbo “look” e a preposição “up” em “look up” pode ser separadas por outra palavra. Por exemplo, “Look this word up in the dictionary, if you don’t know it’s meaning”. Note que eu disse “Look this word up…”. Look e up estão separados por “this word”. Isso é natural em inglês. Você aprende isso naturalmente e sem complicações. Você observa isso aconteça e se acostuma de tanto ver.Por outro lado, o phrasal verbs “look down on” não pode ser separado em momento algum. As três palavras que o forma – look, down e on – devem sempre estar juntas. O certo será sempre “Never look down on people”. Nada de dizer “Never look people down on” ou “Never look down people on”. “Look down on” é inseparável.Como dito acima, isso você aprende naturalmente. Não precisa entrar em desespero achando que é complicado demais. Lembre-se: a gente aprende isso naturalmente e com o tempo ficamos com tudo isso na ponta da língua. O importante é não desistir. Fácil pode até não ser no começo, mas impossível não é!Considerações FinaisPara encerrar, quero pedir para que você tome muito cuidado com as promessas feitas pela internet.Tenho visto pelo Youtube, Instagram, Facebook, Twitter, etc., muita gente vendendo ebooks com os 100, 200, 600 phrasal verbs em inglês. Cuidado com isso!O que esses materiais geralmente têm é uma lista de phrasal verbs aleatórios que o autor juntou e colocou dentro do ebook. Ou seja, trata-se apenas de uma lista com vários phrasal verbs que você vai querer decorar e no final o resultado será o mesmo: frustração por ter comprado mais um material que serviu para mostrar que você é simplesmente incapaz de aprender phrasal verbs.Não encare esses materiais como soluções definitivas. Ele servem como referência de aprendizado. Mas, não como soluções milagrosas. Nada contra o material ou seu autor.tenho contra vender isso como água santa do Rio Jordão que resolverá seus problemas com os phrasal verbs.Ufa! Acho que é isso! Caso você ainda tenha alguma dúvida sobre esse assunto, acesse o site e envie sua pergunta. Você pode ainda mandar sua dúvida pelo Facebook ou Instagram. Basta procurar por Inglês na Ponta da Língua nessas redes e você nos encontrará por lá.Well, thanks a bunch for listening. So, take care and keep learning!A dica Phrasal Verbs: entenda e aprenda de uma vez por todas foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
Lexical Teacher!? O que é isso!? O que esse profissional faz!? Qual a diferença dele para o traditional teacher? Se você é professora ou professor de inglês, quero te convidar entrar no universo do Lexical Teacher. Entenda melhor a ideia e saiba como se tornar um LEXICAL TEACHER.Este conteúdo também está disponível em formato de áudio. Para ouvir aqui no site mesmo, é só clicar no player abaixo. Mas, você também pode ouvir no Spotify ou no iTunes. Para isso é sés procurar por Inglês na Ponta da Língua na área de podcasts. Assim, nossa conversará fluirá muito melhor.Vamos ao que interessa!Um pouco de HistóriaEu – Denilso – comecei a dar aulas de inglês em 1994. Comecei ensinando de modo voluntário. Eu dava aulas de reforço para crianças e adolescentes na igreja que eu frequentava. Como acontece no ensino regular de inglês, o meu trabalho era ensinar gramática e vocabulário.Depois, em 1995, fui parar em uma escola de inglês. Ao fazer o treinamento, eu notei que teria de ensinar gramática, vocabulário, pronúncia. A única diferença foi essa: ensinar pronúncia.Ao longo dos anos, trabalhando em outras escolas, eu continuei observando que – embora o método ou abordagem da escola mudasse – a base continuava sendo o ensino de gramática, vocabulário e pronúncia.Ou seja, eu tinha de ensinar regras e termos gramaticais – present perfect, prepositions, conditionals, present simple, etc. O vocabulário se resumia a ensinar listas de palavras, phrasal verbs e, vez ou outra, um idiom (expressão idiomática). Já na pronúncia, o foco era ensinar os sons do th, os minimal pairs e coisas do tipo.Isso me incomodava muito! Por mais que eu tentasse fazer algo diferente no final tudo se resumia a essas três coisas. Afinal, esse