Claim Ownership

Autor:

Inscrito: 0Reproduzido: 0
compartilhar

Descrição

 Episodes
Reverse
Nesse episódio do Papo Lendário, entrevisto Tiago Alves, sobre o mitólogo Joseph Campbell. A obra de Joseph Campbell vai muito além do famodo "Herói de Mil Faces", e nessa conversa com Tiago Alves, líder da Joseph Campbell Foundation Mythological RoundTalble® Grupo de Belo Horizonte, mostramos a história e importância desse que foi um dos mais famosos mitólogos do século XX. Dentre as diversas publicações, saiba quais obras de Campbell são ideais para começar a ler. -- CURSO -- O PODER DO MITO - Introdução à Mitologia Comparada de Joseph CampbellO curso vai acontecer nos dias 06, 13, 20 e 27 de julho, às quartas-feiras, das 19 as 22 horas. - As inscrições serão abertas na quarta-feira dia 22 de junho -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Convidado: Tiago Alves -- LINKS -- Tiago Alvez - Instagram @Mitosfera_ - Instagram -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Ana Lúcia Merege Correia Bruno Doyle Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Eder Cardoso Santana Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Leonardo Tondato Paulo Diovani Goncalves Rafael Resca Borges Rodrigo Santana Rosenilda Azevedo Tales Soares Brandão Willian Rochadel
Nesse episódio do Papo Lendário, apresento cinco erros comuns que encontramos quando pesquisamos sobre mitologia grega. Esse conteudo foi originalmente publicado no canal do Mitografias no Youtube, assine o canal. Existem muitas variações nos mitos gregos, mas nem por isso tudo o que encontramos por aí está correto, algumas informações são má interpretações, outras são visões modernas sobre as narrativas antigas. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Ana Lúcia Merege Correia Bruno Doyle Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Eder Cardoso Santana Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Leonardo Tondato Paulo Diovani Goncalves Rafael Resca Borges Rodrigo Santana Rosenilda Azevedo Tales Soares Brandão Willian Rochadel
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo entrevista Camila Aline Zanon, sobre sua tese de doutorado "Onde vivem os monstros: criaturas prodigiosas na poesia hexamétrica arcaica". Tese vencedora do Prêmio Tese Destaque USP 6ª edição (2017) na Grande Área de Linguística, Letras e Artes. A conversa foi sobre essa terminologia "monstro". Se é correto, ou não, utiliza-la quando nos referimos a determinadas criaturas dos mitos antigos. Para isso, Camila analísa três obras arcaicas, a Teogonia de Hesíodo, a Odisséia de Homero e o Hino Homérico a Apolo. E apresenta outros termos que se encontra nessas obras, tais como "pelor" e "teras". -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Participante: Camila Aline Zanon -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- Tese de Doutorado [Letras, Linguística e Artes] Monstros na Grécia Antiga? Não: criaturas prodigiosas [Letras, Linguística e Artes] Criaturas prodigiosas em Teogonia, Hino homérico a Apolo e Odisseia [Letras, Linguística e Artes] Prodígio, portento: seres divinos e extraordinários Heinrich Schliemann e a descoberta de Troia -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Ana Lúcia Merege Correia André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Doyle Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Eder Cardoso Santana Eduardo Oliveira Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Paulo Diovani Goncalves Paulo Peiker Rafa Mello Rafael Resca Borges Rodrigo Santana Rosenilda Azevedo Talita Kelly Martinez Willian Rochadel
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo entrevista Jota, que retorna ao podcast para falar sobre a deusa do amor Afrodite. Uma das mais complexas e importantes divindades gregas. Afrodite é uma deusa com diversos aspectos muito interessantes. E hoje conversamos sobre seu nascimento hesiódico; a relação genealógica com a versão da deusa nas obras homéricas; os diversos amores dela e muito mais sobre a mais bela deusa grega. Entenda qual a relação de Afrodite com seu filho Eros. Conheça a diferença entre Afrodite Urânia e Afrodite Pândemia -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Participante: Jota -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- Contatos do Convidados: Email - jota.oliveira@usp.com.br Academia.edu Instagram pessoal - @ohelenista @afrodision Site: Afrodision -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Ana Lúcia Merege Correia André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Doyle Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Eder Cardoso Santana Eduardo Oliveira Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Paulo Diovani Goncalves Paulo Peiker Rafa Mello Rafael Resca Borges Rodrigo Santana Rosenilda Azevedo Talita Kelly Martinez Willian Rochadel
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo entrevista o professor Ney Mendonça sobre o escritor do século II d.C Luciano de Samósata. Nascido na provincia romana da Síria, por volta de 125 d.C. Luciano de Samósata é um autor conhecido pelos diálogos satíricos e criticas aos costumes e a sociedade de sua época. Ele é autor de diversas obras como "História Verdadeira", "Diálogo dos mortos", "Diálogo dos deuses", entre outras. Conheça mais desse autor e de suas obras e como ele retrata a mitologia em algumas de suas obras. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Participante: Ney Mendonça -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- Redes Sociais do convidado - @glaudiney Grupo Paideia (Site -- Instagram) Instituto Dédalos (Site -- Instagram) -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Ana Lúcia Merege Correia André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Doyle Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Eder Cardoso Santana Eduardo Oliveira Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Paulo Diovani Goncalves Paulo Peiker Rafa Mello Rafael Resca Borges Rodrigo Santana Rosenilda Azevedo Talita Kelly Martinez Willian Rochadel
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo entrevista a escritora Ana Lúcia Merege (@anamerege). Ana Lúcia Merege é escritora, contadora de histórias, pesquisadora e bibliotecária. Ana utiliza muitos elementos míticos em suas obras, e nesse episódio ela fala de suas diversas obras e como utiliza a mitologia nelas. Conheça o projeto no Catarse de "Os Pilares de Melkart", a próxima obra da Ana Lúcia Merege. Apoie até dia 06/05/2022. Pelo link: catarse.me/pilares -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Participante: Ana Lúcia Merege -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- APOIE o Catarse de "Os Pilares de Melkart" Podcasts citados: PnE 094 – Do Pergaminho ao Renascimento PnE 142 – Especial Bibliotecas -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Ana Lúcia Merege Correia André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Doyle Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Eder Cardoso Santana Eduardo Oliveira Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Paulo Diovani Goncalves Paulo Peiker Rafa Mello Rafael Resca Borges Rodrigo Santana Rosenilda Azevedo Talita Kelly Martinez Willian Rochadel
