Claim Ownership

Author:

Subscribed: 0Played: 0
Share

Description

 Episodes
Reverse
Discutimos o fenômeno do multiverso em Hollywood, de onde surgiu o conceito e como "Doutor Estranho" e outros filmes e séries exploram essa tentadora ideia. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Nesta edição, o podcast cinematório café discute o fenômeno do multiverso. O sucesso do filme "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura" é o exemplo mais evidente de como o conceito está sendo aproveitado pela indústria cultural. Mas outros filmes e séries também embarcam na tentadora ideia de explorar realidades paralelas construídas a partir das escolhas que nós fazemos em nossas vidas. Será esta a próxima tendência de Hollywood? Este podcast está dividido em duas partes. Na primeira, exploramos a origem do conceito de multiverso e o momento em que os quadrinhos (da DC Comics e da Marvel) começaram a explorá-lo. Também relembramos filmes e séries que utilizam o conceito de multiverso em suas narrativas e discutimos o que está por trás do interesse de Hollywood por essas histórias. Na segunda parte, nós conversamos especificamente sobre "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura" (Doctor Strange in the Multiverse of Madness, 2022) -- com spoilers. O que deu certo e o que deu errado no filme da Marvel que marca o retorno de Sam Raimi (diretor de "Uma Noite Alucinante" e da trilogia original do Homem-Aranha) ao universo dos super-heróis? O uso dos elementos de horror foi uma boa saída? Transformar a Feiticeira Escarlate em antagonista funcionou? O roteirista Michael Waldron abusou do fan service? Sentam-se à mesa conosco neste podcast: Renné França, professor, crítico de cinema e diretor do filme “Terra e Luz”, Larissa Vasconcelos, jornalista e redatora do cinematório, e Karina Amélia, jornalista e uma das criadoras das Shoshannas. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
"Doutor Estranho no Multiverso da Loucura", dirigido por Sam Raimi, é um filme de super-herói diferente do que a Marvel nos acostumou a ver. Com um espetáculo visual que usa e abusa de recursos cinematográficos e efeitos visuais, o longa-metragem incorpora elementos do cinema de horror e o resultado é entretenimento de qualidade que dá novos ares à franquia. Crítica do filme SEM SPOILERS por Renato Silveira e Kel Gomes, editores do Cinematório. Conteúdo também disponível em vídeo. - Visite o nosso site e confira podcasts de cinema, críticas de filmes, entrevistas, notícias e muito mais - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema - Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br DOUTOR ESTRANHO NO MULTIVERSO DA LOUCURA (Doctor Strange in the Multiverse of Madness, 2022, Estados Unidos) Sinopse: Com a ajuda de aliados místicos antigos e novos, o Doutor Estranho atravessa as realidades alternativas alucinantes e perigosas do Multiverso para enfrentar um novo e misterioso adversário. Elenco: Benedict Cumberbatch, Chiwetel Ejiofor, Elizabeth Olsen, Benedict Wong, Xochitl Gomez, Michael Stühlbarg e Rachel McAdams Direção: Sam Raimi Roteiro: Michael Waldron Produção: Kevin Feige Direção de fotografia: John Mathieson Montagem: Bob Murawski e Tia Nolan Trilha sonora: Danny Elfman Duração: 2 h 6 min Distribuição: Disney
Analisamos "Medida Provisória", filme de Lázaro Ramos que faz forte comentário social e chama para o debate sobre várias questões que envolvem o racismo no Brasil. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Filme adaptado da peça teatral "Namíbia, Não!", de Aldri Anunciação, "Medida Provisória" imagina um Brasil em que um governo autoritário decide expulsar todas as pessoas negras do país. A decisão se dá por meio de uma medida provisória editada para supostamente reparar os séculos de escravidão. Assim, determina-se a devolução compulsória da população negra à África. O elenco encabeçado por Taís Araújo, Seu Jorge e Alfred Enoch traz ainda Adriana Esteves, Renata Sorrah, Mariana Xavier, Pablo Sanábio, Flávio Bauraqui e Emicida. Quem se senta à mesa conosco neste podcast é Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
