DescobrirSexoterapia
Sexoterapia
Claim Ownership

Sexoterapia

Autor: UOL

Inscrito: 8,201Reproduzido: 123,927
compartilhar

Descrição

Ana Canosa, psicóloga e terapeuta sexual, e Marina Bessa, jornalista, recebem toda semana uma convidada para falar de sexo, sexualidade e relacionamentos. Na sexta temporada, o tema são as diferentes fases da vida --sob a ótica da sexualidade e relacionamentos. Novos episódios às sextas-feiras.
47 Episodes
Reverse
Ter um(a) filho(a) é uma revolução. Para o corpo da mulher, para as emoções dos pais, para o relacionamento do casal. Demoramos anos para achar nossa posição nesse admirável mundo novo. Será que estamos preparadas para passar por isso? Será que a vida erótica um dia voltará a ser a mesma? A sexualidade durante a gestação e o puerpério é o tema deste episódio, que tem a participação especial da apresentadora Titi Müller.
Juventude é um conceito fluido. Pode não estar na idade, mas no estilo de vida. A pessoa jovem sonha, luta visceralmente, tem crenças rígidas e um horizonte enorme de coisas ainda não definidas. Preza-se, sobretudo, as experiências e liberdades. O que quer a juventude de hoje quando o tema é relacionamento? A sexóloga Ana Canosa e a jornalista Marina Bessa recebem Bertha Salles e Taize Odelli, produtoras de conteúdo e apresentadoras do podcast PPKansada, para conversar sobre o tema.
A adolescência é um período de experimentação, de autoafirmação e autoconhecimento, essencial para formar adultos maduros e seguros. Acompanhar uma pessoa nessa jornada pode ser um processo delicioso – mas também desafiador. Neste episódio, a sexóloga Ana Canosa e a jornalista Marina Bessa recebem a também jornalista e colunista de Universa Cris Guterres para falar sobre adolescência e sexualidade.
A escritora e roteirista Tati Bernardi é a convidada do primeiro episódio da sexta temporada – dedicada a debater a sexualidade nas diferentes fases da vida –, sempre com apresentação da sexóloga Ana Canosa e da jornalista Marina Bessa. Na conversa, elas abordam por que temos tanta dificuldade em falar de sexo com nossos filhos e também, entre outros temas, como mães e pais influenciam para a criança desenvolver uma boa relação com o seu corpo e sua sexualidade.
#41: Você acredita no amor?

#41: Você acredita no amor?