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo entrevista Victor Hugo Sampaio Alves, sobre a cultura, religião e mitologia dos povos Samis. Conheça quem são esses povos residentes no extremo norte da Europa. Aqui conversamos sobre o problema da visão do estrangeiro sobre esses povos indigenas e como podemos comparar tais casos com eventos semelhantes aqui em nossa região. O problema do apagamento cultural e como isso reflete em existir poucas referências sobre seus mitos, panteões, costumes, línguas, etc. Resultado de uma visão xenofóbica e colonialista. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Participante: Victor Hugo Sampaio Alves -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- Contatos do convidado: Academia.edu -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Ana Lúcia Merege Correia André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Doyle Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Eder Cardoso Santana Eduardo Oliveira Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Paulo Diovani Goncalves Paulo Peiker Rafa Mello Rafael Resca Borges Rodrigo Santana Rosenilda Azevedo Talita Kelly Martinez Willian Rochadel -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvinte. O episódio de hoje é voltado para uma cultura específica e seus mitos, mas, que apesar de se localizar na Europa, nós não temos tanta informação assim. Hoje, então, conversaremos sobre os povos Samis, e, por isso, o convidado de hoje é o Victor, que já tem pesquisas e conteúdo sobre o tema. Victor, obrigado pela presença, e, antes de entrarmos no tema, se apresente para o nosso ouvinte. Victor: Oi, Leonardo, boa noite. Boa noite para todo mundo que está acompanhando a gente, escutando. Queria agradecer o espaço, principalmente para a gente abordar um pouquinho da história, da cultura e dos mitos desse povo que é tão pouco estudado, é tão pouco abordado aqui no Brasil. Muita gente nunca ouviu falar. É um grande prazer estar aqui. Bem, eu sou doutorando em Ciência das Religiões pela UFPB - Universidade Federal da Paraíba, eu também fiz o meu mestrado lá, também em Ciência das Religiões. Na verdade, eu não estudo única e exclusivamente os povos samis. Comecei a estudar sobre eles durante o mestrado, mas em uma conjuntura comparativa. Eu trabalho com a perspectiva da mitologia comparada, e aí eu estudava especificamente deuses do trovão, e eu estudei os deuses samis do trovão comparando-os com deuses escandinavos, como Thor, e finlandeses. Então ali começou a aflorar o interesse por essa cultura, primeiro porque era muito relevante para o que eu estava estudando, para o que eu estava me propondo a discutir. Sempre aquela história: você, quando começa a estudar um mito ou a mitologia de um povo, você não pode parar por ali, então você sempre precisa ver o contexto histórico, social, uma questão linguística, étnica, e tudo isso vai influenciar nas conclusões, nas perguntas que você levanta e na forma como você quer respondê-las. E assim a gente vai fazendo pesquisa. No doutorado, eu continuo na perspectiva comparativa entre esses povos escandinavos, finlandeses e os samis, mas não é mais focado em divindades do trovão. Na verdade, é uma pesquisa comparativa em torno da questão da magia xamânica e da visão de mundo xamânica que esses povos ali do norte europeu compartilhavam em certa medida. Então isso é um pouquinho do meu histórico, lugar de onde eu venho. Meus interesses atuais, como eu disse, são xamanismo, magia, algumas questões relacionadas a divindades específicas e também é importante aqui fr...
Semanas atrás o Mitografias gravou uma live na Twitch, sobre Genealogia da Mitologia Grega. O áudio foi disponibilizado para quem assine o feed do Mitografias. Assine nosso canal na Twitch - twitch.tv/mitografias e acompanhe as próximas lives. -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Eduardo Oliveira Everson Everton Gouveia Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Patricia Ussyk Paulo Peiker Rafael Resca Rafa Mello Rosenilda A. Azevedo Surya Namaskar Talita Kelly Martinez Willian Rochadel
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo entrevista Paloma Betini, sobre o mito de Páris e Helena. Conversamos sobre a complexidade desses personagens, suas origens e toda a importância que eles possuem na Guerra de Tróia, um dos principais eventos da mitologia Grega. Veja como outros autores antigos, além de Homero, representaram Helena e Páris. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Participante: Paloma Betini -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- Contatos da convidada: Academia.edu Construções e contradições de um herói homérico: imagens de Páris/Alexandre na Ilíada Grupo Panastér -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Eduardo Oliveira Everson Everton Gouveia Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Patricia Ussyk Paulo Peiker Rafael Resca Rafa Mello Rosenilda A. Azevedo Surya Namaskar Talita Kelly Martinez Willian Rochadel -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvinte. No episódio de hoje, vamos falar de um dos casais mais famosos da mitologia grega, senão o mais famoso, já que foram os responsáveis pela Guerra de Tróia, um dos principais eventos dessa mitologia. Quem conhece já sabe que eu estou falando de Helena e Páris, e focaremos em alguns dos diversos aspectos deles, já que a convidada de hoje tem pesquisas e trabalhos sobre eles. Então, Paloma, muito obrigado por ter aceito o convite e fique à vontade para se apresentar para o ouvinte. Paloma: Muito obrigada, você, Leonardo, pelo convite. Eu estou muito honrada, muito feliz de poder falar sobre algo que eu estudo e que eu adoro. Eu sou completamente apaixonada por mitologia, por poesia grega - esses dois personagens principalmente me atiçam a curiosidade, me fazem pesquisar. Então é muito legal poder aqui compartilhar com vocês um assunto que me anima tanto. Leonardo: Que legal. E as suas pesquisas, como estão? O que você já produziu? Como está o andamento disso sobre esse tema? Paloma: Bom, eu estou estudante de graduação, já estou no final - se tudo der certo, eu me formo esse semestre em Letras, na Universidade de São Paulo. Oficialmente, eu só faço Português, porém já faz uns quatro anos que eu pego muitas optativas em língua grega e fiz pesquisa na área de literatura grega, então eu digo que, por puxadinho, eu também sou do grego. Mas então eu fiz uma iniciação científica, que é tipo uma pesquisa, é o início, de você começar a fazer uma pesquisa acadêmica em alguma área, e eu fiz sobre Helena e Páris na poesia mélica, grega arcaica, sob orientação da professora Giuliana Ragusa. E foi uma pesquisa que eu estudei 14 fragmentos de poemas de cinco poetas diferentes de um gênero chamado mélica, e agora, quando eu terminar a minha graduação, eu estou pretendendo partir para o mestrado, em que eu vou pesquisar principalmente o Páris, que é um personagem um pouco polêmico. Leonardo: É interessante falar das polêmicas, então. Paloma: Sim, pois é, a gente vai falar. E eu também tive a oportunidade de participar de alguns congressos já falando sobre a minha pesquisa e também tive uns artigos publicados, então, quem se interessar... Leonardo: Interessante você ter citado a questão de ser de Letras, porque, ouvinte, como você já deve ter visto em alguns outros episódios que a gente lançou recentemente,