era o modo tradicional, o jeito padrão,  de ensinar inglês. No entanto, eu estava incomodado com aquilo. Eu queria encontrar algo novo, diferente. Algo que deixasse não só o ensino – mas também o aprendizado – de inglês mais dinâmico, divertido, interessante, descomplicado.Uma luz no meio da mesmiceEm 1997, eu estava na recepção de uma das escolas em que trabalhava quando vi uma revista para professores sobre uma mesa. Essa revista era o número 0 da New Routes in ELT, publicação da DISAL. Na capa, eu li o nome Michael Lewis e abaixo deste nome li algo que chamou muito atenção:tthe leading revolutionary against standard English teachingQuem seria esse “principal revolucionário contra o ensino tradicional de inglês“? Teria esse tal de Michael Lewis alguma resposta para minha busca por algo que fugisse do tradicional ensino de inglês: gramática, vocabulário e pronúncia?Li as 5 páginas de sua entrevista e me identifiquei com o que ele dizia. Eu estava diante de algumas respostas às minhas inquietações. Após reler a entrevista, decidi que iria também ler seus livros: The Lexical Approach e Implementing the Lexical Approach.Quanto mais eu lia esses livros, mais eu aprendia. Mais meu jeito de ensinar inglês mudava. O melhor: mais ainda meus alunos passaram a gostar de inglês. Ate mesmo aqueles que se achavam incapazes de aprender, começaram a se soltar mais e a participar das aulas.No anos seguintes, fui aprendendo cada vez mais sobre essa abordagem de ensino e aplicando em minhas aulas. Quando me tornei coordenador pedagógico, eu ensinei mais sobre minhas descobertas ao professores e professoras. Isso também ajudou todos eles a ajudarem ainda mais seus alunos.Eu havia me tornado um Lexical Teacher e deixado de ser um traditional teacher.Mas, qual a diferença?Como um traditional teacher, eu sempre ensinei gramática, vocabulário e pronúncia. Independentemente de onde ensinasse, esse três itens eram ensinados de modo isolado e muitas vezes desconexos.Claro que haviam sentenças comumente usadas em diálogos e situações específicas. Não posso deixar de fora que também ensinava phrasal verbs e idioms. Mas, no fim do dia, tudo se resumia a gramática, vocabulário e pronúncia.Quando me enfiei a aprender a abordagem lexical, fui me tornando o que eu chamo de Lexical Teacher. O que mudou?Eu passei a ver aqueles três elementos comuns no ensino tradicional de modo integrado. Isto é, gramática, vocabulário e pronúncia passaram a ser uma coisa só.GramáticaA gramática não era mais ensinada como se fossem regras e termos técnicos a serem decorados. Eu aprendi que podia ensinar a gramática de uso e deixar a gramática normativa para outros momentos. A metalinguagem não precisava estar presente na sala de aula.VocabulárioO vocabulário deixou de ser apenas palavras soltas e/ou palavras raramente usadas. Agora eu estava diante dos chunks of language (formulaic language): collocations, semi-fixed sentences, fixed sentences, gambits, polywords e tantas outras coisas que são usadas naturalmente na língua.PronúnciaA pronúncia ia além de ensinar apenas os sons isoladamente. Eu podia ensinar intonation, connected speech, sentence stress (suprasegmental features in phonetics). Enfim, nada mais de estressar meus alunos e alunas com os sons do th ou os minimal pairs.Vale dizer que alguns aspectos do ensino tradicional, eu ainda ensinava. Afinal, eram recursos que eu tinha para ajudar meus alunos. Contudo, como um Lexical Teacher eu não focava apenas nisso. Eu ia além e meus alunos aprendiam cada vez mais e desenvolviam a fluência mais naturalmente.O Lexical Teacher hojeHoje, após 24 anos, muita coisa nova entrou em cena para ajudar o Lexical Teacher. Pesquisas pelo neurocientista Michael Ulmann, do MIT e Georgetown University, ajudaram a mostrar que o ensino lexical divulgado por Michael Lewis e outros especialistas antes dele é extremamente possível. Seu Declarative/Procedural Model tem influenciado não só os campos da psicolinguística e da neurociência cognitiva, mas também – em minha opinião – o da linguística aplicada. Afinal, precisamos saber como