DiscoverOutras Mamas Podcast
Outras Mamas Podcast
Claim Ownership

Outras Mamas Podcast

Author: Babi Miranda e Thais Goldkorn

Subscribed: 1,415Played: 37,189
Share

Description

Construindo um novo mundo feminista, anticapitalista e antiespecista
79 Episodes
Reverse
Hoje vamos então de dicas práticas, que vieram muito graças ao veganismo, pra facilitar sua vida na cozinha e mostrar que dá pra comer bem e não passar o dia cozinhando e lavando louça. O que motivou a gente a fazer esse episódio foi perceber que, nesse momento que estamos vivendo, aumentaram muito os pedidos de comida por apps de delivery principalmente, em cidades como São Paulo e Brasília. Quem antes tinha uma rotina muito fora de casa e comia quase todas as refeições na rua, agora se viu em casa, sem muita prática e costume de cozinhar tudo o que come. Então, da próxima vez que você for abrir o app pra pedir comida ou se render a um congelado industrializado por pura preguiça ou falta de ideia, lembra desse episódio e da gente trazendo a palavra da alimentação prática vegana e saudável. Uma agradecimento pras participantes do episódio, Ju Couto @veganapratica, Ana Botelho, Marcela e Ana Liz que mandaram seus relatos pra enriquecer a nossa conversa. Esse episódio conta com o apoio da Editora Alaúde.
Convidamos Bianca Marigliani (@bimagli) pra conversar com a gente sobre testes em animais e claro, sobre o fim deles. É possível? Existem alternativas? O que tem sido feito no mundo pra essa mudança e deixarmos de vez os animais fora dos testes na indústria dos cosméticos? Bianca é bióloga, doutora em biotecnologia, se dedica ao fim do sofrimento e da exploração de todos os animais. Em 2015 ganhou o prêmio Lush Prize na categoria Jovem Pesquisador.  Que orgulho dessa mulher incrível!  Esse é um episódio há muito esperado por nós e por vocês. aprendemos um monte com a Bianca sobre a indústria e como funcionam os testes e como ter esperança com tanta notícia ruim acontecendo. Esse episódio conta com o apoio da @useahimsa , uma marca de calçados veganos que tá junto da gente lutando por um mundo mais justo todos os dias!
Se tem um item de luxo que deixou nossa quarentena mais leve e feliz foi o vibrador e sugador de clitóris que recebemos da @novapanty . Parece bobagem, mas a boa e velha siririca, seja ela da maneira mais old school, no melhor estilo Eliana — meus dedinhos — ou com toda tecnologia avançada dos novos sexshops, com vibradores que podem custar um lanche ou um rim, pode e deve te ajudar a descarregar energia acumulada, aliviar o stress, te deixar mais feliz e confiante: uma mulher gozante, que conhece e gosta do seu corpo e não aceita pouca da vida não. Falamos já um pouco sobre isso no episódio #50 — Sexualidade e prazer com @prazerela , mas agora viemos com as nossas histórias, as das criadoras da Pantynova e as das nossas ouvintes mais que especiais que enviaram suas experiências mais inesperadas para concorrer a uma cordão do amor e deixar a nossa terça feira mais animada, sexy e gozante. Ouve até o final, que tá demais! E pra quem se interessou, tem cupom de desconto no site da @novapanty . é só colocar OUTRASMAMAS e curtir as vibrações (ou o que mais você escolher!)
Chuchu tem gosto de chuchu e camarão, tem gosto de quê? Afinal, o que dá o gosto é o tempero, o ingrediente, os dois ou tem mais segredos? Convidamos nossos amigos pessoais e chefs maravilhosos @thallitaxavier  e @ruan.felixs  pra tirar essas dúvidas, bater um papo sobre as maravilhas e dificuldades da culinária vegetal e algumas armadilhas e contradições que nós, como veganos, acabamos caindo por querer convencer o mundo que nossa comida é boa ou pra tentar se conectar com a tal da nossa memória afetiva. Falamos também sobre racismo e sexismo na gastronomia, sobre o trabalho em tempos de crise e como os dois trabalham pra revolucionar a culinária vegetal no Brasil. Esse episódio conta com o apoio da @useahimsa , uma marca de calçados veganos que tá junto da gente lutando por um mundo mais justo todos os dias!
"Nós somos as fábricas de trabalhadores. Da comida às roupas e o trabalho emocional. E o sexo também é parte do trabalho doméstico. Não importa o quão cansada esteja, se é casada e seu marido quer fazer sexo, muitas de nós faremos sexo. Se dissermos não, muitas vezes eles nos obrigam"  -  Silvia Federici. Convidamos novamente nossa amiga @eagoraisadora , dessa vez como colega podcaster, no @grifapodcast , pra conversar com a gente sobre mulheres e o trabalho reprodutivo, pauta sempre atual, ainda mais em tempos de quarentena. Vem com a gente descobrir o que é a teoria da reprodução social, como ter um feminismo pros 99%, comunitário e internacional e cantar o hino do molejo com letra atualizada "não era amor, era trabalho".
Sem nenhuma dúvida esse é o nome mais estranho que já tivemos em um episódio, mas continua com a gente que prometemos informações e risadas até o final dele. Pedimos no nosso instagram e twitter (se você não segue, por favor) pra vocês mandarem perguntas pra gente sobre veganismo e afins e recebemos ótimas questões que vocês conferem aqui. Muito obrigada a todo mundo que mandou, e se você enviou e não teve sua pergunta respondida, a resposta terá um episódio só pra ela que já está programado ou responderemos nas nossas redes sociais! Então vem com a gente descobrir como amar os pombos e muito mais ❤ Esse episódio conta com o apoio da @useahimsa , uma marca de calçados veganos que tá junto da gente lutando por um mundo mais justo todos os dias!