2020-12-2501:06:5214

Você acredita em cara-metade? Há outras formas menos românticas de amar? Quais são os tipos possíveis de amor? Por que somos tão dependentes deles? Será que homens e mulheres vivem o amor da mesma maneira? Neste episódio, último da temporada sobre masculinidades, a jornalista Marina Bessa e a sexóloga Ana Canosa recebem o poeta Fabrício Carpinejar para discutir o amor e seu impacto na vida das pessoas.
Há quem goste de transar em situações de perigo. Há quem tenha tesão por pessoas suadas. Há quem sinta prazer em ver pés com salto alto. Há até quem goste de se comportar como um bicho de estimação. Há limites para os nossos fetiches? Vale tudo entre quatro paredes? E quem tem mais fetiches: homens ou mulheres? Acertou quem disse… homens. Pelo menos é o que indica uma pesquisa realizada no Brasil com 7 mil entrevistados, segundo a qual 15,4% dos homens fazem uso regular de fetiches, contra 10,7% das mulheres. Há pesquisadores que jogam mais alto e apostam que homens fantasiam duas vezes mais que mulheres. Será que isso é verdade? Neste episódio sobre fantasias sexuais, a jornalista Marina Bessa e a sexóloga Ana Canosa recebem Fábio Chap, escritor e criador do aplicativo erótico Tela Preta.
A psicanalista Vera Iaconelli fala sobre relações e intimidade no isolamento social neste episódio especial do Sexoterapia. "Quem ficou junto, ficou junto demais. Quem ficou separado, ficou separado demais. Perdemos o jogo de ir e vir e, no meio de todo esse percurso, muitos de nós, adoecemos", diz Vera. Ela também afirma que não sabemos tudo o que perdemos com a quarentena e que "Como se restringiu [os encontros], algumas pessoas pessoas descobriram outras formas também de se sentirem amadas. Que passam ou não pelo ato sexual em si."
Os homens costumam ser criados para reagir com violência a situações adversas – esse é um traço marcante do machismo enraizado na nossa sociedade, e os efeitos dessa cultura que incentiva a masculinidade tóxica se reflete nas estatísticas, sobretudo nas relacionadas às violências contra as mulheres. Qual a diferença entre violência e agressividade? Como o mito do amor romântico pode estar interligado à violência? Como se deu o caminho da violência em uma sociedade machista e misógina como a nossa? Como a paternidade e até mesmo a famosa "broderagem" entre os homens pode permitir diversas formas de violência em suas próprias construções? Neste episódio, a jornalista Marina Bessa e a sexóloga Ana Canosa conversam com o sociólogo Tulio Custódio.
A masculinidade hegemônica morre de medo de qualquer expressão que se aproxime da feminilidade. Será que a discussão das novas masculinidades libertará os homens para que sejam mais gentis com suas identidades e desejos? Neste episódio, a jornalista Marina Bessa e a sexóloga Ana Canosa recebem a cartunista Laerte Coutinho. Ela fala sobre como é difícil precisar conceitos quando se trata de diversidade de gênero, da relação da transgeneridade com as culturas locais, de como a ideia de cross-dressing pode ser classista e do massacre de pessoas trans no país.
Amor e sexo são antagônicos ou aliados? Como manter o desejo no casamento com rotina, filhos, contas pra pagar? A monogamia é uma opção ou uma prisão? Quais as nuances de uma relação monogâmica – ou não – na vida sexual de um casal? Dessa vez, a jornalista Marina Bessa, casada há dez anos e mãe de duas, e a sexóloga Ana Canosa, com o parceiro há 18 anos e mãe de um, abriram a discussão para ouvir o lado deles. Sexo e desejo no casamento é o tema desse episódio do Sexoterapia, que traz como convidado o fotógrafo, escritor e roteirista Pedro Fonseca, casado e pai de quatro.
#36: O machismo e o sexo