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo entrevista o professor Rogério Lima de Moura sobre a descoberta de Ugarite. A conversa foi sobre essa região e os textos míticos e religiosos encontrados. Conheça mais sobre Baal, o seu Ciclo, e diversos outros deuses dessa região, como El, Asherah, Yam e Mot. Além da relação que tais deuses possuem com Yaweh e Israel. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Participante: Rogério Lima de Moura -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- Contatos do convidado: Academia.edu Facebook Instagram LIVRO - Religiao, Arte e Cultura Curso: História e Religião da Antiga Judá - séculos VIII- I a.C. -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Eduardo Oliveira Everson Everton Gouveia Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Patricia Ussyk Paulo Peiker Rafael Resca Rafa Mello Rosenilda A. Azevedo Surya Namaskar Talita Kelly Martinez Willian Rochadel -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvinte. O local do qual falaremos no episódio de hoje muito provável de você nunca ter ouvido, mas talvez conheça, sim, os deuses adorados nessa região. Hoje, o episódio será sobre a religião, os mitos e deuses de Ugarite. Não se preocupe se o nome for estranho, pois vamos explicar tudo isso aqui. Na verdade, quem vai explicar é o convidado de hoje, o professor Rogério, que, dentre os seus trabalhos, está um focado nessa região, inclusive com comparações com trechos bíblicos. Então seja bem-vindo, professor, e pode se apresentar para o ouvinte. Rogério: Olá, Leonardo. Olá, todos e todas que estão nos ouvindo. É um prazer enorme estar aqui, falar um pouco de um tema tão importante para a história do levante e todos esses conceitos que trabalharemos na nossa fala. Então o meu nome é Rogério Lima de Moura, eu estou fazendo o meu doutorado na Universidade Metodista de São Paulo, na área de Ciências da Religião. Meu enfoque é o mundo ali do Levante, principalmente a história do antigo Israel e da antiga Judá, e eu trabalho também bastante as questões do imaginário religioso, das construções ideológicas que estão inseridas aí no período. Então eu tenho formação, a minha graduação, o meu bacharelado foi em Teologia, meu mestrado também foi em Ciências da Religião, sempre trabalhando esses aspectos, trabalhar a Bíblia hebraica como objeto de pesquisa. E muito da Bíblia hebraica, não só Israel e Judá, mas as cidades que eram vizinhas ali ao antigo Israel e à antiga Judá, e também fazer algumas análises comparativas, que veremos daqui a pouco na minha fala, essa questão de como que Israel e Judá participam também do imaginário religioso, das construções religiosas ali do Levante, daquela região do Levante. Então é um prazer enorme estar com vocês neste podcast. Leonardo: Bom, o tema de hoje é Ugarite, e, quando se pesquisa por esse nome, normalmente os primeiros resultados são falando sobre a descoberta dessa região, a descoberta de Ugarite, mas então é legal mostrar para o ouvinte o que realmente é, o que foi essa descoberta, o que foi descoberto lá. Rogério: Ugarite é uma antiga cidade ali na região do Levante. Se você preferir, se os ouvintes preferirem, estou falando daquela área que comumente é chamada de Palestina. Então a região que ficam ali o antigo Israel, a antiga Judá, a Fenícia, a Síria,
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo entrevista a Professora Giuliana Ragusa (professora de Língua e Literatura Grega da Universidade de São Paulo), sobre a poesia mélica. Conheça a poesia mélica (ou lirica), entenda o motivo desses nomes, e qual a relação com mitologia grega. Conversamos sobre quem foram os 9 poetas líricos mais famosos da Grécia Arcaica. Esse Papo Lendário foi baseado nos diversos trabalhos da Professora Giuliana, principalmente o livro "Lira Grega" que você pode comprar por aqui -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Participante: Giuliana Ragusa -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- Contatos do convidado: Academia.edu Vídeo sobre poesia mélica com a Profa. Ragusa Lira Grega - Antologia de Poesia Arcaica Hino a Afrodite e outros poemas -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Eduardo Oliveira Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Patricia Ussyk Paulo Peiker Rafael Resca Rafa Mello Rosenilda A. Azevedo Surya Namaskar Talita Kelly Martinez Willian Rochadel -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvinte. No Papo Lendário de hoje, vamos focar na cultura grega, ir além só da mitologia, pois falaremos da poesia lírica. Quem já pesquisou um pouco de Grécia Antiga já deve ter ouvido esse, termo, mas hoje vamos explicar o que realmente é, quem são os poetas e também as relações com os mitos gregos. E, para isso, hoje eu estou com uma convidada, ela sim que entende do assunto, já tem obras publicadas sobre o tema: é a professora Giuliana. Professora, pode ficar à vontade para se apresentar para os ouvintes. Giuliana: Boa noite a todos, então, que nos ouvem. Meu nome é Giuliana Ragusa, sou professora de língua e literatura grega, professora associada a nível docente na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Estou aqui hoje para falar, então, da lírica. E agradeço muito o convite do Leonardo. Leonardo: A gente que agradece, os ouvintes vão ficar felizes de a gente se aprofundar mais. E esse nome não é tão estranho, pelo menos quando você pesquisa a Grécia Antiga. Você até encontra, mas você tem outros nomes, mas é interessante a gente dizer, mostrar o que é em si essa poesia lírica. Giuliana: A poesia lírica rigorosamente no sentido antigo do termo, que começa a circular na época da Biblioteca de Alexandria, digamos lá pelos 200 antes de Cristo, é a poesia que se define pura e simplesmente como a canção para performance ao som da lira em modo solo ou coral e, no caso da canção coral, com a dança e associação à lira de outros instrumentos. Essa poesia era nomeada por um tempo mais antigo, que é mélica. Mélica é uma palavra que os ouvintes, se curiosos buscarem nos dicionários, não vão encontrar, porque eu estou apenas dizendo em português a palavra grega. Mas embora mélica não existe, existe o substantivo; não exista na nossa língua, sobrevive na nossa língua o substantivo melos, que é um sinônimo de meliqué - melos, que significa canção. Sobrevive no nosso vocabulário ligado justamente à dimensão que na transmissão, Leonardo, se perdeu, que é essa dimensão da música. Então a palavra melos ficou: melodia, por exemplo. Ficou nesse nosso léxico. Então lírica rigorosamente é um nome que vai aparecer posterio...