"Como Matar a Besta", dirigido por Agustina San Martín, um filme de forte carga sensorial que se situa entre o drama e o horror. Crítica do filme por Renato Silveira e Kel Gomes, editores do Cinematório. Conteúdo também disponível em vídeo. - Visite o nosso site e confira podcasts de cinema, críticas de filmes, entrevistas, notícias e muito mais - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema - Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br COMO MATAR A BESTA (Matar a la bestia, 2021, Argentina, Brasil, Chile) Sinopse: Emilia chega a uma cidade religiosa na fronteira entre Argentina e Brasil. Ela busca pelo seu irmão desaparecido, com quem tem assuntos obscuros e mal resolvidos. Ela se hospeda na casa de sua estranha Tia Inés, próxima a floresta onde, de acordo com rumores, uma perigosa besta apareceu uma semana antes. A besta - as pessoas dizem - é o espírito de um homem mau que toma a forma de diferentes animais. Entre realidade e mitologia, humano e animal, e culpa e sexualidade, Emilia terá de confrontar seu passado. Elenco: Tamara Rocca, Ana Brun, João Miguel, Sabrina Grinschpun, Juliette Micolta Direção: Agustina San Martín Roteiro: Agustina San Martín Produção:  Diego Amson Direção de Fotografia: Constanza Sandoval Direção de arte: Agustín Ravotti     Trilha Sonora: O Grivo Montagem: Hernán Fernández, Ana Godoy Duração: 79 min Distribuição: Vitrine Filmes
Analisamos o novo "Batman" e se o filme é feliz em sua abordagem ainda mais sombria e realista sobre o universo do personagem da DC Comics. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Nesta edição, o podcast cinematório café analisa o filme "Batman" (The Batman, 2022), de Matt Reeves. A mais nova aventura do Homem-Morcego no cinema tem o ator Robert Pattinson como protagonista e se assume como gênero policial, com abordagem ainda mais sombria sobre o universo do personagem do que a trilogia "Cavaleiro das Trevas", de Christopher Nolan. Inspirado em HQs como "O Longo Dias das Bruxas", "Ano Um" e "Ego", o novo longa-metragem da DC Comics traz Batman investigando atentados contra políticos de Gotham City. Por trás dos crimes está o Charada (Paul Dano), cujos enigmas guiam a investigação de um Bruce Wayne mais detetive do que nunca. A trama também conta com personagens icônicos dos quadrinhos, como Mulher-Gato (Zoë Kravitz), Pinguim (Colin Farrell), Alfred (Andy Serkis), Gordon (Jeffrey Wright) e Falcone (John Turturro). Porém, todos mostrados de maneira mais realista, como se existissem em nosso mundo. Por isso, a pergunta: precisamos de um filme de super-herói que não é de super-herói? Sentam-se à mesa conosco neste podcast: Renné França, professor, crítico de cinema e diretor do filme “Terra e Luz”, e Larissa Vasconcelos, jornalista e redatora do cinematório.   O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
O diretor e roteirista Pedro de Lima Marques nos conta os bastidores do filme "Contos do Amanhã", ficção científica brasileira. - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Produzido de forma independente pelas produtoras Bactéria Filmes e Druzina Content, "Contos do Amanhã" é um longa-metragem de sci-fi e fantasia brasileiro de baixo orçamento. O filme estreou nos cinemas em dezembro de 2021, após ser selecionado para 27 festivais e conquistar 15 prêmios internacionais. Agora já pode ser visto nas plataformas de streaming. A trama começa em 2165, quando o sequestro de uma jovem coloca em guerra o último reduto da civilização humana. O problema é que, para salvar a humanidade, será necessário contar com a ajuda de um adolescente que vive em 1999. Mas como salvar o futuro com internet discada e um provedor de péssima qualidade? O elenco do filme traz Bruno Barcelos (Jeferson), Duda Andreazza (Bia), Anderson Vieira (Jonathas - "Pezão"), Fernanda Roggia (Luana), Bruno Krieger (Professor), Catharina Conte (Alice), Cláudia Barbot (Andrea), Daiane Oliveira (Michele), Douglas Carvalho (Observador), Simone Telecchi (mãe) e Marcelo Herrera (Comentarista). O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
Diretor fala sobre a escolha das histórias narradas no filme e relembra a censura sofrida pelo projeto quando o governo Bolsonaro tentou impedir a sua realização. - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Disponível na Netflix, "Transversais" é um dos retratos mais comoventes do cinema brasileiro contemporâneo sobre as questões que atravessam a vivência de pessoas trans. Inicialmente pensado como uma série, "Transversais" apresenta de maneira muito humana os depoimentos de quatro pessoas trans que resgatam suas histórias, seus processos de autodescoberta e de trânsitos e jornadas. São elas: a funcionária pública Samilla Marques, a professora  Érikah Alcântara, o enfermeiro Caio José e o acadêmico Kaio Lemos. Eles e elas passaram por um delicado processo de auto-aceitação até compreenderem a sua subjetividade. Também é mostrado no filme o lado de uma mulher cisgênero, a jornalista Mara Beatriz, que é mãe de uma adolescente trans. “Transversais” é o primeiro longa do jornalista e cineasta Émerson Maranhão e foi aclamado pela crítica e pelo público no Festival Mix Brasil, na Mostra de São Paulo e no Cine Ceará. A produção é assinada por Allan Deberton, diretor de “Pacarrete”. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