Esse é mais um episódio da nossa série sobre trabalho que começamos no início do ano junto da nossa amiga, parceira e professora Ale Nahra, quando o trabalho já estava em crise, mas nem imaginaríamos viver nesse cenário de pandemia, isolamento e caos político e social. Vimos as realidades de desemprego e exploração das trabalhadoras piorarem nesses últimos meses, filas e mais filas pra receber o auxílio emergencial e muitas pessoas trabalhando mais do que já trabalhavam, buscando exercer a sua função no mundo para outras pessoas e empresas lucrarem. O trabalho não liberta no capitalismo, ele explora e antes que você discorde dessa afirmação, vem com a gente refletir sobre o trabalho em tempos de quarentena.
Duas matérias que chamaram atenção dos veganos e trouxeram à tona de novo a discussão sobre animais no entretenimento: os elefantes na Tailândia que estão sem trabalho por conta do Coronavírus e um zoológico na Alemanha que fez um cronograma de abate, caso a quarentena dure muito e eles não tenham renda para alimentar os animais de grande porte. No final das contas, é tudo sobre dinheiro, mas aqui a gente vai falar das vidas que são exploradas por nós, para nós. Nesse episódio, falamos das nossas experiências com animais desde a infância, de filmes e documentários que mexem com a gente, soluções possíveis dentro do sistema capitalista e como podemos viver de forma mais harmoniosa com esse seres incríveis que habitam esse mundo com a gente. Esse episódio conta com o apoio da @useahimsa , uma marca de calçados veganos. Eles foram a primeira, e até hoje única, fábrica de calçados 100% vegana do mundo. 
E, finalmente, um assunto que há tempos a gente queria trazer pro Outras Mamas: feminismo, veganismo, religião e a esquerda, o que que tem a ver? Muito honradas de responder essa pergunta conversando com essa mulher maravilhosa, militante pela frente evangélica pela legalização do aborto, vegana, ecossocialista, camarada no Subverta, a querida: Camila Mantovani. Nesse episódio falamos sobre a (falta de) fé na esquerda e a repercussão disso na falta de um trabalho de base de fato, sobre o preconceito com os evangélicos e a multiplicidade que formam esse grupo, sobre como conversar sobre veganismo com cristãos e como o movimento feminista pode mudar (e já muda) as igrejas.
“Não é sinal de fracasso abandonar algo que não tem mais sentido na nossa caminhada.”  Assim começamos esse episódio com a nossa convidada e amiga, Bruna Matos. A Bru fala sobre vida simples há muito tempo na internet, e contou pra gente como foi e está sendo essa jornada que que nos inspira a ter esse olhar leve sobre a vida, a buscar somente aquilo que é essencial para nós. Ela também tem um podcast chamado Vida Simples & outras coisas, que já tem 5 episódios e deixa a gente muito feliz de receber mais uma mulher incrível pro time das #mulherespodcasters Esse episódio conta com o apoio da Ahimsa, uma marca de calçados veganos. Eles foram a primeira, e até hoje única, fábrica de calçados 100% vegana do mundo.
Veganismo como a solução pra todas as mazelas do mundo, shot de cúrcuma que previne o corona e emagrece, veganismo que critica os maus-tratos aos animais, mas bate palma pra empresa que faz produto vegano, ao mesmo tempo, que demite funcionários em tempos de corona. Vamos conversar sobre como um discurso pode ser oportunista e de que maneiras podemos mudar o mundo sem culpabilizar ninguém e ainda assim construir um novo mundo com solidariedade e compaixão pós-corona.
Convidamos a nutricionista e comunicadora Bruna de Oliveira, para contar pra gente como ela se alimenta coletando quase 80% da sua comida. Bruna é uma mega estudiosa e conhecedora das PANCs, as Plantas Alimentícia Não Convencionais. Falamos sobre não desperdício, sobre criatividade e autonomia, sobre responsabilidade e saúde individual e coletiva. Muito aprendizado e muitas ideias de como podemos nos organizar em tempos de crise.  Se não é disso tudo que estamos precisando nesse mundo, não sabemos mais o que pode ser!
Nos nossos pedidos pra 2020, quem iria imaginar que logo no terceiro mês estaríamos todas trancadas dentro de casa, isoladas em confinamento tipo Big Brother, só que ainda mais solitário e sem prêmio no final. Nenhuma previsão foi capaz de arriscar situação mais distópica que essa, todas as séries sobre futuros catastróficos agora estão acontecendo bem diante dos nossos olhos. A gente sabia e já alertava da gravidade da destruição do planeta, as crises ambientais, sociais, mas bem, não imaginávamos que seria assim. Nesse episódio vamos exercitar nosso senso de responsabilidade, coletividade e manter nossa saúde mental pra enfrentar os próximos meses que virão. 