o cérebro adulto melhor aprende uma língua adicional.Vários outros pesquisadores sugeriram mudanças no modo como ensinamos tradicionalmente a gramática. Deixar de ver a gramática como uma coisa, mas sim como um processo. Aqui o trabalho de Diane Larsen-Freeman, From Grammar to Grammaring, é leitura obrigatória.Avanços na tecnologia da informação tornaram a Linguística de Corpus uma ciência fundamental para que o Lexical Teacher – seja falante nativo ou não-nativo – ensine inglês de modo muito mais natural, dinâmico e até mesmo prazeroso para os alunos. O livro From Corpus to the Classroom é outra leitura obrigatória para quem deseja se tornar um Lexical Teacher. Hoje, o Lexical Teacher pode dar sua aula sabendo que a ciência da aquisição linguística está totalmente a seu favor.  Como vários outras ciências validaram (e ainda validam) o que os pais da teoria lexical diziam, o preconceito e dúvidas foram se tornando coisas do passado. Portanto, todos são mais que bem vindos a se tornarem Lexical Teachers.Como se tornar um Lexical Teacher?Desde quando Michael Lewis lançou seu The Lexical Approach em 1993, foram vários os livros e artigos publicados sobre o ensino lexical. Inúmeros outros autores e pesquisadores validaram os conceitos por trás desta abordagem.Você pode começar lendo os livros que mencionei neste artigo. Mas, depois deverá ler muitos outros e assim entender as nuances dessa abordagem que ajuda na transformação de um traditional teacher para um Lexical Teacher.The Lexical Priming (Michael Hoey)Teaching Collocations (Michael Lewis, editor)Grammar (Michael Swan)Beyond the Sentence (Scott Thornbury)Discourse Analysis (H. G. Widdowson)Optimizing a Lexical Approach to Instructed Second Language Acquisition (Frank Boers e Seth Lindstromberg)Teaching Chunks of Language (Frank Boers e Seth Lindstromberg)Lexical Grammar: Activities for Teaching Chunks and Exploring Patterns (Leo Selivan)Enfim, esses são apenas alguns dos livros que o profissional de ensino de inglês pode ter em sua estante para se iniciar a caminhada no seu aprendizado e desenvolvimento profissional.Por outro lado, esse mesmo profissional pode também fazer cursos nessa área. Um dos cursos é justamente o que eu – Denilso – ofereço: Being a Lexical Teacher. O primeiro e – até o momento – único curso que tem como objetivo apresentar e preparar a professora ou o professor de inglês nos pontos essenciais do ensino lexical. Tem ainda os livros que publiquei:Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar o seu vocabulárioCombinando Palavras em Inglês – seja fluente em inglês aprendendo collocationsGrámatica de Uso da Língua – a gramática do Inglês na Ponta da LínguaCaso queira saber mais sobre esse curso e como participar dele, leia todas as informações clicando aqui. Tenho certeza ainda alguma dúvida, entre em contato. Será um prazer enorme compartilhar minha história e também meus conhecimentos com você que deseja agora se tornar um Lexical Teacher. A dica LEXICAL TEACHER: o que é e o que faz? foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
O que significa I DREAD TO THINK? Como usar essa expressão corretamente em inglês? Continua lendo a dica para aprender e assim ficar ainda mais com seu Inglês na Ponta da Língua.Caso você não esteja com tempo para ler a dica, você pode ouvi-la. Isso certamente vai ajudar você ainda mais! Para ouvi-la é só clicar no player aí abaixo. I DREAD TO THINK: significadoEssa expressão é usada para passar a ideia de que só em pensar ou imaginar as consequências de algo já te deixa apreensiva ou apreensivo. Veja abaixo a definição a essa expressão no Collins Dictionary Online:If you say that you dread to think what might happen, you mean that you are anxious about it because it is likely to be very unpleasant.Note que geralmente a usamos quando sabemos que o resultado daquilo que pensamos pode ser desagradável.Em português, o que nós dizemos é:Não quero nem pensar…Não quero nem imaginar…Não consigo nem imaginar…E quando falamos isso, a gente  sabe que se trata de uma situação com resultados preocupantes.Em