DiscoverPopcult
Popcult
Claim Ownership

Popcult

Author: Half Deaf

Subscribed: 1,985Played: 21,719
Share

Description

A mitologia é a própria sociedade, a forma como esta se imagina, projeta e socializa seus ideias, seus anseios coletivos, reverbera seus medos. A mitologia é a estrutura de toda sociedade. A proposta deste podcast é justamente refletir sobre a nossa mitologia, aquela que adoramos (em todos os sentidos) sob o nome de “cultura pop”.
26 Episodes
Reverse
Neste episódio passamos por um tenso exorcismo dos heróis que criamos pra nós mesmos.
#23 - O Herói Americano

#23 - O Herói Americano

2021-04-2001:08:07

Nesse episódio falamos sobre o "herói real", melhor, aquele que a senso comum julga ser possível, acessível. Trata-se do "enganador extraordinário", daquele indivíduo cuja vida, existência, nos é vendida como um testemunho da nossa própria mediocridade. Uma prova de que devemos almejar mais do (e no) capitalismo. Nesse episódio citamos os seguintes filmes: Curtindo a Vida Adoidado, O Psicopata Americano, O Lobo De WallStreet, Mad Man, Breaking Bad: A Química do Mal e Sangue Negro.
O herói é, normalmente, um lobo solitário. Às vezes por uma ogeriza à humanidade, às vezes só por reconhecer que ele e aqueles que ele protege são diferentes.Mas a história de alguns heróis se encontra com a de um esforço coletivo de nós, meros mortais.Às vezes é necessário que milhares de trabalhadores se tornem uma força inescapável para que uma grande corporação se curve à vontade do povo e retorne aos heróis sua liberdade.Do que estou falando?De heróis como Clive Barker e Zack Snyder que são diretores heróis para seus fãs. Fãs esses que fizeram novas versões de seus filmes existirem por pura força de vontade.Será que nós da esquerda temos algo a aprender com os Snyderheads?Será que esses heróis da cinematografia se importam com a humanidade?Vamos olhar hoje para Liga da Justiça e Nightbreed, dois filmes cheios de desentendimentos entre estúdios e diretores, revolta popular e um final... feliz?
#21 - Popcult sobre o nada

#21 - Popcult sobre o nada

2021-03-2501:15:014

Essa temporada do Popcult é sobre heróis na cultura pop e com um tema desses seria impossível não ter um episódio dedicado a ele:Talvez a maior figura da cultura pop dos anos 90. Assumidamente inspirado pelo Super-Homem e um símbolo das virtudes e vícios da sociedade norte americana:Jerry Seinfeld.Mais especificamente a série Seinfeld na qual Jerry Seinfeld interpretou uma versão icônica de si mesmo como o epicentro de um microcosmos da existência citadina ideal de sua época:A classe média Nova Iorquina. Esse grupo que o mundo inteiro queria criticar e ser ao mesmo tempo. Essa identidade baseada no suprassumo do individualismo moderno que se encontra com oterritorialismo e excepcionalismo daqueles que "merecem" fazer parte desse grupo. De quem AGUENTA isso daqui.Resiliência? Loucura? Bairrismo? Elitismo? Uma mistura de tudo isso aí.No episódio de hoje vamos analisar como fomos guiados a nos projetar em Seinfeld, Elaine, Kramer e George e como somos, na verdade, representados por seus coadjuvantes... Ou melhor: vítimas.
Orlando e Gus decidiram enfrentar as quatro horas de Liga da Justiça de Zack Snyder juntos e sem pausar. Assim sendo esse processo foi gravado para lhe trazer uma faixa de comentário do filme que você pode (e deve) ouvir enquanto assiste. Uma companhia virtual para lhe acompanhar nessa brava jornada.
#20 - O Gênio Indomável

#20 - O Gênio Indomável

2021-03-0901:07:413

Voltamos! Nessa temporada, por meios de filmes e séries, exploraremos o mito moderno do herói, desses sujeitos extraordinários cujos atos, a própria existência, supostamente expressam as maiores qualidades da nossa sociedade - não exatamente as melhores. Nesse episódio falamos sobre os gênios indomáveis, os "cientistas malucos" da nossa ficção.Obras citadas:Rick and MortyDe Volta Para o FuturoObras Não Citadas:O Gênio Indomável
#19 - Jornalismo Verdade