Num mundo de influencers padrão, representando um veganismo branco, rico e de mercado, ver essa mulher sapatão, periférica, negra, estudante falando de um veganismo simples, popular e incentivando tantas pessoas a repensarem seus hábitos enche o coração de quentinho.  Hoje, convidamos a Luciene Santos, do perfil @sapavegana no Instagram e no Twitter pra conversar com a gente sobre veganismo popular, racismo, visibilidade lésbica e muito mais.
“A Política Sexual da Carne é uma Teoria que surge da raiva do que existe. A teoria engajada torna possível a mudança. A teoria engajada expõe problemas, mas também oferece soluções.” — Carol J. Adams 2020 completa 30 anos do lançamento do livro A Política Sexual da Carne, escrito pela ativista norte americana Carol J Adams. Se você conhece um pouco desse podcast sabe que esse livro é o motivo da criação do Outras Mamas. Tudo começou lá em abril de 2018, quando lançamos o primeiro episódio e seguimos por mais oito, discutindo sobre o conteúdo do livro, que tinha acabado de explodir nossa cabeça e fazer com que enxergássemos a conexão entre o veganismo e o feminismo. Por isso, não podíamos deixar de comemorar esse aniversário de 30 anos e esse é só o primeiro episódio ao longo desse ano. Vem a gente comemorar!
Falar sobre medicina de um jeito que faça sentido pra sociedade que a gente vive e ajude a construir aquela que a gente quer ver, que se preocupa com o bem estar do indivíduo de maneira ampla, que entende as questões sociais que nos atravessam e que considera como saúde também a maneira que cuidamos do nosso planeta. Isso é a saúde planetária que a médica da família, feminista, vegana, musicista e muito mais, Mayara Floss tem pra compartilhar nesse episódio. Como médica da família, falamos também do SUS e dos desafios enfrentados no dia-a-dia em meio ao atual contexto político, econômico e social que nos encontramos.
Iniciamos a 5ª temporada desse podcast com esse projeto lindo que criamos com a Ale Nahra: Trabalho em Transição, grupos de discussão para alternativas gentis ao trabalho e ao sustento. A gente sempre está questionando tudo e criticando os modelos de trabalho dentro dos moldes capitalistas, com horário de 9 às 18/19/20, horas extras e hierarquias de gênero, classe e raça, só que na hora de coloca isso na prática, é muito difícil, porque temos conta pra pagar. E aí que entra a contradição, que é do sistema e não nossa: o capital e o trabalho da forma que nós conhecemos hoje não nos permite viver uma vida plena, em que a nossa identidade não dependa do nosso trabalho. Mas e aí, existe uma forma de trabalhar fora dessa lógica? Se eu largar tudo e for morar no meio do mato, plantando minha comida e vivendo de trocas eu resolvi o problema? Vem com a gente construir novas formas de trabalhar e se relacionar juntas! PDF com orientações sobre os grupos aqui!
Convidamos Isabel Wittmann do podcast Feito Por Elas pra aproveitar esse clima de Oscar e conversar com a gente sobre cinema, e principalmente sobre mulheres no cinema. O Feito Por Elas é um espaço pra crítica, discussão e divulgação dos trabalhos de mulheres no cinema. A gente ama demais e não tinha como não chamar elas pra esse episódio. ❤ Gravamos esse episódio dias antes do Oscar, então falamos das nossas opiniões sem acreditar que Parasita ia levar hein? E, falando em Oscar é bem chocante que mesmo com toda movimentação dos discursos de identidade e representatividade, ainda que de forma liberal, a academia mal nomeie mulheres pra categoria de melhor direção. Partimos então de um texto da Marina Person pra discutir sobre as cerimônias de premiações, crítica de cinema e a importância da subjetividade e representatividade na telona.
A convidada de hoje foi uma indicação de outras mulheres fodas que já passaram aqui: Ale Nahra e Juliana Gomes do Comida Saudável pra Todos (eeee rede boa essa), então não tinha como não querer ela aqui pra vocês conhecerem também:  Cristiana Maymone é nutricionista, pela Universidade Federal de Pernambuco e mestre em Saúde Pública, pela Faculdade de Saúde Pública da USP, especialista em saúde indígena e especialista em saúde da família e pós graduada em medicina familiar em Cuba, além de tudo é recifense, vegana e cultiva sua própria horta e acredita na alimentação muito além dos nutrientes.  Ela começou explicando pra gente o que são os sistemas alimentares, que pode ser rural, em transição ou industrial. E como essas diferenças impactam em todos os aspectos, sociais, ambientais, de saúde. A gente curtiu e aprendeu demais com essa conversa, esperamos que vocês também!
E voltaaaaamos! Finalmente saiu primeiro episódio do ano e que ano teremos hein gente? Por aqui estamos numa fase mega confiante de que 2020 será melhor! E como a gente sabe que início de ano é aquele momento pra gente se organizar, colocar na prática aquelas metas e promessas, a gente por aqui vai te ajudar pra 2020 ser o ano que você vai veganizar de vez! Escuta aí esse episódio que tá cheio de dicas, aleatoriedade e teorias sobre o veganismo que a gente acredita. obs: sim, tem um cachorro latindo ao fundo somente quando a Thais fala. Não é efeito, é vida podcaster, sem estúdio, real.
loading
Comments (62)