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo entrevista Jota, doutorando em Letras Clássicas, que falou sobre o tema de seu mestrado, o herói grego! Conheça a obra clássica "O Catalogo de Mulheres" e entenda como foi o fim dos heróis gregos. Conversamos também sobre o que define o herói grego, e se haveriam ou não heroinas nessas narrativas. Além de muito mais sobre esse tema. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Participante: Jota -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- Contatos do convidado: Email - jota.oliveira@usp.com.br Academia.edu Instagram pessoal - @ohelenista @afrodision -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira José Eduardo de Oliveira Silva Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Patricia Ussyk Rafael Resca Rafa Mello Rosenilda A. Azevedo Surya Namaskar Talita Kelly Martinez Willian Rochadel -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvinte. Aqui no Papo Lendário já falamos algumas vezes sobre o conceito de herói e até já citamos as narrativas de alguns, principalmente dos gregos, e hoje iremos nos aprofundar nesse tema, já que temos um convidado que fez estudos sobre isso focado em algumas obras clássicas da mitologia grega. Então, Jota, muito obrigado por tê-lo aqui no episódio e pode se apresentar para os ouvintes. Jota: Leonardo, obrigado pelo convite. Oi, pessoal. Eu sou o Juarez Oliveira, mas podem me chamar de Jota, que é como todo mundo me chama. Eu sou formado em Letras pela FFLCH-USP; fiz mestrado justamente no tema que a gente vai discutir hoje, que é o herói grego. Eu estudei uma obra chamada O Catálogo das Mulheres, atribuído a um poeta chamado Hesíodo, e nesse processo eu estudei como foi o fim da linhagem dos heróis não só nesse poema, mas também na tradição como um todo. E aí agora estou trabalhando com Afrodite no doutorado, estou estudando-a na Ilíada e na Odisseia. Leonardo: Beleza. Foi até legal você ter citado as suas pesquisas de Afrodite, que já fica para o ouvinte, quem sabe, mais um episódio sobre o tema. Jota: Opa, aí vai ser legal também. Leonardo: Bom, hoje, como então vamos falar do herói, eu achei bem interessante. Ouvinte, esse episódio é feito em cima desses trabalhos que o Jota fez. Eu achei bem interessante essa questão de ser o fim do herói, da linhagem, a questão do Catálogo das Mulheres, que é uma obra que acho que quem conhece é quem estuda mais a fundo mesmo, porque em geral muitas vezes a pessoa não ouve tanto falar do Catálogo das Mulheres, nem mesmo até por ser do Hesíodo. Quando se fala do Hesíodo, o principal mesmo é sempre a Teogonia. Mas então a gente vai entrar nesse tópico, ouvinte, mas antes eu acho legal, então, falar do herói. Vamos situar o que é o herói, porque, bom, quem é ouvinte aqui do Papo Lendário já deve imaginar, porque a gente já falou isso várias vezes, mas a ideia do herói que a gente tem atualmente, o herói moderno, por assim dizer, é diferente do herói grego. Tem a sua relação, mas não dá para a gente olhar o herói acho que de antigamente com os olhos de agora. Jota: Sim, de fato existe uma certa distância e tem alguns pontos de contato, mas existe eu acho que mais distância do que proximidades, se a gente for pensar. Quando a gente está falando do herói grego,
Apenas um aviso do retorno de nosso podcast Papo Lendário, aguardem que semana que vem será publicado o episódio 225 -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira José Eduardo de Oliveira Silva Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Marcia Regina M. Garcia Mateus Seenem Tavares Mayra Patricia Ussyk Rafael Resca Rafa Mello Rosenilda A. Azevedo Surya Namaskar Talita Kelly Martinez Willian Rochadel
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo Mitocôndria, Nilda Alcarinquë, Juliano Yamada e Pablo de Assis conversam sobre como estudar mitologias. Saiba quais cuidados você deve ter quando pesquisa fontes sobre mitologias. Entenda a diferença entre obras literárias sobre mitologia e obras academicas. Ouça algumas indicações de obras e autores para ler e pesquisar. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Mitôcondria Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Mitôcondria Participante: Juliano Yamada, Nilda Alcarinquë, Pablo de Assis -- APOIE o Mitografias -- -- LINKS -- Papo Lendário sobre "O Que é Mitologia?" -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Adriano Gomes Carreira Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Edmilson Zeferino da Silva Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Hamilton Lemos de Abreu Torres Higgor Vioto Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira José Eduardo de Oliveira Silva Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Maira Oliveira Santos Mariana Lima Mateus Seenem Tavares Mayra Nilda Alcarinquë Paulo Diovani Goncalves Patricia Ussyk Petronio de Tilio Neto Rafael Resca Rafa Mello Talita Kelly Martinez -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvinte. Hoje a gente não vai falar de nenhuma mitologia, nem de nenhum mito ou divindade, pois nosso objetivo é falar de como estudar e pesquisar sobre mitologias. É claro que a resposta mais correta é escutar o Papo Lendário e acompanhar tudo que o Mitografias publica, esse é o melhor jeito. Mas a gente pode ir além disso, e aí hoje, para falar do tema, estou aqui com o Yamada... Juliano Yamada: Olá. Leonardo: ... com a Nilda... Nilda: Olá, povo. Leonardo: ... e com o Pablo. Juliano Yamada: Oi. Leonardo: Hoje vamos ver que esse tema rende bastante. E eu tive a ideia de fazer esse episódio por causa de algumas perguntas comuns que o pessoal costuma me fazer. O pessoal que sabe que eu tenho o Mitografias e tudo, normalmente nas redes sociais ou muitas vezes pessoalmente vem me perguntar: "O livro X sobre mitologia é bom?", "Qual livro é bom para começar a estudar mitologia?", se determinado filme ou série é fiel com as mitologias ou até quantas mitologias existem. Já ouvi várias e várias vezes todas essas perguntas e muitas outras relacionadas a isso. Então esses foram alguns exemplos de perguntas, e, com isso, a gente quer tentar abordar aqui sobre como estudar mitologia. Não vai ser necessariamente algo muito aprofundado em metodologia ou coisas do tipo, mas é muito para você, ouvinte, ou quem está conhecendo agora esse episódio - vai servir bastante também para isso -, para entender como pesquisar, como é bom tomar certos cuidados quando vai pesquisar as mitologias, entender melhor como fazer isso e não depender só da gente. Mas não deixe de nos escutar. Em primeiro lugar, a gente precisa definir o que é mito e mitologia, para deixar claro sobre o que a gente está falando. Porém a gente já tem um episódio sobre isso, que é um tema que rende bastante, então a gente já fez um episódio, então a gente não vai se aprofundar nisso aqui. Fica a indicação, vai estar o link aí do episódio, até porque lá a gente mostra uma definição de mitologia, de mito, de lenda, de fábulas. Tem vários termos que a gente vai definindo lá no episódio. E, de certa forma, esse episódio é praticamente uma continuação daquele. Podem ter algumas coisas que a gente fale aqui que já sejam óbvias para quem já é nosso ouvinte de longa data, pois,