#36: O machismo e o sexo

2020-11-2049:278

Escancarado, estrutural, disfarçado, o machismo está presente no cotidiano de todas, todos e todes nós. Até aí, nada de novo. A novidade está nos movimentos de desconstrução, que tem feito muita gente repensar sua posição no trabalho, em casa e até na cama. Você já parou pra pensar no quanto o machismo afeta sua vida amorosa e sexual? A pergunta vale para homens e mulheres. Machismo é o tema desse episódio do Sexoterapia, que recebe Cláudio Serva, fundador do Prazerele, como convidado.
Qual a maior preocupação de um homem quando o assunto é sexo? Segundo a pesquisa Mosaico 2.0, realizada pelo Programa de Estudos em Sexualidade do Hospital das Clínicas da USP, o medo mais comuns entre eles é não conseguir satisfazer a parceira. Hum, será mesmo? E o que essa preocupação tem a ver com perda de ereção, ejaculação precoce, ejaculação retardada – os fantasmas que mais atormentam a ala masculina? Disfunções sexuais masculinas é o tema desse episódio do Sexoterapia, com participação do fotógrafo e influenciador digital Ike Levy.
A monogamia não é fruto do instinto: é uma construção social. A gente sabe disso, mas continua valorizando a fidelidade, tanto que esse é um dos maiores motivos de crises e rompimentos conjugais. O que é traição para você? Por que traímos? É verdade a máxima de que os homens traem mais que as mulheres? E por que pode ser tão difícil perdoar uma traição?No episódio de estreia da 5a temporada – que irá discutir somente temas relacionados a masculinidades –, Ana Canosa e Marina Bessa recebem a primeira voz masculina da história deste podcast: o jornalista e psicanalista Ivan Martins, que já escreveu e falou muito na mídia sobre relacionamentos em geral. "A relação das mulheres com o mundo e com os homens está mudando. E os homens vão mudar em resposta", diz.
Deva Geeta entrou em contato com o tantra pela primeira vez fazendo um trabalho como modelo para um curso de massagem. Naquela época, ela trabalhava como secretária-executiva e vendia brinquedos eróticos para complementar a renda. Foi a possibilidade de ganhar mais que a atraiu para o universo tântrico. Hoje o tantra não é apenas seu ganha pão – é sua filosofia de vida. Neste episódio, ela conta sobre seu processo de iniciação no tantra, a potência do nosso corpo e as diversas possibilidades de orgasmos, e também discorre sobre a técnica da massagem tântrica.
Desde criança, Bia Gremion teve um corpo considerado fora do padrão. Por ser gorda, ela sofreu todo tipo de bullying vindo de colegas, familiares e desconhecidos e, até por isso, demorou para descobrir sua sexualidade. Depois de conhecer o movimento "body positive", que luta contra a gordofobia, começou a ver beleza no seu corpo. Hoje, aos 23 anos, ela é modelo, influenciadora digital, e é feliz também na sua vida sexual. Neste episódio, Bia fala sobre sua jornada de descoberta da autoestima e o reflexo disso nos seus relacionamentos. Sexoterapia, um podcast de Universa, tem apresentação da jornalista Marina Bessa e da sexóloga Ana Canosa. O programa vai ao ar às sextas-feiras.
A promotora de eventos Luiza Freitas, 41, nasceu com pênis, vagina, testículos, útero e ovários e foi criada como menino pelos pais, que a batizaram de Luiz. Mas, desde muito cedo, por volta dos 8 anos, ela passou a se identificar com o gênero feminino. Sem compreensão ou acolhimento por parte dos pais, fugiu de casa aos 13. Aos 16, já tinha corpo de mulher, mas o nome ainda era de homem. Só conseguiu mudar essa registro quando teve uma filha, em 2012. A história de Luiza será abordada nesse episódio de Sexoterapia.
Desde que terminou seu último namoro, há 11 anos, Carla Duarte decidiu se guardar sexualmente para o seu futuro marido. Atualmente, ela coordena no Rio de Janeiro o movimento evangélico "Eu Escolhi Esperar", que tem mais de 5 milhões de seguidores nas redes sociais. Neste episódio, Carla explica por que fez essa escolha, mesmo depois de já ter tido experiências sexuais. Na conversa, reflexões sobre masturbação, dogmas religiosos, desejo (e a ausência dele) e a química entre casais.
Mel Fire é uma conhecida atriz da indústria erótica, tem um canal no Youtube em que fala sobre sua rotina de trabalho e acaba de lançar um livro no qual dá dicas de empoderamento sexual para mulheres. Neste episódio, ela vai nos ajudar a refletir sobre os benefícios e os malefícios que a indústria pornográfica pode trazer para a sexualidade de mulheres e homens.
Aos 10 anos, o filho da artista plástica Rafa Mon assumiu que gosta de meninos, de se vestir com roupas de meninas e de usar maquiagem. Para entender Davi, acolhê-lo e protegê-lo, Rafa virou ativista. Neste episódio, Rafa Mon conta a história dela e do filho. Sexoterapia tem apresentação de Marina Bessa, editora-chefe de Universa, e Ana Canosa, sexóloga. O programa vai ao ar às sextas-feiras.
A escritora Isabel Dias conta como redescobriu o sexo depois de um terminar um casamento de 32 anos. Com mais de 60, escreveu um livro e estrelou o documentário “Acende a Luz”, em que narra detalhes de suas aventuras amorosas. Sexoterapia é o podcast sobre sexo e relacionamentos de Universa, a plataforma feminina do UOL. Publicado às sextas-feiras, é apresentado por Marina Bessa, editora-chefe de Universa, e Ana Canosa, sexóloga.
loading
Comentários (46)

Ariane M. O. Pinheiro

Noooossa eu adoro fazer oral. Isso me dá tesão.

Dec 30th
Responder

Ariane M. O. Pinheiro

Certeza que vou fazer esse teste mesmo. kkkkkk

Dec 30th
Responder

Ariane M. O. Pinheiro

o livro Vagina é incrível... super indico.