plank

Sovar a massa pra descontar a raiva do presidente kkk que ícone!

Jun 28th
Reply

Sam

Eu ainda não tinha parado para prestar a atenção nessa música do Marron 5, realmente, repulsiva e mostra escancaradamente como apesar de serem dois movimentos diferentes, se entrelaçam! Tô amando maratonas vocês !

Jun 17th
Reply

Paulinha Silva

Adorei ❤️

Apr 29th
Reply

Paulinha Silva

Maravilha ❤️

Apr 26th
Reply

Paulinha Silva

Quando vocês se referem ao sistema, o que é que vocês entendem por sistema? Estão-se a referir a 100 ou + pessoas que pertencem/trabalham para/no governo ? Quando dizem que a culpa não é nossa mas sim do sistema fodido, a quem se referem como responsáveis do tal sistema fodido ? Referem-se ao Bolsonaro ? ao Trump? e por aí fora ? Se é isso, eu acho que dizer tal coisa é que é injusto! Pois não é o governo quem sustenta a população, mas sim a população que governa e sustenta o governo e o mundo a sua volta. A indústria animal, tal como a farmacêutica, são indústrias muito rentáveis para os ricos, e quem sustenta os ricos ? Nós os "pobres" O Consumismo é causado pelo os menos abastados (maioritariamente) mas não é culpa do governo, nem dos líderes/chefes das multi-nacionais, pois só se nós comprarmos o que eles vendem e promovem é que lhes será rentável! Daí a má distribuição do dinheiro pelo mundo fora. Pois as pessoas nem sempre pensam quando compram seja o que for, não pensam a quem estão a entregar o seu pouco dinheiro, e para que é que estão a contribuir! No caso do consumo de produtos animais, estamos a contribuir para a fome em muitas partes do mundo como a África. Por isso a tarefa do veganismo, que eu prefiro chamar de ambientalismo, é alertar para a falta de consciência geral. " Essas carnes tão sendo distribuídas assim.." porque as pessoas compram se não nem eram distribuídas de todo. . Ou seja nós temos SIM de nos culpabilizar=Responsabilizar a nós mesmos! Pois as poucas centenas de pessoas no governo não se compara à força de milhões de pessoas fora dele! O que quero dizer com isto é que o povo está sempre à espera de centenas de "gatos pingados" para lhes dizerem como e resolverem todos os problemas no mundo como a fome, a economia, o aquecimento global, mas isso é algo completamente absurdo=Comodismo... 1° Porque sabemos que a maior parte dos nossos governantes são gananciosos e egoístas é a sua condição de vida, ou seja não interessa o que digamos , eles vão sempre a pôr os seus interesses pessoais a frente! 2° Imaginamos que eles até ditavam leis maravilhosas, mas se as pessoas não mudarem realmente as suas acções não adianta de nada o que está escrito em papel. . Temos de aceitar de uma vez por todas que o governo não passa de uma ilusão , que fomos todos nós que criamos o capitalismo e que decidimos se continuamos contribuímos o ou não para o capitalismo. CADA UM DE NÓS. O petróleo não vale nada se o povo não pagar para encher o deposito. Os futebolistas nunca ganhariam mais que os médicos e outras profissões essenciais se o povo não gastasse o pouco dinheiro que tem em tudo que tem a ver com o futebol. O aquecimento