alguns locais onde o inglês é falado, essa expressão muda para I SHUDDER TO THINK… Mas, lembre-se a primeira é de longe a mais usada pelos falantes nativos. Portanto, pratique bem ela.Agora que você aprendeu o significado e uso dessa expressão, vamos aos exemplos.Exemplos:I dread to think what might happen if he gets elected. (Quero nem imaginar o que pode acontecer caso ele seja eleito.)I dread to think how the victim’s family must be feeling. (Quero nem imaginar como a família da vítima deve estar se sentindo.) I dread to think what my boss will say when I tell him I lost our biggest client. (Quero nem pensar o que meu chefe vai dizer quando eu contar a ele que perdi nosso maior cliente.)Você pode também colocar essa expressão no final de uma sentença:How long it will take for the region to recover from the floods, I dread to think. (Não consigo nem imaginar quanto tempo levará para a região se recuperar das enchentes.)What will happen when you publish on Sundays as well, I dread to think. (Quero nem imaginar o que vai acontecer quando você publicar aos domingos também.)Por fim, você pode dizer apenas “I DREAD TO THINK!” quando alguém te faz uma pergunta:How much is that gonna cost us? (Quanto é que isso vai nos custar?)I dread to think!. (Quero nem imaginar!)Prontinho! Agora é com você! Anote essa expressão em seu caderno de vocabulário, procure por mais exemplos e use-a sempre que puder. Assim, como eu sempre digo, você ficará cada vez mais com seu Inglês na Ponta da Língua.That’s all for now! Take care and keep learning!A dica I DREAD TO THINK: significado e uso (dica c/ áudio) foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
O que significa STIR UP A HORNET’S NEST? Se você ainda não faz a menor ideia do que essa expressão significa, chegou a hora de aprender. Continue lendo!Antes, saiba que há aqui no site várias dicas sobre expressões idiomáticas em inglês. Duas das mais lidas são Expressões Idiomáticas em Inglês com Partes do Corpo e 10 Expressões Idiomáticas em Inglês. Mas, antes de ir ler essas dicas, vamos aprender sobre a expressão idiomática que está no título desta dica.Caso esteja sem tempo para ler a dica, que tal ouvi-la? Abaixo tem um arquivo de áudio. Clicando no play, você ouvirá toda esta dica e assim ficar ainda mais fácil de entender. Você pode também – se quiser e puder –, assinar o podcast do Inglês na Ponta da Língua na iTunes e assim ouvir todas as dicas por lá também. Enfim, o que não falta e local para você ficar com o Inglês na Ponta da Língua. https://www.inglesnapontadalingua.com.br/wp-content/uploads/2018/09/stir_up_a_hornets_nest.mp3Stir Up A Hornet’s Nest: significadoVamos ver como anda o seu inglês. Tente entender o significado dessa expressão, lendo a definição abaixo em inglês. Leia e tente pensar em como você diria em português. Vamos lá?When you stir up a hornet’s nest, you do or say something that makes people angry or upset and create unplesant problems.E aí!? Consegue interpretar o significado da expressão? Deu para entender? Bom! Caso não tenha conseguido vou te ajudar!Um dos significado do verbo stir é mexer. Já o termos hornet’s nest significa vespeiro (casa de vespas, ninho de vespas, enxame de vespas). Portanto, imagine alguém mexendo em um vespeiro, cutucando um enxame de vespas. Certamente, isso será um enorme problema para a pessoa, não é mesmo? Portanto, saiba que esse é o sentido figurado da expressão STIR UP A HORNET’S NEST: fazer ou falar algo que deixa as pessoas com raiva ou chateadas criando assim problemas desagradáveis.Curiosamente, em algumas regiões do Brasil existe a expressão MEXER EM CASA DE MARIMBONDOS, que é a mesma coisa que a expressão em inglês. Mas, lembre-se que marimbondo em inglês é wasp e vespa (vespão) é hornet. Caso você não saiba a diferença entre eles, não se preocupe. O que importa mesmo saber é que mexer na casa tanto de um quanto do outro pode ser algo desagradável.Outra expressão em português que pode ser usada nesse caso é CUTUCAR A ONÇA COM VARA CURTA. Enfim, a ideia da expressão em inglês é justamente a de provocar alguém dizendo