Dec 30th
Responder

Ariane M. O. Pinheiro

exatamente, o meu ex terminou comigo justamente pq eu cobrava sexo dele. Fui estudar um pouco mais pq ele perdeu o interesse e o tesão, e no meio do caminho tinha alguns percursos que diminuía essa libido. Mas no final q gente acabou conversando e ele falou que ele perdeu o tesão por conta de brigas e reclamações. Hoje estamos a ano separado, mas quando se vemos o sexo é muito melhor do que antes.

Dec 28th
Responder

Ariane M. O. Pinheiro

perfeita essa colocação de "vou fazer um boquete pra ele me deixar ir embora" odeio isso mais ainda continuo me sujeitando a isso...

Dec 28th
Responder

Enthony Cichocki

a gorda q tem medo d ser julgada por padrão, mas na hra d escolher macho... tem q ser alto e malhado, né?

Nov 26th
Responder

Ricardo Pereira

O cara que se gaba de demorar pra gozar e deposita o esforço todo nisso é um inseguro.

Nov 22nd
Responder

Anny Lima

Boa noite, Ana e Marina Gosto muito do podcast de vocês. Agradeço as reflexões e aprendizados que sempre me proporcionam. Eu gostaria de indicar uma série na Netflix que trata do tema deste podcast de traição e combinados: Wanderlust. Espero que gostem. um abraço silencioso, Anny

Nov 7th
Responder

Dyane Lopes

Excelente tema. Amei e já quero ler o livro dela.

Oct 15th
Responder

Zaney Ferreira

parabéns, muito bom 👏🏻👏🏻👏🏻

Oct 8th
Responder

Letícia Sena

nunca vi uma convidada com tanto "argumento" furado, gaguejando por, claramente, não saber se fundamentar, sem poder nenhum de persuasão e a Ana Canosa plena desbancando ela na classe e com todos os argumentos sólidos e científicos.

Oct 5th
Responder

Deme Rodrigues

Adorei a conversa, q foi muito enriquecedora.

Sep 25th
Responder

Dariane Gomes

parabéns pelo episódio! tenho aprendido muito com vocês sobre diversos temas que dificilmente são discutidos em outros contextos e que acredito serem fundamentais para aprendermos a lidar com os outros e com nós mesmos.

Sep 4th
Responder

Cristiano Rodrigues

episódio sensacional!

Sep 3rd
Responder (1)

Fabiana Rosângela

Que tema legal , eu já fui convidada para ir na casa de swing .Quem me convidou , foi meu ex namorado . Eu não aceitei porque não conhecia e tbm nunca tive interesse. E não achei legal ele me convida e falar de min para outros casais no qual ele estava convidando. Acho que precisa de muita maturidade de ambos para conhecer o swing.

Aug 27th
Responder

Marta Mickaele

O melhor podcast de todos.🤩👏👏👏👏

Jul 24th
Responder

Fabiana Rosângela

Que legal e muito interessante esse assunto. Eu já saí e namorei um cara avarento no sexo, falei pra ele que não gostava do jeito que ele fazia .Mas infelizmente não adiantou em nada. Não estou mais com meu ex que Ciro acima. E depois dele não encontrei mais nenhum assim e se encontra falo de novo.

Jun 13th
Responder

Aline Lira

gostei muito do ep, só discordo que as mulheres não estão acostumadas com o papel de tentar manter a relação, pelo contrário, esse papel é colocado nas revistas, mídias, filmes e etc quase que exclusivamente da mulher. Matérias de apimentar a relação, lingerie, sex shop, quase tudo para erotização é montado para mulheres.

Jun 4th
Responder

Fabiana Rosângela

Boa tarde e simplesmente adorei a matéria e a Sônia super corajosa e sei lá. ... !!

May 28th
Responder

Luciana Vital de Paiva

Meninas! A mulherada se acha empoderada, porque virou moda e legal, e aí o cara vem e mostra o pau, ou dá um pau nela!?!! Olha os feminicidios aumentando aí....

May 22nd
Responder
Baixar da Google Play
Baixar da App Store