Claim Ownership

Autor:

Inscrito: 0Reproduzido: 0
compartilhar

Descrição

 Episodes
Reverse
Infelizmente tem se tornado comum casos de violência doméstica extrema que terminam em tragédia. Em muitos desses episódios, as crianças pedem socorro, sem sucesso. No caso do menino Bernardo, ele chegou a ir ao Conselho Tutelar, mas, com a omissão do poder público, acabou assassinado. Agora, Henry, uma criança de apenas 4 anos, disse ao pai que não queria voltar para a casa onde a mãe vivia com o padrasto. 1. Por que é tão difícil para os pais e familiares em geral enxergarem os pedidos de socorro das crianças em risco real? 2. Como identificar os sinais de alerta em casos de violência contra crianças, sobretudo as menores de 5 anos? Que tipo de comportamento não pode, de forma alguma, ser ignorado pelos responsáveis? 3. Os sinais de alerta dos casos de violência física diferem dos de violência sexual e psicológica? 4. Ao ser alertada pelo pai biológico de Henry sobre as queixas da criança a mãe, disse que era mentira, fruto do difícil processo de adaptação do menino ao divórcio dos pais. Crianças realmente mentem sobre esse tipo de coisa? Ou Leniel, pai de Henry, foi ingênuo ao acreditar na versão de Monique? 5. Na mesma linha de raciocínio, como diferenciar fantasia típica de crianças muito pequenas da realidade? 6. Como superar o luto da perda de um filho que, ainda por cima, vem carregado de um sentimento de culpa causado pelo fato de ter se omitido diante do pedido de socorro da criança? 7. Que atitudes os pais ou responsáveis podem tomar quando se deparam com um ou alguns desses sinais de alerta que partem das crianças vítimas de violência extrema? E qual o papel da escola ou creche neste sentido? 8. No caso das crianças que sobrevivem a episódios de violência doméstica extrema, quais são as consequências? 9. Crianças vítimas de agressão física, psicológica e/ou sexual tendem a reproduzir esses comportamentos na vida adulta? 10. Ao se confirmar o óbito de Henry, o suposto assassino teria dito: “Vamos virar essa página, vida que segue. Faz outro filho”. Você diria que comportamentos com esses, que denotam frieza – para dizer o mínimo – e agressividade, que beira o sadismo, são compatíveis com o perfil de um psicopata? 11. O que dizer da postura da mãe, que não comunicou a agressão prévia à polícia, não afastou o filho do convívio com o agressor e, para completar, acobertou o crime? É um comportamento patológico? As respostas a essas e outras perguntas estão na entrevista dada para o Podcast do Portal Muita Informação, que está no ar desde 13/04/2021. Psicólogo alerta sobre como identificar sinais de violência em crianças Quer saber mais sobre o autor, comentar e dar sugestões, acesse: www.sergiomanzione.com.br ou @psicomanzione (Instagram, Face, Twitter).
REJEIÇÃO