Poético, plácido e existencial. Analisamos "Drive My Car", de Ryûsuke Hamaguchi, produção japonesa que conquistou indicações nas categorias principais do Oscar 2022. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Nesta edição, o podcast cinematório café analisa o filme "Drive My Car" (Doraibu mai kâ, 2021), de Ryûsuke Hamaguchi. A produção japonesa foi uma das mais elogiadas pela crítica em 2021 e conquistou indicações nas categorias principais do Oscar 2022. “Drive My Car” concorre a quatro estatuetas no Oscar 2022: Melhor Filme, Direção, Roteiro Adaptado e Filme Internacional. O longa é uma adaptação do livro de contos "Homens Sem Mulheres", de Haruki Murakami, e acompanha a jornada íntima e pessoal do dramaturgo Yūsuke Kafuku (Hidetoshi Nishijima), que prepara uma encenação da peça "Tio Vânia", de Anton Chekhov, enquanto tenta se recuperar da morte repentina de sua esposa. Neste processo, a relação que ele constrói com sua nova motorista, Misaki Watari (Tōko Miura), revela-se surpreendentemente acolhedora. O filme conquistou o prêmio de Melhor Roteiro no Festival de Cannes, de onde saiu também com o Prêmio Ecumênico do Júri e o Prêmio da FIPRESCI (Federação Internacional de Críticos de Cinema). Sentam-se à mesa conosco neste podcast:  Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG, e Larissa Vasconcelos, jornalista e redatora do cinematório. Temos também a participação de Renné França, professor, crítico de cinema e diretor do filme “Terra e Luz”. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
Dois clássicos, duas refilmagens. Analisamos as novas versões de "Amor, Sublime Amor" e "O Beco do Pesadelo", que concorrem ao Oscar 2022. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Nesta edição, o podcast cinematório café analisa as novas versões do musical "Amor, Sublime Amor" (West Side Story, 2021), dirigida por Steven Spielberg, e do filme noir "O Beco do Pesadelo" (Nightmare Alley, 2021), com direção de Guillermo del Toro. Ambas concorrem ao Oscar 2022. “Amor, Sublime Amor” foi indicado a sete estatuetas no Oscar 2022: Melhor Filme, Direção, Atriz Coadjuvante (Ariana DeBose), Fotografia (Janusz Kaminski), Figurino (Paul Tazewell), Direção de Arte (Adam Stockhausen e Rena DeAngelo) e Som. O longa é uma refilmagem do clássico de 1961, dirigido por Robert Wise e vencedor de 10 prêmios no Oscar, e também uma adaptação do musical criado por Arthur Laurents, Leonard Bernstein e Stephen Sondheim. Na trama, o romance "proibido" entre Tony (Ansel Elgort), um rapaz novaiorquino, e Maria (Rachel Zegler), uma jovem imigrante porto-riquenha, acirra a rivalidade entre duas gangues separadas por suas diferenças étnicas. O elenco também conta com Mike Faist, David Alvarez e Rita Moreno. Já "O Beco do Pesadelo" concorre a quatro estatuetas: Melhor Filme, Fotografia (Dan Laustsen), Figurino (Luis Sequeira) e Direção de Arte (Tamara Deverell e Shane Vieau). O policial é baseado no livro de William Lindsay Gresham, já levado ao cinema em 1947 por Edmund Goulding. O enredo traz um homem assombrado por seu passado tentando recomeçar a vida como ajudante em um circo de atrações bizarras. Ele inicia um número como mentalista, mas acaba usando o novo "dom" para aplicar golpes na cidade grande. O grande elenco conta com Bradley Cooper, Cate Blanchett, Toni Collette, Willem Dafoe, Richard Jenkins, Rooney Mara, Ron Perlman, Mary Steenburgen e David Strathairn. Sentam-se à mesa conosco neste podcast:  Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG, e Renné França, professor e crítico de cinema, diretor do filme “Terra e Luz”. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
