Claim Ownership

Author:

Subscribed: 0Played: 0
Share

Description

 Episodes
Reverse
Em 2010, Taisa e Paulo Bornhofen expuseram publicamente na Época Negócios o que já estava bem resolvido entre eles na vida privada: eles não teriam filhos. Na época, foi um alvoroço.Essa mesma matéria trazia uma projeção: o número de casais sem filhos, até então de 8% no Brasil, subiria para 12% em 2020. Corta para 2022 e um levantamento do IBGE mostra que o número de casais que decidiram não ter filhos é de 20%. Quando fomos provocadas pela nossa ouvinte Patrícia Lana a falar sobre mulheres que não querem ser mães, foi na Taisa que pensamos. E ela topou conversar com a gente sobre esse assunto. Será que o crescimento no número de casais sem filhos na última década refletiu na normalização dessa escolha? A falsa ligação entre não desejar ter filhos e não gostar de crianças ainda existe? Um spoiler: a não maternidade para as mulheres ainda é uma questão privada, que parece ter licença para o julgamento coletivo. ------------------Link para matéria da Época Negócios sobre casais que não queriam ter filhos, publicada em 2010: http://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/0,,ERT206973-16642,00.html------------------SIGA O PROJETO MEU, SEU, NOSSO VOTO!www.instagram.com/meuseunossovoto------------------APOIE O PODCAST! www.apoia.se/donasdaptoda -----O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
Ninguém está dando conta: dos preços do mercado, das notícias, da quantidade de coisa pra fazer, da ansiedade. E aí hoje a gente brisou: se a gente pudesse escolher itens para a cesta básica dos comportamentos humanos (especialmente das mulheres), o que desejamos pra nós mesmas e para as nossas ouvintes está aqui. Um spoiler: tem bolsa massagem, extinção das espinhas, fim de semana de calor e praia mensal garantido por lei, fim do dresscode e até a duração de sonhos... digamos, íntimos. E tem novidades! No plural mesmo, porque a nossa mesa de bar é dedicada a novidades no apoia.se/donasdaptoda. Tem newsletter e cupom de desconto a partir dessa semana! E a partir de semana que vem estreamos uma parceria muito especial com o movimento Meu, Seu, Nosso Voto sobre democracia e eleições. ------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
“Não há amor que nos livre da solidão”. Essa frase está logo no início do livro A gente mira no amor e acerta na solidão, da Ana Suy. Ao longo da vida, fomos condicionadas a pensar e a buscar vivenciar o amor como um antídoto para o terrível mal da solidão. E essa frase joga essa imensa verdade na nossa cara: não há, no fim das contas, amor ou companhia que nos livre da solidão. Nosso primeiro episódio, lá em maio de 2019, foi sobre como o empreendedorismo não fazia sentir sozinhas, mesmo acompanhadas. Três anos depois, convidamos a psicanalista e escritora que explodiu nossas cabeças com essa frase de oito palavras, Ana Suy, para um papo sobre como as solidões fazem parte da vida das mulheres em diferentes momentos e estágios. Sabemos que este é um tema com muitos recortes e logo teremos aqui papos sobre solidão com pessoas diversas. Por enquanto, dá o play nessa conversa que está uma delícia. ------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
É cada vez mais comum entre as nossas amigas que os empregos formais não sejam a única fonte de realização. E isso é ótimo. Porém, naquela linha muito tênue entre as atividades profissionais e o campo dos prazeres moram os projetos paralelos: um voluntariado, um segundo negócio, produção de conteúdo para as redes sociais, música... um podcast, quem sabe? Esta semana conversamos com as nossas amigas e criadoras do Posfácio, Carol Passos e Stefani Ceolla, que, assim como nós, dedicam horas a produzir conteúdo além de rotinas extenuantes dos seus trabalhos, faculdade, pós-graduação e mais muitos afazeres. O que buscamos nestes projetos, de que forma eles nos realizam, porque estão cada vez mais comuns e como o mercado de trabalho formal entende essas iniciativas? Estes foram alguns temas que trouxemos nesse papo entre amigas. ------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
Rir é uma característica comum a apenas 65 espécies animais, a maioria primatas. A ciência afirma que há dezenas de tipos de humor e que, em geral, nossos traços de personalidade, escolaridade e a bagagem que acumulamos ao longo da vida ajudam a definir do que a gente ri. Histórias, memes, escatologia, exageros, pegadinhas, vergonhas alheias, TikTok. Neste episódio discutimos humor. Falamos do que rimos, o que outras pessoas acham engraçado e a gente não vê graça, da crise (existe?) da comédia no cinema e das conquistas das mulheres também no humor. Um papo da Larissa Guerra e da Marina Melz, rindo de si mesmas depois de uma gravação mal sucedida e quatro furos de entrevistadas para esse episódio que entrou para os lendários do nosso podcast. ------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