ou fazendo algo que possa causar problemas. Vamos aos exemplos!Exemplos:The Defense Minister managed to stir up a hornet’s nest with his insensitive remark. (O Ministro da Defesa com seu comentário insensato conseguiu deixar muita gente irritada.)His remarks about the lack of good women tennis players stirred up a real hornet’s nest. (O seu comentário sobre a escassez de boas jogadoras de tênis provocou a ira de muita gente.)If you say that to her, you will be stirring up a hornet’s nest. (Se você falar isso para ela, você estará cutucando a onça com vara curta.)Don’t bring up that topic again in the meeting. You will be stirring up a hornets’ nest. (Não mencione este tópico novamente na reunião. Você estará mexendo em cada de marimbondos.)His off-the-cuff remark about pollution stirred up a hornet’s nest among environmentalists. (Seu comentário descuidado sobre a poluição mexeu com os ânimos dos ambientalistas.)Veja que podemos alterar a tradução da expressão para que assim ela se encaixe melhor na frase. O importante é sempre manter a ideia da expressão evitando assim alterar o sentido original do que foi dito ou escrito.Well, I guess that all for now! I hope you’ve enjoyed this tip. So, take care and keep learning.» Fontes:Cambridge DictionaryThe IdiomsThe Free DictionaryA dica STIR UP A HORNET’S NEST: o que significa? (dica c/ áudio) foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
Se você ainda não sabe o que significa VENT ONE’S SPLEEN, leia e ouça esta dica para aprender. Afinal, essa é mais uma daquelas expressões idiomáticas em inglês que podemos ouvir alguém dizendo e ficarmos sem entender. Lembrando que esta pergunta – o que significa vent one’s spleen – foi enviada por uma assinante de nosso canal no Youtube. Canal esse que voltou a ser atualizado recentemente. Portanto, se você ainda não acompanha minhas dicas de inglês lá no Youtube, está deixando de aprender muita coisa. Clique aqui para ser um assinante do canal e aprender muito mais comigo. Não fique de fora!Dado o recado, vamos responder a pergunta que é título desta dica.[Está sem tempo para ler o texto? Então, ouça o áudio abaixo. É só clicar no player e aprender!]https://www.inglesnapontadalingua.com.br/wp-content/uploads/2018/09/vent_ones_spleen.mp3O que significa VENT ONE’S SPLEEN?Confesso que nunca tinha visto essa expressão antes. Aliás, eu nunca a ouvi. Mas, diante da pergunta feita, fui atrás para aprender e assim compartilhar com vocês. A primeira coisa que fiz foi, claro, procurar o significado dessa expressão em um dicionário. Cada dicionário que pesquisei explica de uma maneira. A definição que mais achei legal foi a do Merriam-Webster, que diz:to express angry feelingsEm bom português, expressar sentimentos de raiva. Ou seja, quando eu estou zangado, p. da vida, furioso com algo, eu expresso minha raiva verbalmente. Com isso em mente, fiquei me perguntando que expressão temos em português que se aproxime do significado de VENT ONE’S SPLEEN.A expressão que pensei aqui foi SOLTAR O VERBO. Mas, logo me veio também as expressões SOLTAR OS CACHORROS e BOTAR A RAIVA PARA FORA. Pois, essas são expressões que passam a ideia de expressar sentimentos de raiva. Claro que temos ainda a palavra ESBRAVEJAR; porém, ela é uma palavra e não uma expressão.Para facilitar, vamos aos exemplos.VENT ONE’S SPLEEN: exemplosMom’s been venting her spleen to me for an hour already. (A mamãe está soltando os cachorros pra cima de mim já tem uma hora.)Jack vented his spleen at his wife whenever things went badly at work. (O Jack soltava o verbo com a esposa dele sempre que as coisas davam errado no trabalho.)I listened patiently while she vented her spleen. (Eu ouvia pacientemente enquanto ela botava sua raiva para fora.)When someone is venting their spleen, the best thing to do is to say nothing and get aside. (Quando alguém está soltando os cachorros, a melhor coisa a fazer é não dizer nada e se afastar.)Origem da ExpressãoNo passado, as pessoas acreditavam que determinados órgãos do corpo eram responsáveis por algumas emoções. Por exemplo, o coração