Analisamos "Licorice Pizza", de Paul Thomas Anderson, e "Belfast", de Kenneth Branagh, e como suas histórias são ligadas às memórias de seus diretores. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Nesta edição, o podcast cinematório café analisa os filmes "Licorice Pizza" (2021), de Paul Thomas Anderson, e "Belfast" (2021), de Kenneth Branagh. Ambos foram indicados ao Oscar 2022 e narram histórias fortemente ligadas às memórias da juventude de seus diretores. “Licorice Pizza” foi indicado a três estatuetas no Oscar: Melhor Filme, Direção e Roteiro Original. O longa acompanha o florescer de um romance entre dois jovens, na Califórnia dos anos 70: Gary, um rapaz que vive de empreendimentos aleatórios enquanto tenta realizar o sonho de ser ator, e Alana, uma moça dez anos mais velha que ainda tenta encontrar seu caminho na vida adulta. Eles são interpretados pelos estreantes Cooper Hoffman (filho do saudoso ator Philip Seymour Hoffman) e Alana Haim (cantora e compositora do trio Haim). O elenco ainda traz Bradley Cooper, Sean Penn, Tom Waits e Maya Rudolph. Já "Belfast" concorre a sete estatuetas: Melhor Filme, Direção, Roteiro Original, Ator Coadjuvante (Ciarán Hinds), Atriz Coadjuvante (Judi Dench), Som e Canção Original ("Down to Joy", de Van Morrison). O drama se passa na capital irlandesa, em 1969, quando o conflito entre católicos e protestantes obriga o pai de uma família a tomar decisões que irão impactar a infância de Buddy (o estreante Jude Hill). A convulsão social e as mudanças culturais da época são testemunhadas pelo olhar do garoto. O elenco também conta com Jamie Dornan e Caitriona Balfe. Sentam-se à mesa conosco neste podcast:  Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG, e Renné França, professor e crítico de cinema, diretor do filme “Terra e Luz”. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
Discutimos mais dois filmes indicados ao Oscar 2022: os dramas familiares "No Ritmo do Coração" e "King Richard: Criando Campeãs". - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Nesta edição, o podcast cinematório café analisa mais dois filmes indicados ao Oscar 2022: os dramas familiares "No Ritmo do Coração" (CODA, 2021), dirigido por Sian Heder e estrelado por Emilia Jones, Marlee Matlin e Troy Kotsur; e "King Richard: Criando Campeãs" (King Richard, 2021), dirigido por Reinaldo Marcus Green e protagonizado por Will Smith. “No Ritmo do Coração” foi indicado a três estatuetas no Oscar: Melhor Filme, Roteiro Adaptado e Ator Coadjuvante (Troy Kotsur, primeiro homem surdo indicado a um Oscar de atuação). O longa é uma refilmagem da produção francesa "A Família Bélier" (2014) e acompanha uma jovem que se vê em um impasse quando tem a oportunidade de mudar de cidade para estudar canto. Para isso, ela terá que deixar seus pais e o irmão mais velho, que são surdos e contam com a ajuda da caçula da família como intérprete. Já "King Richard: Criando Campeãs" concorre a seis estatuetas: Melhor Filme, Roteiro Original (Zach Baylin), Ator (Will Smith), Atriz Coadjuvante (Aunjanue Ellis), Montagem (Pamela Martin) e e Canção Original ("Be Alive", de Beyoncé e Dixson). A cinebiografia retrata o início da trajetória das irmãs tenistas Venus e Serena Williams (interpretadas por Saniyya Sidney e Demi Singleton) pelo ponto de vista do pai delas, Richard Williams, que enfrentou preconceitos e usou de muita disciplina e persistência para colocar as filhas nas quadras. Sentam-se à mesa conosco neste podcast: Larissa Vasconcelos, jornalista e redatora do cinematório, e Karina Amélia, jornalista e uma das criadoras das Shoshannas. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
Em discussão, a sátira social e política do filme "Não Olhe Para Cima", dirigido por Adam McKey e estrelado por Leonardo DiCaprio e Jennifer Lawrence. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Nesta edição, o podcast cinematório café analisa o filme "Não Olhe Para Cima" (Don't Look Up, 2021), dirigido por Adam McKay e estrelado por Leonardo DiCaprio, Jennifer Lawrence, Rob Morgan, Meryl Streep, Jonah Hill, Mark Rylance e Cate Blanchett. Indicado ao Oscar 2022 e disponível na Netflix, o longa é uma sátira social e política que critica o negacionismo em relação à crise climática (mas poderia muito bem ser a pandemia) utilizando como metáfora um cometa destruidor de planetas. O grande elenco ainda traz Timothée Chalamet, Tyler Perry, Ron Perlman e Ariana Grande. “Não Olhe Para Cima” foi indicado a quatro estatuetas no Oscar: Melhor Filme, Roteiro Original (Adam McKay), Montagem (Hank Corwin) e Trilha Sonora Original (Nicholas Britell). Sentam-se à mesa conosco neste podcast: Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG, Renné França, professor e crítico de cinema, diretor do filme "Terra e Luz", e Larissa Vasconcelos, jornalista e redatora do cinematório. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