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo Mitocôndria, Nilda Alcarinquë, e Juliano Yamada conversam sobre o elfo Fëanor. Conheça o elfo Feanor, o criador das Silmarils. Entenda como essas pedras foram criadas e todos os problemas que isso causou. Ouça sobre o primeiro massacre entre elfos. Veja o porquê Melkor é o Senhor das Fofocas. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Mitôcondria Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Mitôcondria Participante: Juliano Yamada, Nilda Alcarinquë -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Adriano Gomes Carreira Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Edmilson Zeferino da Silva Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Hamilton Lemos de Abreu Torres Higgor Vioto Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira José Eduardo de Oliveira Silva Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Maira Oliveira Santos Mariana Lima Mateus Seenem Tavares Mayra Nilda Alcarinquë Paulo Diovani Goncalves Patricia Ussyk Petronio de Tilio Neto Rafael Resca Rafa Mello Talita Kelly Martinez -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvinte. Em mais um episódio do Papo Lendário sobre a mitologia tolkeniana, eu estou aqui com o Yamada... Juliano Yamada: Olá, vocês. Leonardo: ... e com a Nilda. Nilda: Olá, olá. Leonardo: A gente já falou sobre algumas obras, sobre algumas raças, sobre conceitos, mas acho que esse vai ser o primeiro episódio que faremos sobre um personagem específico da Terra Média. No caso, é sobre o elfo Fëanor. É um tema que a gente já tinha prometido, já tinham pedido e a gente estava enrolando aí para fazer. Então finalmente fizemos o episódio sobre o Fëanor. Nilda: Querendo ou não, a gente já falou um pouco sobre ele tanto no nosso episódio 112, sobre a Canção de Eru, a gente já estava mencionando-o um pouco, e tem os episódios 126, que é O Despertar dos Elfos, e o Papo Lendário 162, que é sobre Beren e Lúthien. Acabou falando sobre a origem dos elfos, como eles se dividem e tal, e no Beren e Lúthien é uma das consequências da história do Fëanor. Apesar que tem consequência na história dele que aparece até no Senhor dos Anéis, coisas e consequências da vida dele, do que ele fez e da principal obra dele, que foram as Silmarils. Juliano Yamada: Para se ter uma ideia, o Fëanor influenciou tanto que até pode-se dizer que a ideia da fabricação dos anéis surgiu indiretamente dele. Celebrimbor foi aprendiz dele. Ele foi quem fez os três grandes anéis dos elfos. Leonardo: Vamos localizar, antes de entrar nos detalhes do Fëanor, onde e quando que ele se encontra, principalmente porque é um elfo, então o quando deve ser algo bem extenso. Na cronologia desse mundo, quando ele teria vivido? Nilda: Ele nasceu antes do início da chamada Primeira Era e viveu um pouco no começo da chamada Primeira Era, sendo que, na contagem do tempo, a Primeira Era seria a primeira era após o surgimento do sol e da lua. Ele é mais velho que o sol e a lua também. Ele participou desse evento do surgimento do sol e da lua. Não participação direta dele, mas tem a ver com as guerras e com toda a vida dele. Aliás, é uma das coisas que foi difícil de fazer a pauta, porque boa parte da história do Fëanor se coloca com a história de todos os outros elfos, de todos os Valar e Maiar, que são os seres angelicais que tem - acabam se envolvendo nisso. Então, por exemplo, quando você pega a história dele para contar, no meio da história, você tem a história do Melkor,
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo Mitocôndria, Nilda Alcarinquë, Juliano Yamada e Pablo de Assis conversam sobre como o Zoroastrismo. Conheça mais sobre essa antiga religião. Ouça sobre Ahura Mazda e seu profeta Zaratrusta. Entenda se essa religião é o primeiro monoteismo da história. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Mitôcondria Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Mitôcondria Participante: Juliano Yamada, Nilda Alcarinquë, Pablo de Assis -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Adriano Gomes Carreira Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Edmilson Zeferino da Silva Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Hamilton Lemos de Abreu Torres Higgor Vioto Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira José Eduardo de Oliveira Silva Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Maira Oliveira Santos Mariana Lima Mateus Seenem Tavares Mayra Nilda Alcarinquë Paulo Diovani Goncalves Patricia Ussyk Petronio de Tilio Neto Rafael Resca Rafa Mello Talita Kelly Martinez -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvintes. Como vocês viram no título do episódio, hoje vamos falar do zoroastrismo - isso é um pouquinho trava-língua -, que é algo que já citamos algumas vezes em episódios anteriores, mas, diferentemente de outras crenças parecidas, como o judaísmo, islamismo e o cristianismo, pelo tamanho mais limitado do zoroastrismo compensa ter um episódio geral dele, diferentemente dessas outras três religiões abraâmicas, as quais o ideal é ter episódios mais focados em alguns conceitos dentro de cada uma, porque elas são muito mais complexas, por tudo que a gente tem de informação. E aí no episódio de hoje a gente está com o Pablo… Pablo: Olá. Leonardo: ... estamos com a Nilda… Nilda: Oi, oi. Leonardo: ... e o Yamada. Juliano Yamada: Olá, vocês. Leonardo: Os três vão me acompanhar durante o episódio para a gente explicar para vocês, ouvintes, o que é esse tal de zoroastrismo. Que, com certeza, vocês já devem ter ouvido, que é um pouquinho mais desconhecido, mas a gente mesmo já citou algumas vezes. Então a gente vai mostrar os detalhes mais a fundo dessa religião que ainda existe. Como falei, ele não é totalmente desconhecido, ele ainda tem e tudo mais, mas a gente não tem tanta informação dele tão facilmente quanto das outras religiões abraâmicas - essas três que a gente citou: judaísmo, islamismo e cristianismo têm muito mais informação. É comum que as pessoas já tenham ouvido falar, saibam até que é semelhante a essas três religiões monoteístas, mas não saibam muito dos detalhes. Eu mesmo não encontrei não só oficiais em si; no geral também não encontrei tanta coisa em português. Pablo: Alguma coisa me diz que talvez em persa você ache mais. Leonardo: Sim, sim, eu imagino que sim. É que aí o meu conhecimento em persa é bem menor. Em inglês eu ainda consegui entender alguma coisa. Nilda: Talvez você encontre alguma coisa em chinês. Leonardo: É, também não ajuda muito. Bom, mas então o que afinal de contas é o zoroastrismo? É uma religião bem antiga. É dito que a origem dela é anterior a 600 anos antes da Era Comum. Às vezes é colocado como sendo até quatro mil anos atrás, então seria bem antes dessa data; mas 600 a.C. é certeza que já tinha, mas antes mesmo já se imagina de ter essa religião. Teria nascido ali na região do que atualmente seria o Irã, e aí por isso que é considerada uma religião persa. Obviamente,