era o órgão do amor, da paixão, do desejo. Assim, o baço – em inglês, spleen – era o órgão que produzia o mau humor e a raiva. Essa é a razão pela qual temos spleen nessa expressão.Já o verbo vent tem o sentido de desabafar, aliviar. Logo, a tradução literal de vent one’s spleen é aliviar o baço (o órgão do mau humor).Enfim, isso é só uma informação a mais para você que gosta de aprender essas coisas. Afinal, o mais importante mesmo foi aprender o que significa vent one’s spleen. Ah! Antes de encerrar, você viu aí que no lugar de ONE’S, nós usamos os adjetivos possessivos em inglês. Portanto, se você quiser aprender um pouco de gramática do inglês, assista ao vídeo ADJETIVOS E PRONOMES POSSESSIVOS EM INGLÊS lá no Youtube.That’s all for now guys! Take care care and keep learning!A dica O que significa VENT ONE’S SPLEEN (dica c/ áudio) foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
Publiquei no Youtube – canal Inglês na Ponta da Língua – um vídeo falando sobre como dizer NÃO VER A HORA em inglês. Mas, como muita gente não me acompanha pelo Youtube, decidi postar a dica aqui no site também. Então, vamos lá!Não ver a hora em inglêsPara dizer NÃO VER A HORA em inglês nada de traduzir ao pé da letra. Anote aí que a expressão mais comum é CAN’T WAIT. Assim, você poderá dizer:I can’t wait to meet her. (Não vejo a hora de conhecê-la.)I can’t wait to go there. (Não vejo a hora de ir lá.)I can’t wait to buy a new car. (Não vejo a hora de comprar um carro novo.)I can’t wait to be fluent in English. (Não vejo a hora de ser fluente em inglês.)I can’t wait to find a new job. (Não vejo a hora de arrumar um emprego novo.)Prontinho! CAN’T WAIT cai como uma luva para expressar a ideia de NÃO VER A HORA em inglês. Caso você queira falar de outras pessoas, basta tirar o pronome pessoal I e colocar quem você quiser. Veja:John can’t wait to get married. (O John não vê a hora de se casar.)Mary can’t wait to find a new job. (A Mary não vê a hora de arrumar um novo emprego.)They can’t wait to go on vacation. (Eles não veem a hora de sair de férias.)We can’t wait to leave this place. (A gente não vê a hora de sair deste lugar.)CAN’T WAIT TO vs CAN’T WAIT FORUma coisa que muita gente nota é que às vezes usamos as preposições to e for após a expressão CAN’T WAIT. E aí surge a dúvida: qual a diferença?Nada muito complicado. Lembre do seguinteCAN’T WAIT TO + verboCAN’T WAIT FOR + substantivoVeja,I can’t wait to go on vacation. (Não vejo a hora de sair de férias.)I can’t wait to buy a new computer. (Não vejo a hora de comprar um novo computador.)I can’t wait to move into the new apartment. (Não vejo a hora de me mudar para o novo apartamento.)I cant wait for my vacation. (Não vejo a hora das minhas férias chegarem.)I cant wait for the party on Friday. (Não vejo a hora da festa de sexta chegar.)I cant’wait for Christmas. (Não vejo a hora do Natal chegar.)CAN HARDLY WAITPor fim, anote aí que outra expressão que pode ser usada no lugar de CAN’T WAIT é CAN HARDLY WAIT. Veja:I can hardly wait to meet her.I can hardly wait to buy a new computer.She can hardly wait to find a new job.We can hardly wait for the party on Friday.They can hardly wait to go on vacation.Prontinho! Nada muito complicado, não é mesmo? Agora que você já sabe como dizer NÃO VER A HORA em inglês, que tal usar a área de comentários abaixo e dizer falar algo que você não vê a hora de acontecer. Lembre-se de usar a expressão I CAN’T WAIT TO…That’s all for now, guys! Bye bye, take care and keep learning!Vídeo no YoutubeAbaixo compartilho também a vídeo-aula publicada no Youtube.A dica NÃO VER A HORA em inglês (c/ áudio) foi publicado originalmente no site Inglês na Ponta da Língua e é de autoria do prof. Denilso de Lima.
loading
Comments (4)

Victor Viana

i can't way to learn english

Oct 24th
Reply

Almerinda Chemane

I can't wait to see my mom

Aug 27th
Reply

Sergio Sanches

I can't wait to learn more. It's okay to say only: - I can't wait. Thanks and hug.

Jul 17th
Reply

Rogerio Renno

Prático e simples

Jan 3rd
Reply
loading
Download from Google Play
Download from App Store