Retrocessos, violências, tragédias. Ser mulher nesse Brasil de 2022 está muito mais difícil do que a gente imaginava - e nunca nos iludimos sobre estar fácil, não. Estamos com a sensação de nó na garganta que para algumas é vontade de gritar, para outras choro contido. Não quisemos falar diretamente sobre os casos que beiraram o absurdo, embora tenhamos indicado outros podcasts que fazem um trabalho jornalístico incrível. Então batemos um papo sobre como estamos nos sentido diante do que está acontecendo e, se você já veio aqui, sabe que a Larissa Guerra e a Marina Melz absorvem essas questões de um jeito bem diferente uma da outra. Essa semana é papo entre amigas. Nós e vocês. :)------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
Uma pesquisa feita nos Estados Unidos em 2021 ilustrou em números o que nós, vocês e todas as mulheres que conhecemos já vivemos e sentimos em algum momento na nossa carreira. Segundo o levantamento, mulheres não se candidatam para uma vaga a não ser que preencham todos ou quase todos os pré-requisitos. Já os homens estão satisfeitos e se candidatam se acharem que preenchem a 60% deles.Tem mais: na hora de negociar um aumento, 57% dos homens não hesitam em pedir mais dinheiro. E a mesma pesquisa ainda mostrou que apenas 7% não aceitam de cara o que lhes é oferecido e fazem uma contraproposta. E quando a gente viu esses números o que nos bateu foi aquele misto de “eu já sabia” com um gosto amargo de como a gente reiteradamente perde oportunidades nessas pequenas entrelinhas da vida.Foi aí que a nossa ouvinte e apoiadora maravilhosa, a Mary Vivian Bonfim, contou pra gente sobre o Se Candidate, Mulher. Convidamos a fundadora da organização, Jhenyffer Coutinho, para um papo sobre esses números e sobre como podemos mudar essa realidade. Na conversa, falamos sobre o que leva a esse quadro e a Jhennyffer trouxe dicas práticas sobre entrevistas de trabalho, pretensão salarial, como afastar a impressora na hora se pensar em se candidatar e várias outras questões. ------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
Desde a escola, nos perrengues da adolescência, na faculdade, ontem mesmo. Conhecer pessoas e descobrir amizades faz parte da vida. Mas a gente tem acompanhado muitas transformações nessas relações, especialmente quando caminhamos para lados diferentes da vida - e não falamos só de política, mas também. Às vezes a gente se esforça para manter uma amizade só porque ela começou na infância. Ou então entende que algumas pessoas, tal qual uma grande sanfona, se afastam ou se aproximam na medida das suas necessidades. São muitas nuances por trás da certeza de ter com quem contar. Tem muita gente por aí romantizando a amizade? Ostentar as mesmas amizades da época da escola é necessariamente uma virtude? Existe ex-amiga? E para conversar sobre isso, recebemos neste episódio a psicóloga Jacqueline Vieira.------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
Todos os dias um novo conhecimento entra na nossa cabeça. Simples como uma forma mais tranquila de estacionar o carro ou um jeito mais rápido de cozinhar feijão, até questões complexas da vida em sociedade. Mas, no mundo do trabalho, parece que estar sedento por aprender tudo sobre qualquer coisa é uma nova exigência do mundo neoliberalista. Cursos tentam encaixotar toda a sorte de conhecimentos e entregar pra gente de uma forma simples, rápida e muito acessível. Consumimos muito conteúdo, somos transformados por ele. Mas isso significa que aprendemos mais do que antes? O aprendizado é uma das ferramentas mais importantes para a nossa evolução. E ele também evoluiu. Para falar sobre porque, como e quando aprendemos de verdade, recebemos a Maria Luisa Lange, ou, pra nós, a Malu. Ela ocupa a posição de designer de experiências de aprendizagem na Impulso Beta e é uma das pessoas que a gente conhece que mais gosta desse tema. ------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
As mudanças dos relacionamentos nos últimos anos passam por vários aspectos antropológicos: a possibilidade de escolha, a liberdade sexual, a diversidade de parceiros, as regras fluidas - ou líquidas, para o Baumann. Mas a gente conversa muito com as amigas que estão solteiras e tem sentido uma realidade não muito legal: se apaixonar está cada vez mais difícil. O match tá rolando solto, mas o envolvimento tá em falta, sacou? Na semana mais romântica do ano, convidamos a psicanalista Ana Claudia Zuanella, que mora em Recife (PE) e finalizou seu mestrado estudando a paixão, para conversar sobre essa dificuldade e os seus aspectos contemporâneos. No papo, abordamos a paixão como um arrebatamento anticapitalista, a preparação de quem se relaciona para o que vem depois que ela acaba e a falta de linearidade dos relacionamentos - e como ela pode ser compreendida. ------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