Analisamos a releitura de ícones e códigos do western no filme "Ataque dos Cães", dirigido por Jane Campion e grande destaque do Oscar 2022. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Nesta edição, o podcast cinematório café analisa o filme "Ataque dos Cães" (The Power of the Dog, 2021), dirigido por Jane Campion e grande destaque do Oscar 2022. O título deste episódio é uma referência ao livro da cientista política e filósofa francesa Olivia Gazalé, "Le Mythe de la Virilité", cujo tema é um dos pontos centrais de discussão sobre o longa-metragem lançado pela Netflix e estrelado por Benedict Cumberbatch, Kodi Smit-Mcphee, Kirsten Dunst e Jesse Plemons. Baseado no livro de Thomas Savage, "Ataque dos Cães" é situado nos anos 1920, em Montana, Estados Unidos,  onde um vaqueiro guarda um segredo sobre seu passado. A narrativa se desenvolve nas relações psicologicamente tensas e abusivas entre ele e os membros de sua família: o irmão mais novo, a cunhada recém-chegada e o jovem filho dela. “Ataque dos Cães” foi indicado a 12 estatuetas no Oscar: Melhor Filme, Direção (Jane Campion), Roteiro Adaptado (Jane Campion), Ator Principal (Benedict Cumberbatch), Ator Coadjuvante (duas vezes, com Jesse Plemons e Kodi Smit-McPhee), Atriz Coadjuvante (Kirsten Dunst), Fotografia (Ari Wegner), Montagem (Peter Sciberras), Design de Produção (Grant Major e Amber Richards), Som (Richard Flynn, Robert Mackenzie e Tara Webb) e Trilha Sonora Original (Jonny Greenwood). Sentam-se à mesa conosco neste podcast: Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG, Renné França, professor e crítico de cinema, diretor do filme "Terra e Luz", e Daniel Oliveira, jornalista e crítico do Pílula Pop. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
Analisamos "Matrix Resurrections", uma continuação metalinguística que questiona a realidade da própria franquia e da indústria do entretenimento, além de atualizar reflexões sobre o nosso cotidiano digital. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema Nesta edição, o podcast cinematório café analisa o filme "Matrix Resurrections" (2021), dirigido por Lana Wachowski. O quarto longa-metragem da franquia traz Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss de volta nos papéis de Neo e Trinity, e apresenta novos personagens. Neste episódio, nós também fazemos uso da metalinguagem: retomamos trechos do nosso podcast Em Foco sobre a trilogia "Matrix" para discutir quais temas e aspectos dos filmes anteriores reverberam e são ressignificados em "Matrix Resurrections". Sim, o buraco do coelho ficou ainda mais profundo. Escolha entre as pílulas azul e vermelha e viaje na nossa conversa. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast!
Como Peter Jackson muda nossa perspectiva sobre o último show dos Beatles? Analisamos a estrutura narrativa do roteiro e o uso da metalinguagem na minissérie. Nesta edição, o podcast cinematório café analisa a minissérie documental "The Beatles: Get Back" (2021), dirigida por Peter Jackson, que mostra os bastidores da gravação do disco "Let It Be" e da última apresentação ao vivo dos Beatles: o inesquecível show no topo do prédio da Apple Corps, em Londres, em janeiro de 1969. Disponível na plataforma Disney+ e dividida em três partes que totalizam quase 8 horas de duração, “The Beatles: Get Back” é um prato cheio para os fãs da banda. Criada inteiramente a partir de filmagens restauradas até então inéditas ao grande público, a produção proporciona um olhar íntimo sobre o processo criativo e o relacionamento entre John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr em um momento crucial de suas carreiras. Dirigida pelo cineasta Peter Jackson (da trilogia “O Senhor dos Anéis”), “The Beatles: Get Back” foi compilada a partir de mais de 150 horas de áudio e quase 60 horas de filmagens -- conduzidas ao longo de janeiro de 1969 pelo diretor Michael Lindsay-Hogg e editadas originalmente por ele no clássico documentário "Let It Be" (1970). No podcast, nós analisamos como Jackson mudou a perspectiva que se tinha até então sobre aquele período, quando os Beatles estavam próximos de acabar com a banda. Também comentamos a estrutura narrativa do roteiro e o uso da metalinguagem, e destacamos os momentos mais marcantes que mostram os músicos criando alguns de seus maiores sucessos, incluindo "Get Back", "Let It Be", "I've Got a Feeling" e "The Long and Winding Road". Quem se senta à mesa conosco para falar sobre "The Beatles: Get Back" são Paulo Henrique Fontenelle, diretor dos documentários “Loki – Arnaldo Baptista”, “Cássia” e “Dossiê Jango”, e Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast! - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio! - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema!