REJEIÇÃO

2021-02-2717:573

1. O que a gente pode considerar como rejeição, seja pela gente ou por alguma ideia que a gente levante, e de que forma essa rejeição pode interferir no nosso psicológico? 2. A rejeição pode fazer com que uma pessoa, por medo de viver isso novamente, acabe se escondendo, escolhendo não encarar a vida e os desafios de frente? 3. A rejeição faz parte das nossas vidas. Como fazer para aceitá-la? Como se preparar e até preparar os nossos filhos para os momentos de recusa sem levar isso para o pessoal ou deixar se abater? 4. E quando a rejeição é amorosa, como conviver com ela? Tem gente que, após uma separação perde o chão. Como cuidar da nossa mente para não permitir isso? 5. Ontem, na eliminação do Big Brother, muito se falou sobre rejeição. A pessoa que foi eliminada vai ter que lidar com a pressão das redes sociais e com um nível pesado de exclusão. O que vai precisar ser feito para que ela mantenha a saúde mental diante de tudo isso? 6. As pessoas estão cada vez mais necessitadas de aprovação e aceitação? O fenômeno de likes e visualizações nas redes sociais pode ser um exemplo disso? As respostas a essas e outras perguntas estão na entrevista dada para o programa Café Duplo, que foi ao ar na Rádio Câmara em 24/02/2021. Quer saber mais sobre o autor, comentar e dar sugestões, acesse: www.sergiomanzione.com.br ou @psicomanzione (Instagram, Face, Twitter).
1. O que a gente pode chamar de saúde mental? Existe alguém que tenha plena saúde mental ou esse é um trabalho para a vida toda? 2. Muitas vezes nos colocamos em situações que não nos fazem bem, mas não percebemos isso até que algo realmente grande aconteça. como a pessoa pode identificar que não está vivendo um bom momento? Qual é o primeiro passo que uma pessoa deve tomar para sair dessa inércia e começar a buscar a sua saúde mental? 3. Como diferenciar os problemas e estresses diários de falta de saúde mental? qual é o limite disso? 4. É verdade que todo mundo deve fazer análise? 5. O que fazer quando um paciente cria dependência de ter aquele amparo do analista ou psicólogo? O que fazer quando essa busca constante por ajuda também mascara a falta de saúde mental? 6. A ansiedade é um outro grande problema social. A rotina que nós temos nos leva, muitas vezes, para esse caminho. Contudo, é um assunto que também tem sido cada vez mais discutido. Por que os casos de ansiedade continuam aumentando, mesmo que esse assunto esteja sendo tão debatido, bem como as soluções para conseguir driblar essa ansiedade? 7. Por que o Brasil tem números tão grandes com relação à depressão e a ansiedade? Não existe um estereótipo de que povo brasileiro é um povo feliz “mesmo diante de tudo”?  Isso condiz ou é uma imagem que tentam vender da gente? As respostas a essas e outras perguntas estão na entrevista dada para o programa Café Duplo, que foi ao ar na Rádio Câmara em 13/01/2021. Quer saber mais sobre o autor, comentar e dar sugestões, acesse: www.sergiomanzione.com.br ou @psicomanzione (Instagram, Face, Twitter).
Ano Novo vida nova e velhos problemas? A solução dos problemas vem da pessoa ou de fora dela? Como lidar com a frustração de 2019? O culpado são sempre os outros?  A pessoa é sempre a vítima? Como definir os objetivos e metas para o ano novo? Como lidar com as pressões sociais crescentes, inclusive de idade? As respostas a essas e outras perguntas estão na coluna apresentada pelo Psicólogo Sergio Manzione, que foi ao ar na Rádio Câmara em 01/01/2020. Quer saber mais sobre o autor, comentar e dar sugestões, acesse:  linktr.ee/psicomanzione ou @psicomanzione (Instagram, Face, Twitter). 
Tragédias como a de Brumadinho nos mostram o pior e o melhor do ser humano. Mostram o descaso com a segurança das pessoas e o desprezo pelo outro, mas também a solidariedade e a caridade. Infelizmente, o lucro está acima de tudo e o descaso acima de todos.
Fanatismo Religioso

Fanatismo Religioso

2018-12-0318:131

Quais são as causas que levam uma pessoa (ou um grupo) a ter atitudes radicais e se transformar em um fanático? Por que as pessoas passam a defender cegamente uma ideia, instituição ou time de futebol? O fanatismo religioso pode ter o racismo como pano de fundo?
Racismo e Saúde Mental

Racismo e Saúde Mental

2018-11-2808:451

O racismo é inato ou construído culturalmente? A opressão sobre a vítima de injúria racial ou racismo pode causar algum problema psíquico?
Ciúmes

Ciúmes

2018-11-1917:402

Sentir ciúmes é normal e "apimenta" a relação? Ciúmes em excesso é uma doença? O que fazer?
Inveja

Inveja

2018-11-1214:324

Por que alguém sente inveja? Existe inveja "do bem"? Somos invejosos e não sabemos?
Assédio Moral

Assédio Moral

2018-11-1209:432

Afinal, o que é assédio moral? Como identificá-lo? O que fazer se você for a vítima?
Síndrome do Pânico

Síndrome do Pânico

2018-11-1216:101

A ansiedade por chegar no extremo e desencadear um conjunto de sensações angustiantes e assustadoras. O que é a Síndrome do Pânico? Tem cura? O que se pode fazer para prevenir um ataque? O que fazer se o ataque de pânico vier?
O tema foi abordado novamente na Rádio Câmara. O que é esse fenômeno social que dissemina o ódio pelas redes sociais? Há como se proteger dos ataques?
Medos e Fobias