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo Mitocôndria, Nilda Alcarinquë, e Juliano Yamada conversam sobre como são os deuses criadores e como são os deuses que lideram. Veja quais sãos os deuses responsáveis pelas criações nas mitologias. Entenda como um deus que lidera seu panteão não precisa ser o mesmo deus que criou o mundo. Veja alguns dos padrões que temos tanto de deuses que ocupam o posto de líder e os deuses que criam. -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Mitôcondria Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Mitôcondria Participante: Juliano Yamada, Nilda Alcarinquë -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Adriano Gomes Carreira Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Edmilson Zeferino da Silva Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Hamilton Lemos de Abreu Torres Higgor Vioto Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira José Eduardo de Oliveira Silva Leila Pereira Minetto Lindonil Rodrigues dos Reis Maira Oliveira Santos Mariana Lima Mateus Seenem Tavares Mayra Nilda Alcarinquë Paulo Diovani Goncalves Patricia Ussyk Petronio de Tilio Neto Rafael Resca Rafa Mello Talita Kelly Martinez -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvinte. No episódio de hoje, vamos refletir sobre um conceito comum nas mitologias e, com isso, eu estou aqui com o Yamada… Juliano Yamada: Olá, vocês. Leonardo: ... e com a Nilda. Nilda: Olá, olá. Leonardo: A ideia desse episódio começou com uma reflexão minha ao notar a quantidade de deuses de diversos panteões que possuem o aspecto de líder, de rei ali do panteão, porém que esses mesmos deuses não foram os criadores do universo, não são o princípio em si. Ainda que sejam os mais adorados, sejam os principais, eles não são os que necessariamente criaram tudo a partir do zero. Eu comecei essa pauta com essa ideia de comparar o que seria um deus criador versus um deus regente, mas é interessante que, pesquisando nesse assunto, a gente vai vende a pluralidade que tem nas mitologias diferentes, nas culturas diferentes e como esse conceito de deus criador e o conceito também de deus líder, deus regente também pode ser bem amplo. Ainda que o objetivo aqui vá ser comparar os deuses criadores com os deuses regentes, a gente tem que ter noção de que são termos genéricos, então fica amplo quando você vai pesquisar mais a fundo, pois isso vai variar de cultura para cultura. Na verdade, a gente até vai mostrar essas variações - isso que é legal, ver essas diferenças. Enquanto que em algumas culturas, algumas mitologias, o criador é quem realmente criou tudo ali em sete dias, por exemplo, em outras a criação vem aos poucos e muitas vezes vem até de diversos deuses, não é um único criador que você pode dizer. E também a gente tem que deixar claro que o que a gente quer dizer com tais termos, porque a gente fala deus criador: a que a gente se refere nisso? Teoricamente, seria uma divindade que deu origem ao universo, deu origem aos elementos da natureza. Porque, se não definir bem, de certa forma, em algumas mitologias praticamente toda divindade é uma divindade criador, porque é comum que tenha: "A divindade pegou não sei o que lá e criou um instrumento, criou uma flauta, criou não sei o que, criou uma árvore" e tudo, então deus criador só por ter criado qualquer coisa tem de monte. Tipo, eu menosprezei os deuses, mas ok, a gente está se referindo a deuses criadores do universo, criadores do mundo. Mas a necessidade de a gente definir isso mostr...
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo Mitocôndria, Nilda Alcarinquë, e Juliano Yamada conversam sobre os deuses artifices e ferreiros. Ouça mais sobre Hefesto, o mais famoso deus ferreiro. Entenda as possiveis relações entre as aparências de personagens ferreiros Conheça o deus do furacão nos mitos maias. E ouça sobre alguns dos inúmeros deuses artífices nas diversas mitologias, desde Ptah até Varuna -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Mitôcondria Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Mitôcondria Participante: Juliano Yamada, Nilda Alcarinquë -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Adriano Gomes Carreira Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Edmilson Zeferino da Silva Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Hamilton Lemos de Abreu Torres Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira José Eduardo de Oliveira Silva Leila Pereira Minetto Leticia Passos Affini Lindonil Rodrigues dos Reis Mariana Lima Mateus Seenem Tavares Mayra Nilda Alcarinquë Paulo Diovani Goncalves Patricia Ussyk Petronio de Tilio Neto Rafael Resca Rafa Mello Talita Kelly Martinez -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvintes. Vamos falar hoje, aqui no Papo Lendário, de uma classe, um tipo, uma profissão, uma habilidade, uma característica de diversos deuses, uma forma de classificar alguns deuses, que a gente encontra em toda e qualquer mitologia. Então a gente vai fazer aquela coisa de falar de vários diferentes, várias mitologias: grega... sei lá quais tem aqui. Várias. É que grega é a mais básica, principalmente pela divindade mais conhecida dessa classe, que, bom, vocês viram aí o título, viram no post: a gente vai falar de deuses artífices ou, então, deuses ferreiros. Na verdade, a gente vai falar melhor como classificar esses deuses. Hoje estou com o Yamada, da equipe… Juliano Yamada: Olá, vocês. Leonardo:... e com a Nilda. Nilda: Olá. Leonardo: A gente sempre nota os grandes feitos dos heróis, dos semideuses e até dos deuses nas narrativas, mas a gente nunca para para pensar que, entre esses grandes panteões divinos, existem também aqueles que absorvem as funções de artífices e ferreiros; aqueles que, mesmo nunca tendo participado de grandes épicos, estavam sempre presentes ali nas narrativas. Algumas vezes, em alguns exemplos, a gente vai ter