Você deve ter visto por aí a notícia de que uma parte da população da Islândia reduziu de cinco para quatro os dias de trabalho, sem redução na produtividade ou nos rendimentos dos trabalhadores. Uma pulga se instalou atrás das nossas orelhas: seria isso uma tendência ou um delírio coletivo? Nossa rotina se estrutura a partir dos nossos trabalhos: sejam eles empregos formais ou um negócio. Quando nos apresentamos, o que somos se confunde com o que fazemos. É possível que a nossa persona profissional reduza sua importância em uma sociedade capitalista? Conversamos sobre tempo de dedicação às empresas, produtividade e ideologia do trabalho - além de capitalismo, sempre ele - com a sócia da 4CO, Thatiana Cappellano.Mais uma delícia de papo cheio de reflexões sobre a nossa sociedade e seus possíveis caminhos! :)------------------>> O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.>> Vamos conversar?Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
Três anos, mais de 300 entrevistadas, 100 horas de conteúdo. Muito perrengue, muito boleto e muita satisfação depois, a gente decidiu fazer o famoso possível: uma lista de pedidos, misturada com histórias de bastidores deste período.Falamos sobre tecnologia, apoios, fontes e como o play que você dá é carregado de muita dedicação e paciência.------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
A gente já sabia que a autoestima dos boys andava muito bem, obrigada. Mas não imaginávamos que fosse tanto. Fomos pegas de surpresa pela pesquisa inédita do Instituto Ideia, encomendada pela GQ Brasil, que mostra que só 3% dos homens se consideram feios. E mais: um em cada dois se acham bonitos e 44% se veem como “na média”. Na média pra quem, gente? E os gatos se amam além do espelho. 7% responderam que o homem que eles mais admiram são “eles mesmos”. 28% se acham “mais inteligentes que a média”.Esses números, que numa primeira olhada geram só uma grande gargalhada, impactam na nossa vida prática.Não tem como não falarmos sobre isso. Mas achamos importante ter um homem que entende dos paranauês da mente humana conosco pra essa conversa. Recebemos essa semana o Matheus Vieira, psicólogo, pra tratarmos desses números… controversos, pra dizer o mínimo.
Uma viagem, um evento, um prêmio ou (no nosso caso) um festão. Depois de um acontecimento intenso, voltar para a rotina é tarefa difícil. A Larissa Guerra chama esse sentimento de ranço. A Marina Melz adotou a máxima das segundas-feiras pós-TEDxBlumenau: a ressaca que vem depois de um porre de vida. No nosso episódio de hoje (que está saindo atrasado, vejam só) falamos sobre esse sentimento - hora individual, hora coletivo - de dificuldade em nos conectar com a vida mundana que nos assola depois de acontecimentos deliciosos que nos tiram do eixo.
A gente já falou aqui algumas vezes sobre o quanto a arte nos salvou nos últimos anos. Começamos a temporada de Cotas ouvindo mais do conhecimento incrível que o Tio Virso (@tiovirso) compartilha nas redes sociais. Direto do Brasil profundo, com um indefectível sotaque do interior do Paraná, ele faz um trabalho muito massa de divulgação científica e histórica misturando arte, memes, histórias, problematizações, n*des e polêmicas. No papo, falamos sobre as dificuldades do consumo de artes visuais, como os formatos modernos podem ser assimilados e consumidos como arte e o papel do humor e do bom-humor nesse rolê todo. E, como não podíamos perder a oportunidade, discutimos: afinal, a crise é estética?------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
O número de casamentos deve crescer 47% no primeiro semestre de 2022, segundo a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen). Mas, espera: por que ainda casamos? Às vésperas do casamento da Larissa Guerra, recebemos a terapeuta de casais Tati Perez para falar sobre casamento. Os desafios dos relacionamentos contemporâneos, o papel do amor, a proliferação de novos formatos de relação, os simbolismos - que podem ser nada tradicionais - de uma festa para celebrar uma relação. No episódio dessa semana, conversamos sobre o que casamento significa pra nós e para o momento que vivemos.------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.Larissa Guerra: @larissavguerraMarina Melz: @marinamelz Bruno Stolf: @brunostolf