#19 - Jornalismo Verdade

2020-11-2558:255

Em 1974 o mundo descobriu a história de Hiroo Onoda, um soldado japonês que passara os últimos 30 anos escondido nas florestas das Filipinas cumprindo as ordens que lhe foram designadas por seus superiores. Diz-se que Onoda se recusava a acreditar que a guerra tinha acabado e tinha plena certeza de que o homem que o encontrou - o também japonês Norio Suzuki - era um espião do serviço de inteligencia estadunidense. Onoda dizia que os jornais que Suzuki carregava consigo e lhe oferecia como prova de que o mundo havia se transformado eram manipulações baratas, pois aquele japão não poderia ser verdadeiro. Esta, como dizia o velho antropólogo, é uma história boa para se pensar. De um lado, temos um homem que, por sua ideologia, se recusava a acreditar no jornal, e do outro, um que os ostentava como uma prova do real, melhor, de um certo real.E nós, de que lado estamos? Dos críticos ou dos crentes?Obras citadas:NetworkAnchorman 2Nightcrawler
Já não podemos mais confiar na realidade. Apenas quatro empresas no mundo produzem as fragâncias e sabores de todas as coisas que compramos. Sim, do sabor de morango daquela gelatina ao "aroma de café" das capsulas de nespresso, tudo fabricado, criado em laboratório e propriedade intelectual de um punhado de pessoas. Fórmulas criadas para conceder ao consumidor uma experiência legítima, mais do que isso, supostamente uma experiência mais intensa do que aquela que teriam se consumissem os produtos originais. O sabor de morango não se parece com o sabor de um morango, sabemos. Se não podemos confiar naquilo que comemos, o que poderíamos dizer daquilo que assistimos, comumismos diariamente por meio de filmes e redes sociais.Obras citadas:Jurassic ParkÚltimo Grande Herói
#17 - Um Show de Realidade

#17 - Um Show de Realidade

2020-10-2101:27:261

Como já disse Eriberto Cricket, "na realidade eu dou um show".Mas o que isso quer dizer? Como que a realidade pode ser um show?Se a gente não consegue traçar uma linha onde o real começa e termina, somos capazes de saber quem é o show?Quem é a platéia? Quem é a orquestra? Quem é o condutor?Tudo que sabemos é que a tragédia somos nós.Obras citadas:EDtvJapan's Strangest Livestream | Nasubi | A Life of PrizesO Show de TrumanDark City
#16 - Vivendo e Aprendendo