isso unindo divindades importantes e com funções de artífices; outras vezes, são divindades mais reclusas ou pelo menos mais deixadas de lado por vários motivos. E até tem algumas relações de motivos históricos, mas mais para a frente a gente fala. Mas é interessante, talvez, a gente já ver essa questão: são deuses ferreiros, artífices. O que seria uma divindade artífice? Juliano Yamada: Interessante para até fazer um adendo é que o ser humano como a gente conhece hoje começou a avançar como civilização a partir do momento em que a gente começou a fazer trabalhos que durassem mais, em que criássemos objetos que tivessem funções mais complexas. A gente deixou de ser primitivo - que simplesmente pegava um pedaço de pau e, se ele tivesse uma parte mais pesada, a gente usava como porrete; se tivesse uma parte mais afiada, a gente usava como lança - e a gente começou a fabricar essas funções. Provavelmente, acho que os primeiros materiais que a gente chegou a fabricar, que o ser humano começou a fabricar foram com o objetivo de caça ou de trabalho com o material da caça ou da produção de alimentos.
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo Mitocôndria, Nilda Alcarinquë, Juliano Yamada e Pablo de Assis conversam sobre o mito do Minotauro. Entenda nesse episódio que se você prometer algo aos deuses, cumpra! Mas ainda assim tenha cuidado. Conheça a origem de Minos e do Minotauro. Ouça sobre os demais personagens que estão ao redor do mito do Minos. Aprenda como vencer o Minotauro apenas com bolinhos de chuva. - Esse episódio possui transcrição, veja mais abaixo. -- CURSO de TAROT, Mitos Modernos e a Cultura Pop -- Acesse esse link para comprar o curso com desconto: Tarot - Os Mitos Modernos e a Cultura Pop -- LINK -- Manual dos Monstros 03 - Minotauro -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Mitôcondria Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Mitôcondria Participante: Juliano Yamada, Nilda Alcarinquë e Pablo de Assis -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Adriano Gomes Carreira Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Edmilson Zeferino da Silva Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Hamilton Lemos de Abreu Torres Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira José Eduardo de Oliveira Silva Leila Pereira Minetto Leticia Passos Affini Lindonil Rodrigues dos Reis Mariana Lima Mateus Seenem Tavares Mayra Nilda Alcarinquë Paulo Diovani Goncalves Patricia Ussyk Petronio de Tilio Neto Rafael Resca Rafa Mello Talita Kelly Martinez -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvintes. No episódio anterior, a gente conversou sobre os minoicos e como eles são anteriores aos gregos. A gente falou da religião deles e tudo mais. Mas, quando a gente fala de Creta, que é a ilha dos minoicos, e de mitologia, a gente acaba lembrando do mito do Minotauro, que vai ser o episódio de hoje. E, com isso, eu estou aqui com a Nilda… Nilda: Olá. Leonardo: ... com o Yamada… Juliano Yamada: Alô, você.
Nesse episódio do Papo Lendário, Leonardo Mitocôndria, Nilda Alcarinquë e Juliano Yamada conversam sobre os minóicos. Conheça a civilização minóica. Entenda a relação entre os minóicos e os gregos antigos. Saiba quem é a Grande Deusa minóica e diversos outros deuses da ilha de Creta. Aprenda qual a origem do famoso labirinto do Minotauro. - Esse episódio possui transcrição, veja mais abaixo. -- CURSO de TAROT, Mitos Modernos e a Cultura Pop -- Acesse esse link para comprar o curso com desconto: Tarot - Os Mitos Modernos e a Cultura Pop -- EQUIPE -- Pauta, edição: Leonardo Mitôcondria Locução da abertura: Ira Croft Host: Leonardo Mitôcondria Participante: Juliano Yamada Participante: Nilda Alcarinquë -- APOIE o Mitografias -- -- Agradecimentos aos Apoiadores -- Adriano Gomes Carreira Alan Franco Alexandre Iombriller Chagas Aline Aparecida Matias Ana Lúcia Merege Correia Anderson Zaniratti André Victor Dias dos Santos Antunes Thiago Bruno Gouvea Santos Clecius Alexandre Duran Domenica Mendes Eder Cardoso Santana Edmilson Zeferino da Silva Everson Everton Gouveia Gabriele Tschá Hamilton Lemos de Abreu Torres Jeankamke Jonathan Souza de Oliveira José Eduardo de Oliveira Silva Leila Pereira Minetto Leticia Passos Affini Lindonil Rodrigues dos Reis Mariana Lima Mateus Seenem Tavares Mayra Nilda Alcarinquë Paulo Diovani Goncalves Patricia Ussyk Petronio de Tilio Neto Rafael Resca Rafa Mello Talita Kelly Martinez -- Transcrição realizada por Amanda Barreiro (@manda_barreiro) -- [00:00:00] [Vinheta de abertura]: Você está ouvindo Papo Lendário, podcast de mitologias do projeto Mitografias. Quer conhecer sobre mitos, lendas, folclore e muito mais? Acesse: mitografias.com.br. [Trilha sonora] Leonardo: Muito bem, ouvintes. E no episódio de hoje a gente vai falar de uma civilização muito parecida com a grega, mas que não é a grega, que são os minoicos, a civilização minoica. Minoica, minoana, egeia, mediterrânea ou cretense - esses são os nomes dados à civilização do povo que cresceu na Ilha de Creta. E no episódio de hoje, então, estou com o Yamada… Juliano Yamada: Olá, vocês. Leonardo: ... e com a Nilda. Nilda: Olá, olá, povo. Leonardo: E, como disse, então a gente vai falar aí no episódio sobre a civilização minoica. Com isso, a gente vai falar um pouquinho aí da história deles e da religiosidade deles, que é bem interessante pesquisar isso aí, é bem interessante a gente ver como eles se relacionam com os gregos. E quem não conhece muitas vezes vai achar que é uma fase dos gregos, que é uma época da civilização grega, e não é bem assim. É e não é. Mas aí durante o episódio a gente explica certinho deles e mostra o porquê que eu achei tão legal essa cultura. Eles têm todas essas definições: são os minoicos, minoanos, egeios - egeios por causa da região do Mar Egeu -, mediterrâneos, por causa da região Mediterrânea, do Mar Mediterrâneo também, toda essa região, ou cretenses, porque é a Ilha de Creta. E minoico e minoano também, conforme a gente falar da religiosidade, da parte histórica, vocês vão entender também o porquê desse nome. A Ilha de Creta atualmente é a maior ilha da Grécia, ela fica mais ao sul do país, e é interessante notar que os minoicos, como eu falei, não são considerados gregos de fato. No máximo, eles seriam chamados de pré-gregos. E é dito que os gregos foram formados por quatro grupos ou etnias - ou levas, porque foi de tempos em tempos. São os jônios, os dórios, os aqueus e os eólios. E na própria mitologia a gente tem o deus Prometeu tendo como filho Deucalião. Deucalião é aquele que, com a mulher dele, Pirra, sobreviveu ao dilúvio grego. E esse casal, por sua vez, teve um filho chamado Heleno - a gente já vê a relação aí desse nome com os helênicos. O Heleno teve Doro, que gerou os dórios; Eólo, que gerou os eólios; e Xuto. O Xuto teve Aqueu - o filho de Xuto era chamado de Aqueu,
Comentários (39)