Prepare-se para fazer contato imediato e aperte o play para revisitar "Marte Ataca!", a comédia sci-fi de Tim Burton que satiriza Hollywood e os EUA no melhor estilo filme B! Confira abaixo a minutagem dos quadros do podcast: 00:00:00 - Introdução 00:12:50 - Memória Afetiva: relembramos quando vimos o filme pela primeira vez e discutimos seu impacto ontem e hoje 00:48:04 - Deu Tilt: os aspectos que ficaram datados e as cenas que não funcionam mais 01:03:29 - Supra Sumo: nossas cenas favoritas 01:12:11 - Por Onde Anda: saiba o que os atores principais estão fazendo hoje em dia 01:43:05 - Música de Encerramento Neste episódio do podcast De Volta Para o Sofá, nós rebobinamos a fita até o ano de 1996 e revisitamos "Marte Ataca!" (Mars Attacks!), comédia sci-fi dirigida por Tim Burton e estrelada por Jack Nicholson, Sarah Jessica Parker, Michael J. Fox, Glenn Close e grande elenco. Satirizando ficções científicas e filmes-catástrofe, "Marte Ataca!" imagina, com muito sarcasmo, como a sociedade e o governo dos Estados Unidos lidariam com uma invasão marciana. O longa foi realizado por Tim Burton logo após "Ed Wood" e traz toda a inspiração do cineasta no universo dos filmes B. Fazendo graça também com a própria Hollywood e consigo mesmo, o diretor escalou ainda para o elenco: Annette Bening, Natalie Portman, Pierce Brosnan, Pam Grier, Jim Brown, Lukas Haas, Danny DeVito, Martin Short, Rod Steiger, Tom Jones, Jack Black e Sylvia Sidney. No programa, nós relembramos as cenas que são o "supra sumo" do filme, apontamos o que "deu tilt" e descobrimos por onde andam os principais integrantes do elenco. O De Volta Para o Sofá é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. Quer mandar um recado? Escreva para contato@cinematorio.com.br. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio! - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema!
Amigo! "Cowboy Bebop" está em alta novamente e nós analisamos o anime original, de 1998, e o remake live-action, de 2021, lançado pela Netflix. Nesta edição do podcast Escolha da Audiência, atendemos ao pedido do nosso apoiador Pedro Ivo Maia. Um dos mais influentes animes de todos os tempos, "Cowboy Bebop" foi criado pelo estúdio japonês Sunrise, tendo como líder da equipe criativa o diretor Shinichirō Watanabe. Ao lado dele, a roteirista Keiko Nobumoto, o designer de personagens Toshihiro Kawamoto, o designer de mecha Kimitoshi Yamane e a compositora Yoko Kanno apresentaram ao mundo uma série que mistura western, ficção científica, filme noir, ação e aventura, com uma estética futurista e ao mesmo tempo nostálgica, embalada por uma envolvente trilha sonora de jazz. O sucesso das aventuras dos caçadores de recompensas Spike, Jet e Faye, acompanhados da hacker mirim Ed e do cãozinho Ein, levou à série em live-action da Netflix, lançada em novembro de 2021. Estrelado por Jon Cho, Mustafa Shakir e Daniella Pineda, o novo seriado foi desenvolvido por Christopher L. Yost (roteirista de "Thor: Ragnarok" e de várias séries animadas da Marvel). Será que a adaptação ficou à altura da versão original? No podcast Escolha da Audiência, Renato Silveira e Kel Gomes analisam filmes ou séries pedidos por membros do Cineclube Cinematório e que ainda não haviam sido pauta dos nossos podcasts. Quer fazer um pedido? Venha para o Cineclube Cinematório! Você poderá participar do podcast e ainda recebe conteúdo exclusivo preparado especialmente para você. E o principal: você ajuda a gente a manter o cinematório funcionando! Conheça e junte-se a nós! Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio! - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema!
Falamos sobre as adaptações de "Duna" para o cinema feitas por Denis Villeneuve, David Lynch e Alejandro Jodorowsky.  Clássico da ficção científica e um dos livros mais influentes do gênero, "Duna" foi publicado por Frank Herbert em 1965 e narra a batalha em torno do controle de Arrakis, um planeta desértico conhecido por ser fonte da poderosa especiaria Mélange -- substância alucinógena que proporciona o desenvolvimento de habilidades poderosas e que é considerada vital para a realização de viagens espaciais. No centro da disputa por Arrakis está Paul Atreides, um jovem que acredita-se ser o "Escolhido" para liderar uma revolução contra o imperador Shaddam. No podcast, nós analisamos os prós e contras da superprodução dirigida por Denis Villeneuve ("A Chegada", "Blade Runner 2049") e estrelada por Timothée Chalamet, Rebecca Ferguson, Oscar Isaac, Josh Brolin, Stellan Skarsgård, Dave Bautista, Zendaya, Charlotte Rampling, Jason Momoa e Javier Bardem. Também comentamos a turbulenta adaptação de "Duna" feita por David Lynch ("Cidade dos Sonhos") em 1984 e o ambicioso projeto que Alejandro Jodorowsky ("El Topo") tentou realizar nos anos 1970 e que é tema do documentário "Duna de Jodorowsky" (2014). Quem se senta à mesa conosco é Renné França, professor de cinema do Instituto Federal de Goiás, crítico no Pílula Pop e diretor do longa-metragem “Terra e Luz“. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast! - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio! - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema! 0eeAh2NpSLZePeQkF6KJ
Para celebrar o aniversário de 5 anos do nosso podcast, nós relembramos filmes que se passam em festas e filmes que possuem cenas de festa memoráveis. Listamos uma centena de produções, de diversas épocas e nacionalidades, que possuem festas que ficaram na nossa memória. E olha quem nem todas acabam bem, hein? Quem se senta à mesa conosco para prosear: Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG, Renné França, professor de cinema do Instituto Federal de Goiás, crítico no Pílula Pop e diretor do longa-metragem “Terra e Luz“, e Larissa Vasconcelos, redatora do cinematório. O cinematório café é produzido e apresentado por Renato Silveira e Kel Gomes. A cada episódio, nós propomos um debate em torno de filmes recém-lançados e temas relacionados ao cinema, sempre em um clima de descontração e buscando refletir sobre imagens presentes no nosso dia a dia. Quer mandar um e-mail? Escreva para contato@cinematorio.com.br. A sua mensagem pode ser lida no podcast! - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio! - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema!
Analisamos o clássico "Os Inocentes", dirigido por Jack Clayton e protagonizado por Deborah Kerr, um dos melhores filmes de horror de todos os tempos. Confira abaixo a minutagem dos quadros do podcast: 00:00:00 - Introdução 00:06:10 - Grande Angular: saiba mais sobre o elenco e a equipe do filme 00:14:56 - Close-up: perfil da atriz Deborah Kerr 00:20:10 - Ponto de Vista: análise e comentários sobre o filme 01:21:06 - Zoom: cenas ou momentos essenciais do filme 01:27:57 - Fora de Quadro: outras adaptações de "A Outra Volta do Parafuso" para o cinema e para a TV "Os Inocentes" é baseado na novela gótica "A Outra Volta do Parafuso", escrita por Henry James. O roteiro foi adaptado por William Archibald e Truman Capote. O enredo acompanha a Srta. Giddens (Deborah Kerr), uma governanta recém-contratada para cuidar dos irmãos órfãos Flora (Pamela Franklin) e Miles (Martin Stephens), que vivem na Mansão Bly, em Essex, no Leste da Inglaterra. Não demora para que a Srta. Giddens comece a notar comportamentos estranhos nas crianças e a ser assombrada por visões de um casal de ex-funcionários da propriedade que teriam morrido no local. E essas supostas forças sobrenaturais perturbam cada vez mais a rotina da Srta. Giddens e a sua relação com Flora e Miles. Além da análise do filme em si, o nosso podcast também discute a importância da fotografia em CinemaScope dirigida pelo renomado Freddie Francis; destaca a importânica de Daphne Oram, pioneira da música eletrônica, para o design de som do filme; traz o perfil da atriz Deborah Kerr; comenta a prequela "Os Que Chegam com a Noite" (The Nightcomers, 1971), estrelada por Marlon Brando; e relembra outras adaptações de "A Outra Volta do Parafuso" para o cinema e para TV. Participam do podcast sobre "Os Inocentes": Renato Silveira e Kel Gomes, editores do cinematório, Ana Lúcia Andrade, professora de Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG, e Heitor Capuzzo, também professor de Cinema, escritor e crítico, autor dos livros “O Cinema Além da Imaginação”, “Alfred Hitchcock: O Cinema em Construção” e “Lágrimas de Luz: O Drama Romântico no Cinema”. No Em Foco, você ouve debates e análises de filmes, sejam eles clássicos, grandes sucessos de bilheteria e de crítica, produções que marcaram época ou que foram redescobertas com o passar dos anos, não importa o país de origem. Além disso, você revisita conosco a filmografia de cineastas que deixaram sua assinatura na história do cinema. Quer mandar um e-mail? Escreva seu recado e envie para contato@cinematorio.com.br. - Visite a página do podcast no site e confira material extra sobre o tema do episódio! - Junte-se ao Cineclube Cinematório e tenha acesso a conteúdo exclusivo de cinema!
Comments (16)