#16 - Vivendo e Aprendendo

2020-10-1301:26:472

Todo episódio trazemos obras que, mesmo retratando aquilo que não aconteceu, passam a ter acontecido na vida de todos que lhes assistiram. Nessa temporada falamos muito sobre o conceito de kayfabe, um tipo de relação com a não real que é, de certa maneira, a mais madura possível.Hoje não vai ser diferente, vamos falar sobre como a própria realidade é uma performance em si e como somos nós e os outros platéias da nossa vida. Para ilustrar esse tema, falaremos sobre algumas obras do influente artista Jim Carrey: O Pentelho (de 1996), O Mundo de Andy (de 1999) e Jim e Andy (de 2017). Tanto Andy Kaufman quanto Jim Carrey e o protagonista de O Pentelho são indivíduos que têm sua existência totalmente moldada pelo irreal, pela televisão.Obras citadas:O PentelhoO Mundo de AndyJim e Andy
Neste episódio do Popcult que é em sua essência o crime da curiosidade transformado em lixo comunista, Gus Lanzetta e Orlando Calheiros recebem Nina da Hora para um papo sobre como a internet e as redes sociais influenciaram as manifestações políticas populares da última década. Obras citadas:V de VingançaHackersMr. Robot
Bem vindos ao Coliseu da nova era!Mais um embate sangrento para o seu prazer e escapismo.Escolha um combatente, vibre, xingue seus pares, consuma nossos snacks e refrigerantes!Nada disso importa, é só mais uma competição para lhe trazer adrenalina sem sair do sofá.É assim que somos convidados a interagir com a política hoje, como se ela fosse algo distante e imaterial ao nosso dia a dia.Por isso você pode bater palma pros vilões e rir cinicamente de quem ainda é canastrão o suficiente para professar alguma virtude esperançosa.Hoje vamos abordar esses temas pelo prisma de Ele Está de Volta e o clássico esquecido Um Pobretão na Casa Branca.Obras citadas:Um Pobretão Na Casa Branca (2003)Ele Está de Volta (2015)Ouça o 4Corners Wrestling Podcast: https://anchor.fm/fourcwp
O seu celular te ouve, as suas buscas e mensagens estão registradas em servidores que você nem sabem onde ficam.Nós já aceitamos a nova realidade em que você nem sabe mais quanto da sua vida é propriedade de corporações que, por sua vez, compartilham tudo com as autoridades.Mas quem são essas autoridades? O que elas fazem com esse conhecimento e controle?Nesse episódio vamos falar de filmes que mostram um pouco disso, seja de maneira satírica, documental ou de forma a normalizar nosso dia-a-dia no estado de vigilância.OBRAS MENCIONADAS- Dr. Strangelove- Minority Report- Weapon of Math Destruction
Estamos num grande RPG, você escolheu seu avatar (que pode ou não ser baseado em você) e criou seu perfil.Desde então você está em busca da pontuação mais alta para exibir no placar da vida: os likes.Para chegar no seu High Score você pode usar um multiplicador: seguidores.E esse comportamento não surgiu com as redes sociais, elas são só o mais recente game a tirar vantagem do vício humano em ostentar conquistas por mais etéreas que elas sejam.Para analisar esse comportamento vamos falar hoje do documentário King of Kong e dois episódios de Black Mirror, Fifteen Million Merits e Nosedive.Obras citadas:- King of Kong- Space Invaders- High Score- Black Mirror- Além da Imaginação- How TV Ruined Your Life- Garth Marenghi's Darkplace- Newswipe- Gameswipe
O quão virtual é o que acontece dentro ou por trás das telas que são a maior parte da nossa realidade?Esse podcast sempre abordou o fato de que o que vivemos através de experiências virtuais (livros, filmes, músicas, jogos, etc) molda nosso entendimento de todo o resto de nosso universo exatamente porque é só mais uma situação que vivemos. Mais uma memória que criamos.Estaria o professor Brian O'Blivion - do clássico Videodrome - correto em dizer que a tela é a retina do olho da mente? Que tudo que acontece na tela emerge como experiência crua para o espectador?A televisão (e aqui incluímos toda e qualquer tela que traz pra perto algo que veio de longe) é a realidade e a realidade é menos que a televisão?Talvez, mas ele estava bem correto em profetizar que a guerra pela mente norte americana seria travada na arena do vídeo.E o que somos nós senão mais uma colônia da cultura norte americana?Para falar sobre esse tema com Orlando Calheiros e eu temos uma convidada especial:Ela é escritora, roteirista, apresentadora, bacharel em física, pós-graduada em física quântica e co-autora de Tudo O Que A Grande Mente Capta e Celular, Doce Lar, livros que tem tudo a ver com o Pop Cult e o tema de hoje.Obras citadas:- Videodrome- Rede de Ódio (Sala samobójców: Hejter)
#10 - Macacos e aliens

#10 - Macacos e aliens

2020-08-0401:26:475

Um tema recorrente nesse podcast é como a desumanização de certos grupos é usada para firmar uma ideia de superioridade do modo de vida defendido pelos filmes de hollywood.No episódio de hoje, porém, vamos olhar para como estes mesmos filmes são muito limitados em sua capacidade de conceber uma forma de vida não humana. Sejam eles aliens, macacos, planetas, robôs ou uma mistura de todos esses.
#09 - Contágio e Epidemia