Medos e Fobias

2018-11-1204:121

Medo e fobia são a mesma coisa? Ter medo é algo normal? A fobia é uma doença? Existe tratamento?
A depressão é uma doença e precisa ser encarada como tal por todos. Muitas vezes o desconhecimento de quem convive com o deprimido pode atrapalhar o tratamento. Como lidar com isso?
The very first episode of Psicologia no dia-a-dia!
Perguntas dos Ouvintes nº 53 1) O que fazer quando o luto domina a minha vida e dos meus familiares também? 2) Tenho medo de envelhecer, isso é normal? 3) Porque problemas paternos me atingem tanto e muda nossa vida completamente. Não conheci meu pai. 4) O que é Síndrome de Peter Pan 5) Tenho problemas em me comunicar com colegas de trabalho, o que eu faço? 6) Fumo muito e não consigo parar de fumar, será que está na hora de pedir ajudar e me internar numa clínica de reabilitação? As respostas a essas e outras perguntas estão na coluna semanal “A Voz da Consciência”, que foi ao ar na Rádio Câmara em 18/05/2022. Quer saber mais sobre o autor, comentar e dar sugestões, acesse: www.sergiomanzione.com.br ou @psicomanzione (Instagram, Face, Twitter).
1) O que é a Síndrome do Impostor? 2) Quais os principais sinais? 3) É possível identificar quais são as causas? 4) A Síndrome do Impostor tem tratamento? As respostas a essas e outras perguntas estão na coluna semanal “A Voz da Consciência” do programa Café Duplo, que foi ao ar na Rádio Câmara FM em 11/05/2022. Quer saber mais sobre o autor, comentar e dar sugestões, acesse: www.sergiomanzione.com.br ou @psicomanzione (Instagram, Face, Twitter).
Perguntas dos Ouvintes nº 52 1. Sinto-me sozinho o tempo todo, será que só serei feliz quando encontrar alguém? 2. Como parar de ficar me comparando às outras mulheres? Sempre acho que elas estão melhores que eu. 3. Não sinto desejo pelo meu namorado há um ano, moramos juntos, será que o relacionamento acabou? 4. Como ajudar meu namorado que tem problemas com o álcool, apesar dele me dizer que não tem? As respostas a essas e outras perguntas estão na coluna semanal “A Voz da Consciência” do programa Café Duplo, que foi ao ar na Rádio Câmara FM em 04/05/2022. Quer saber mais sobre o autor, comentar e dar sugestões, acesse: www.sergiomanzione.com.br ou @psicomanzione (Instagram, Face, Twitter).
1) O que é depressão? 2) Quais os sintomas? 3) O que pode causar uma depressão? 4) Como é feito o diagnóstico? 5) A depressão tem cura? 6) Existe diferença entre depressão e tristeza? 7) A depressão pode matar uma pessoa? 8) Quais as atitudes para combater a depressão? 9) A depressão e a ansiedade aparecem juntas no mesmo indivíduo? 10) A depressão pode levar a outras doenças mentais? 11) A família ajuda ou atrapalha a pessoa deprimida? As respostas a essas e outras perguntas estão na coluna semanal “A Voz da Consciência” do programa Café Duplo, que foi ao ar na Rádio Câmara FM em 27/04/2022. Quer saber mais sobre o autor, comentar e dar sugestões, acesse: www.sergiomanzione.com.br ou @psicomanzione (Instagram, Face, Twitter).
1) Por que acontece um ataque de ansiedade coletiva? 2) O que fazer para prevenir crise de ansiedade coletiva? 3) A pressão social pode influenciar esses episódios de ansiedade? 4) Conversar ajuda no processo de prevenção? 5) Como a escola deve lidar com temas de saúde mental? 6) Como a família deve lidar com temas de saúde mental? As respostas a essas e outras perguntas estão na coluna semanal “A Voz da Consciência” do programa Café Duplo, que foi ao ar na Rádio Câmara FM em 13/04/2022. Quer saber mais sobre o autor, comentar e dar sugestões, acesse: www.sergiomanzione.com.br ou @psicomanzione (Instagram, Face, Twitter).
Comentários (31)

Gustavo Reis

Muito bacana o Podcast. Bem descontraído para um assunto complexo.

May 11th
Responder

Gustavo Reis

Muito bom esse Podcast...kkkk bem informal... kkk

Feb 8th
Responder

Ken K.

Sofro de TAG, depressão e pânico. Vivo com isso há vários anos, vários anos tomando remédios e até agora nada de cura. Alguns profissionais disseram que não tenho mais cura. Que vou ter q tomar remédios pelo resto da vida. Depois de vários remédios hj estou tomando 4 sertralina por dia e 2 quetiapina a noite antes de dormir. Minha depressão ainda consigo controlar, mas a ansiedade e o pânico são difíceis. Várias vezes deixei o carrinho do mercado cheio e ia embora pra casa. Qdo enchia o mercado ou a fila do caixa, eu não conseguia ficar. Tenho pânico de lugares cheios e de pessoas estranhas qdo fico muito tempo ao lado dela. Minha ansiedade tb é complicada. O que eu faço no meu serviço em 1 hr, todos terminam em 2 hrs ou mais. Fiquei 15 dias trancado no quarto e trabalhando em dois, não conseguiam terminar antes das 11. Eu terminava até às 8. Seguindo seu cast. Devo aprender muita coisa. Gde abraço

Jul 15th
Responder (28)
Baixar da Google Play
Baixar da App Store