Ronaldo Paiva

putz que descrição informativa, avaliativa e bem pautada do filme Matrix, dentro de conceitos de cinema e de linguagem. Outros que escutei como o jovemnerd pareciam que queriam pular no pescoço da diretora.

Jan 15th
Reply

Gustavo Radames Silva Pedroza

Muito bom o programa!! O Adilson contextualizou bem os filmes, foi bem didático, foi professoral sem ser enfadonho.

Jul 18th
Reply (1)

Kel Gomes

Finalmente no ar! Nosso programa todinho dedicado a Jesse e Celine. Meu Em Foco especial de aniversário. Cinéfilos, cinéfilas e últimos românticos desse mundão, espero que gostem. 😍🎬

Apr 8th
Reply

Ronaldo Paiva

muito boa a análise do filme. parabéns.

Nov 26th
Reply (1)

Kel Gomes

Alerta de aula de cinema! =) Tô bem feliz de poder fazer esse programa com quem mais entende de Billy Wilder, a professora Ana Lúcia Andrade. "Crepúsculo dos Deuses" completa 70 anos e está disponível em streaming. Filme essencial e com protagonismo feminino de muita complexidade.

Sep 9th
Reply

Thiago Vianna

O sonho do Tim Burton deve ser poder refilmar esse filme

Jul 28th
Reply

Gustavo Radames Silva Pedroza

Adorei o convescote!!

Jun 18th
Reply

Gustavo Radames Silva Pedroza

Gostei do novo formato do programa! Relembrou um pouco do saudoso papo de redação! 👍

Mar 18th
Reply

Gustavo Radames Silva Pedroza

Adorei esse novo quadro, parabéns pela criatividade e pela dedicação. Abraços

Jan 27th
Reply

Gustavo Radames Silva Pedroza

Rolaria um podcast sobre bandersnatch?

Jan 7th
Reply (1)

Kel Gomes

Obrigada! ☺️

Nov 9th
Reply

Jakson Böttcher Argenta

vocês são demais

Nov 8th
Reply

Jakson Böttcher Argenta

vocês são demais

Aug 12th
Reply
Download from Google Play
Download from App Store