global diminuiria drasticamente se o povo deixasse de consumir carne. Resumindo: Os ditos governantes têm pouco poder sobre o mundo, apesar de nos terem feito acreditar o contrário. . O ser humano não é de todo uma espécie horrível , somos uma espécie maravilhosa como qualquer outra, no entanto estamos desconectados da nossa essência. Como o Sadhguru disse " A única coisa que precisa de ser arranjada no planeta são os seres humanos, tudo o resto está bem" Resumindo: Tudo nesta vida é sobre dar e receber, semear para colher, e claro que este vírus fomos nós que o plantamos conscientemente ou inconscientemente, é o tal KARMA! Claro que ninguém o fez por mal, mas sim por não estarem cientes dos seus atos, daí termos de ser firmes quando alertamos para o sofrimento dos animais e a destruição do planeta. Se os veganos quisessem assim tanto a aniquilação do ser humano, não estavam a lutar tanto para a salvar. Estamos sim em estado de urgência. Pois a principal causa do aquecimento global é a pecuária. O problema é que muitos se nós não percebe que já não temos muito tempo para resolver as coisas.

Apr 15th
Reply

Debora Helena de Rezende Rodrigues

ai gente, vocês são muito maravilhosas! 🥰

Feb 19th
Reply

Bruna Padilha

Manxs.. coloquem os nomes de astrologxs citadxs no episódio.. por favor!

Dec 17th
Reply

Jean Farias M. Rosewarne

simmm relatem no insta, seria super interessante. quem sabe um desafio chamando outras pessoas!

Nov 27th
Reply

Jean Farias M. Rosewarne

tem jambo no Ceará tb. e a rua fica toda rosa na época da estação. que episódio lindo!!!

Nov 27th
Reply

Grazielle Garcia

Gente , qual o nome do livro?

Nov 1st
Reply

Fernanda Lima

compersão 🤗

Oct 21st
Reply

Debora Helena de Rezende Rodrigues

as falas mais sensatas sobre o que a Paola Masterchef disse no twitter se referindo ao hambúrguer do futuro

Oct 17th
Reply

Vanessa Cordeiro

Amei! Concordo com tudo que cês falaram, não tinha nem pensado em algumas coisas.. Um ponto que eu queria destacar é que eu sou nordestina, do sertão, e cara... não lembro de ter ido ver um filme brasileiro no cinema em que me sentisse tão representada. Para além de representar o nordeste de uma forma não caricata etc, pra mim foi incrível, incrível mesmo, sentir que cada uma daquelas pessoas poderia ser minha vizinha, minha tia, minha vó sabe? Não ter aqueles atores que parecem que saíram de capa de revista e ao mesmo tempo tanta gente linda! Saí orgulhosa da nossa beleza

Oct 2nd
Reply (1)

Tathiana Reis

Que episódio lindo meninas! parabéns xx

Sep 30th
Reply

Maria Izabel

Amei ❤

Sep 17th
Reply

vitorio simioni

brabo

Sep 15th
Reply

Carol Alencar

encaminhando pra um monte de gnt

Mar 17th
Reply (1)

Santiago Luz

Mais um ótimo episódio! Para quem quiser se aprofundar no entendimento da espiritualidade dos animais através da doutrina espírita, sugiro fortemente a leitura do livro O Evangelho Dos Animais, da Sandra Calado/Asseama.

Mar 15th
Reply

Geovanna Guimaraes

Muito booom

Feb 27th
Reply

Ana Catarina gomes antunes

Fadas sensatas!

Feb 26th
Reply
Download from Google Play
Download from App Store