#09 - Contágio e Epidemia

2020-07-2801:24:343

No momento em que o mundo inteiro pensa no mesmo vírus e todos clamam pela salvação seja ela a imunidade de rebanho, seja a vacina ou até mesmo a cura pela cloroquina, achamos que seria o momento ideal para analisarmos como os filmes sobre doenças e catástrofes virais formam nossos pensamentos e nos influenciam a lidar com essa situação.
No longínquo ano de 2008 o Brasil estava encantado por capitão nascimento sem saber ainda que seria cativado por sua versão deputado do RJ e agora presidente da república. Nesse momento é que finalmente seria a hora das séries procedurais de polícia chegarem ao brasil.Essa coisa dos policiais toda semana com um caso diferente mostrando que eles são a última linha de defesa que protege você o cidadão comum, da bandidagem!E com isso surge a série 9MM: São Paulo e é sobre ela que conversamos hoje.
A comédia pode ser usada para criticar e expôr injustiças. Mas também pode ser usada para normalizar instituições e comportamentos nocivos. Hoje nós vamos falar de exemplos de ambos os cenários através de: Corra Que A Polícia Vem Aí (originalmente a série Police Squad e os filmes Naked Gun) e a sitcom Brooklyn Nine-Nine respectivamente.Como um desconstrói o arquétipo do policial herói e a da polícia confiável e competentee como o outro tenta dizer que policiais são seus amigos, um pessoal simpático com quem vocêquer tomar umas cervejas.Citados:Police Squad!The Naked Gun: From the files of Police Squad (Corra Que a Polícia Vem Aí)Brooklyn Nine-Nine
#06 - Policial "Rebelde"

#06 - Policial "Rebelde"

2020-07-0701:05:195

"Me entregue seu distintivo e sua arma!" Quando foi a primeira vez que você ouviu essa frase num filme ou série de TV?Eu não me lembro e aposto que você também não.Isso porque esse tropo do policial rebelde que enfrenta as regras da instituição pelo bem maior e pela justiça é um favorito da nossa cultura.Seja John McLane, Dirty Harry, Martin Riggs ou o nosso próprio Capitão Nascimento, esse esteriótipo é muito mais do que preguiça de roteiro.Ele é um dos grandes sedimentadores de uma ideologia pervasiva à nossa sociedade:de que a violência policia é não só necessária para manter a civilização, mas insuficiente se presa às normas restritivas do estado.Em outras palavras: essas obras nos ajudam a absorver a ideia de que bandido bom é bandido morto.Filmes citados:Rampart (Um Tira Acima da Lei)Observe and Report (O Policial Fora de Controle)Lakeview Terrace (O Vizinho)Last Action Hero (O Último Grande Herói)Tropa de EliteDeath Wish (Desejo de Matar)Dirty Harry (Perseguidor Implacável)Training Day (Dia de Treinamento)
loading
Comments (8)

Danilo F. Martins

1:14:25 "Eu nunca desejaria a morte de ninguém, mas alguns obituários eu vou ler com um sorriso no rosto"

Dec 5th
Reply

Danilo F. Martins

Ouvindo esse episódio percebo que preciso de um Popcult sobre Tiger King

Nov 27th
Reply

Douglas Nier

Apesar de muitas ideias serem bacanas, o ar arrogante das falas dos apresentadores, com sinalizações de virtude nas entrelinhas, deixa os episódios maçantes. Podcast feito para quem gosta punheta intelectual com pedantismo. abraços

Oct 27th
Reply (1)

Danilo F. Martins

Essas análises são muito boas. Puta merda

Oct 23rd
Reply

Thays Luiza

É incrível como com o amadurecimento e novos conhecimentos vemos obras antigas com outra visão e elaboramos outros argumentos!!!

Aug 16th
Reply

Erica Viera

Muito bom! amei demais o EP. Me fez repensar bastante sobre política e a forma como o cinema traz esses arquétipos que Jay estão intrínsecos na nossa vida.

Aug 13th
Reply

Karla Martins

Sou carioca, policial civil há 18 anos e concordo com cada palavra do Orlando. A polícia não é uma instituiçao q é atrapalhada por focos de corrupção. A polícia funciona exatamente da maneira q foi pensada para funcionar. Parabéns pelo podcast. Sou fã

Jul 9th
Reply
Download from Google Play
Download from App Store