Keystone Herbett Rodrigues

Quem já jogou D&D sabe que monstro é um termo super abrangente e sem ter doutorado, rs...

Jun 22nd
Responder

maysaleao

Muito ruim, falaram vários achismos como "figuras lendárias parte mulher parte animal sempre remetem a algo assustador ou perigoso", basta lembrar da mitologia egipsia ou grega.

Nov 5th
Responder

Marcos Borja

muito bom... vc poderiam ver uma forma de alguém ajudar esporadicamente... tipo um número de pix para mandarmos algum recurso pra ajudar.....

Aug 22nd
Responder

Cristiano O Caa

Feanir o mais Brabo!!

Dec 15th
Responder

Ericksen Andrade

a pronúncia do convidado para Ragnarok é a mais correta?

Oct 12th
Responder

Thais Nascimento

ótimo episódio

Aug 10th
Responder

Thais Nascimento

minha cabeça explodiu nesse episódio 🤯

Jul 26th
Responder

Thais Nascimento

ótimo episódio

Jul 17th
Responder

Thais Nascimento

ótimo episódio

Jul 14th
Responder (1)

Thais Nascimento

muito interessante

Jul 13th
Responder

Thais Nascimento

muito bom 🥰

Jul 10th
Responder

Manoel Lucas

Se um dia alguém ler isso, aqui vai uma informação curiosa: Não foi o homem que domesticou o lobo, e sim o contrário. Os lobos ou cachorros selvagens aprenderam que viver perto dos humanos garantia a eles comida sem esforço, seja essa comida os restos dos humanos ou roubando deles. Então por seleção natural, somente os mais dócies que se aproximavam mais dos humanos sobraram, e assim surgiu o que hoje chamamos de "o melhor amigo do homem". Da mesma forma dos macacos, somente um grupo de lobo seguiu essa padrão de comportamento, explicando o motivo de ainda existirem lobos na natureza. Fonte: livro - In the Company of Animals: A Study of Human-animal Relationships.

Jun 25th
Responder

Beto

Por onde anda o Pablo Assis? Ele faz falta

Jun 9th
Responder

Sandro Massaru Ueki

Tem uma corrente que fala que Atena e Hera eram a mesma divindade, sendo tb deusa das chuvas e tempestades, representando as faces da mulher: mãe, filha e amante. Com a passagem do matriarcado para o patriarcado enfraquece a deusa dividindo-a em duas ou tres

May 13th
Responder

Sandro Massaru Ueki

Sobre essa questão do ano começar em janeiro por causa do natal já ouvi outra explicação. As funções públicas em Roma iniciavam em Janeiro enquanto as comemorações eram em Abril, por praticidade unificaram as datas, provavelmente a igreja ressignificou a posteriori, como dito no episódio. No ano novo tinham o costume de dar presentes, então as pessoas começaram a dar presentes falso em 1ºde abril, daí que vem a tradição de zueira nesta data.

May 2nd
Responder

CJ grilo

prr, esse EP é uma aula! show dms, não conhecia mas fiquei fã

Feb 5th
Responder

Augusto Vinicius

ótimo episódio

Jan 21st
Responder

Kelvin Illitch

Acredito que a trilha sonora de fundo enquanto há fala de vocês dificulta na compreensão e absorção do conteúdo.

Dec 22nd
Responder

Thais Harumi

👍

Nov 10th
Responder

Cleson Cruz

É sempre muito legal ouvir a Dra. Tupá, apaixonadamente, nos dá aulas de história. Parabéns pelo programa!

Nov 4th
Responder
loading
Baixar da Google Play
Baixar da App Store