DiscoverRádio Batente
Rádio Batente

Rádio Batente

Author: Repórter Brasil

Subscribed: 12,136Played: 57,454
Share

Description

A central de podcasts da Repórter Brasil traz em sua terceira temporada cinco histórias sobre a violência e a impunidade no campo, retratando quem são os mortos na luta pela terra no Brasil. A série Cova Medida tem apresentação de Daniel Camargos e novos episódios às quartas-feiras. Produção: Rádio Novelo.
20 Episodes
Reverse
Um ano após o assassinato de um militante do MST em um protesto por falta d'água, moradores do acampamento Marielle Vive, em Valinhos, esperam por um caminhão-pipa. E por justiça.
No Paraná, briga de bar costuma ser a explicação da polícia para a morte dos Avá-guarani. Mas as causas da violência contra indígenas no estado vão bem além.
O assassinato de Paulo Paulino Guajajara ganhou repercussão internacional - ao contrário da maioria dos que morrem no campo, na floresta, na luta. Mas as invasões à Arariboia, a Terra Indígena que ele protegia no Maranhão, continuam.
Quem senta na cadeira da presidência do sindicato dos trabalhadores rurais de Rio Maria, no Pará, entra no alvo de fazendeiros, madeireiros e grileiros.
Ao lado da sepultura de Dorothy Stang há uma cruz vermelha com o nome de 19 pessoas. Todas assassinadas. Ali, às margens da Transamazônica, a missionária norte-americana foi executada em 2005. Passados 15 anos, a disputa fundiária segue derramando sangue.
Na nova temporada da central de podcasts da Repórter Brasil, os mortos na luta pela terra. Apresentada por Daniel Camargos, a série conta a história de 5 das 31 mortes ocorridas no primeiro ano do governo Bolsonaro.
Uma análise sobre as plataformas de micro tarefas e de "turkerização" do trabalho na internet.
Uma desconstrução de narrativas falsas sobre as leis trabalhistas e uma análise de suas consequências sobre o mercado de trabalho.
O papel do movimento sindical no mercado de trabalho do futuro.
As correntes de pensamento sobre a Renda Básica, de Milton Friedman a André Gorz, e os desafios da implementação no Brasil.
Os impactos mais comuns do trabalho na saúde física e mental das pessoas.
Um debate sobre produtividade.
Um panorama histórico sobre a organização do trabalho: fordismo, toyotismo e uberização.
Os riscos e os desafios gerados pelo avanço da robotização e da inteligência artificial sobre o mundo do trabalho.
Lucas Alves dá plantão de 24 horas, duas vezes por semana. Bombeiro do Primeiro Grupamento de São Paulo, ele atende a casos que variam de uma panela esquecida no fogo a ocorrências como incêndio, desabamento ou acidente de trânsito. Na pandemia, passou a levar ao hospital pessoas com suspeita de Covid-19. A rotina de adrenalina de Lucas encerra a temporada do Jornadas.
Sandra Felipe da Silva é cobradora de ônibus na linha 7016, que liga o Jardim Ângela ao Terminal Santo Amaro, em São Paulo. Com a pandemia de Covid-19, ela ganhou uma nova função. Além de dar apoio ao motorista, Sandra também fiscaliza o uso de máscara dos passageiros. A sua rotina pelas ruas da cidade é o tema do quarto episódio do Jornadas.
Alan Batista é agente de saúde. Liliana Carvalho, enfermeira. Juntos eles são responsáveis pelo acompanhamento e atendimento domiciliar de moradores de bairros pobres. O terceiro episódio do Jornadas apresenta o trabalho deles em Heliópolis, a maior favela de São Paulo, antes e durante a pandemia.
Gisele Maia é assistente social em um abrigo para pessoas em situação de rua. Lá, ela trabalha para devolver a cidadania a homens que sofrem não apenas com a falta de moradia, mas também com a dependência química e a ausência de vínculos familiares. O segundo episódio do Jornadas é dedicado ao cotidiano de Gisele.
Bonifácio Feitosa leciona artes para alunos de 6 a 14 anos em uma escola pública de São Paulo. Além dos desafios de sala de aula, ele lida com situações como a depressão de um aluno e o acolhimento de imigrantes. A rotina de Bonifácio antes e depois da quarentena é a história que inaugura a série Jornadas.
A Repórter Brasil lança sua central de podcasts no dia 1º de julho. A primeira temporada, "Jornadas", apresentada por Natália Suzuki e Thiago Casteli, narra o dia a dia de diferentes profissionais. A segunda, com Carlos Juliano Barros e Ana Aranha, debate as questões mais desafiadoras do mercado de trabalho nos próximos anos. Episódios semanais, toda quarta-feira.
Comments (5)

Leonardo de Almeida Santos

é sempre uma guerra de narrativas... "Desoneração gera empregado, mais não tanto assim..." "Brasil tem mais processo que todos os países.. Mas não todos Somados.." "CLT não é uma cópia da Carta Italiana.. mas tem muita coisa em comum" "Código de Justiça Americana não é melhor que a Brasileira, Ela é tão diferente que não se aplica a comparação..." A narrativa tende a favorecer o mensageiro... Temos realmente de buscar por nossas próprias conclusões.

Sep 24th
Reply

Leonardo de Almeida Santos

A conclusão é que o trabalho danifica? Resumimos assim as relações de trabalho? Generalizando dessa forma??

Sep 4th
Reply

Joelcio de Araújo

Parabéns pelo trabalho, diálogo muito bem feito e igualmente claro. Esse parabéns é não somente para o Caju e a Ana, mas pra toda equipe.... estou esperando ansiosamente pelo próximo episódio. joelcioaraujo.mkt@gmail.com

Aug 19th
Reply

Paula Ranna Bezerra

Simplesmente amei essa temporada, muito bem produzida e muito gostosa de ouvir❤. Foi muito pertinente nesse momento atual de pandemia e eu acredito que tenha auxiliado para muitas pessoas compreenderem que não somente os serviços da área da saúde são serviços essenciais.

Aug 12th
Reply

Pedro Rossini

Não sei pq apareceu na minha biblioteca, mas eu gostei muito de ouvir. Eu fiquei com vontade de ver em vídeo, pois não conheço esses lugares.

Aug 7th
Reply
Download from Google Play
Download from App Store