Já foi “ter sucesso”. Agora, “ter uma vida equilibrada” se tornou o desejo de todas as pessoas que a gente conhece - inclusive nosso. Mas, espera: será que essa vida plana, sem pressão, existe mesmo? Será que não é mais um daqueles conceitos abstratos, tipo “chegar lá”, que o neoliberalismo inventou pra gente ter a sensação de fracasso constante? Nós brisamos nisso há alguns dias, falando de coisas muito práticas das nossas vidas: épocas em que estamos loucas de trabalho, outras que sentimos tédio. Tempos em que a alimentação nos enche de orgulho, tempos em que a gente só come porcaria. Horas em que vemos as amigas sem parar e tempos em que não conseguimos nos encontrar por semanas. Essa semana o papinho é de Larissa Guerra e Marina Melz, daquele jeito sofá de casa.------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.
Já sabemos que os nossos corpos mudam o tempo todo. E tem quem lide melhor ou não tão bem com isso. Mas e quando esse tempo é marcado por uma pandemia? Essas mudanças são mais significativas? Um estudo feito pelo Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da USP, publicado na Revista de Saúde Pública, por exemplo, mostrou que um em cada cinco brasileiros ganhou peso durante a pandemia de Covid-19. E não foram só as mudanças na alimentação que mexeram com a gente: passamos a nos exercitar menos, o home office alterou as rotinas de sono, de lazer. E aí, agora que estamos saindo um pouquinho mais, reencontrando os amigos e os conhecidos que há muito não víamos, bateu um nervoso em ver como nossos corpos mudaram? O quanto o olhar dos outros afeta nossa autoestima? Dias atrás a gente viu um post da nossa convidada falando sobre isso e achamos que era um bom momento para tocar nesse assunto. Quem está com a gente hoje é a Laís Conter, criadora de conteúdo, dona de um dos perfis que a gente mais adora nas redes, o @me_lambelambe. ------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.
O tapa do Will Smith no Chris Rock na cerimônia do Oscar. A Pablo balançando uma toalha com a imagem do Lula no Lolapalooza. Anitta representando o Brasil com Envolver no topo global do Spotity. A paternidade e os confinados no BBB. Isso só pra falar em cultura pop. Na internet, quase todo mundo se pronunciou sobre um desses assuntos nos últimos dias. Houve até quem completasse o bingo e tenha se expressado publicamente sobre todos eles. Nem parece que foi em 2016 que a Glória Pires foi meme por não querer opinar sobre filmes que ela nem tinha visto. Um tweet, no entanto, carrega muito mais do que cabe em 140 caracteres. Por exemplo: por que estamos nos dando ao trabalho - ou ao ridículo - de opinar? Com base em que nossos argumentos foram formados? A reflexão levou o tempo necessário, ou pelo menos existiu? Conseguimos analisar os pontos antes de nos deixar levar pelo impulso? Nós sentimos que a conversa sobre nosso desejo e a nossa capacidade de opinar é mais urgente e abrangente do que nunca. Conversamos sobre isso com a comentarista da NSC, Dagmara Spautz. Ela é um dos nomes mais importantes de opinião do Sul do país e ganha a vida investigando, noticiando e opinando sobre fatos.------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.
O dicionário define carisma como um termo ligado a duas vertentes. A primeira, de sentido religioso, fala que carisma é um dom extraordinário e divino concedido a um grupo de pessoas para o bem de uma comunidade. O outro, socialmente falando, carisma seria uma autoridade, uma “fascinação irresistível” exercida sobre um grupo de pessoas, supostamente proveniente de algo sobrenatural, que nasceu com a pessoa.Por outro lado, a expressão "essa situação acabou com meu carisma" se popularizou, os supostamente carismáticos são os mais cotados para permanecer no BBB e essa é uma característica de quem viraliza - do vídeo sem áudio ao Casimiro. Nós estamos há muito tempo conversando sobre os conceitos, o uso do termo e a importância que a sociedade contemporânea está dando para o carisma. Este episódio, que poderia ser uma troca de áudios no WhatsApp ou uma boa conversa entre amigas no sofá, tenta responder duas perguntas. A primeira é o que é carisma e a segunda é: será que dá pra aprender tão fácil quanto andam dizendo por aí?------------------O Donas da P* Toda é um podcast independente. Produção, roteiro e apresentação: Larissa Guerra e Marina Melz. Edição e tratamento de áudio: Bruno Stolf. Todas as informações em www.donasdaptoda.com.br e @donasdaptoda.
Comments (2)

Sabrina Ferrari

Meninas adoro esse projeto de vcs !! Conversas leves! Divertidas ! Com uma visão diferente !! As vezes despretenciosas, as vezes ácidas !!! Continuem !!

Jun 30th
Reply

Sabrina Ferrari

Meninas qual é o nome da última série indicada ?

Jun 28th
Reply
Download from Google Play
Download from App Store