DescobrirBrasil Latino - USP
Brasil Latino - USP

Brasil Latino - USP

Autor: Jornal da USP

Inscrito: 28Reproduzido: 95
compartilhar

Descrição

O programa Brasil Latino traz um panorama da América Latina a partir da produção acadêmica da Universidade de São Paulo e da visão de personalidades da sociedade brasileira. As entrevistas abordam temas da atualidade e da história do continente nas diferentes áreas do conhecimento, sempre com a participação de professores, pesquisadores e especialistas.
18 Episodes
Reverse
A desigualdade social que marca a história do continente latino-americano fica mais acentuada no atual quadro da covid-19. Espalhada por praticamente todos os países, a doença exige medidas severas de controle sobre a mobilidade das pessoas e a adoção de protocolos sanitários rígidos. Além da população mais pobre das periferias das grandes cidades, existe um contingente que está sendo bastante afetado: os imigrantes. Com o fechamento das fronteiras entre os países, muitos deles vivem uma situação crítica, sendo obrigados a recorrer ao auxílio de entidades beneficentes para sobreviver. Sua situação jurídica está paralisada e muitos que desejam voltar ao seu país de origem, não podem fazê-lo. Como fica a situação dos imigrantes em meio à pandemia? Que respostas é possível dar a eles para garantir condições mínimas de vida? Essas e outras questões foram debatidas nesta edição do Brasil Latino, que teve a participação do advogado Victor del Vecchio, consultor da ONU Migração e pesquisador do Grupo de Estudos sobre Proteção Internacional de Minorias da Universidade de São Paulo (Gepim-USP). Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
A pandemia do novo coronavírus mostrou os limites da soberania de muitos países. Praticamente todos os insumos de saúde são produzidos atualmente na China, paradoxalmente onde teve início a doença. Respiradores mecânicos, máscaras e equipamentos de terapia intensiva, entre outros itens, mostram que a dependência gerada pela globalização vai precisar ser revista caso as nações queiram reassumir o seu destino. Em entrevista ao Brasil Latino, no dia 18 de maio, o professor Paulo Feldmann, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP, diz que a produção nacional terá muito mais peso do que o atual processo de terceirização ou de importação que tem caracterizado o comércio mundial. A pandemia pode mudar completamente essa relação de dependência. Para ele, o Brasil tem uma grande chance de sair bem da crise econômica porque possui um grande mercado interno. Restará tomar decisões políticas ousadas, como a taxação sobre as grandes fortunas, e oferecer maior garantia jurídica para os investimentos externos. Outro fator que segundo Feldmann precisará ser superado é a baixa qualificação da mão de obra nacional. Um trabalhador brasileiro produz de quatro a cinco vezes menos que um operário norte-americano ou sul-coreano. Mas, isso, adverte ele, não é culpa do trabalhador e sim das condições tecnológicas nas quais ele opera. “O Brasil dispõe de máquinas ultrapassadas em seu parque industrial, equipamentos que já não são usados há mais de 25 anos nos Estados Unidos e é esse o investimento que precisa ser feito para resgatar a nossa soberania”, afirma. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
A América Latina tem atualmente mais de 650 milhões de habitantes espalhados em 34 países. Cerca de 70% dos latino-americanos moram nas zonas urbanas. Com isso, tem crescido a importância das grandes cidades. Três capitais estão entre as 20 maiores do mundo. São elas: Buenos Aires, Cidade do México e São Paulo. Os desafios de um continente historicamente desigual ficam ainda maiores no caso das grandes cidades latino-americanas. Um desses desafios é a superação dos graves problemas sociais com o envolvimento da população. É o caso da democracia participativa na formulação das políticas públicas e a necessidade do direito à cidade a quem nela vive. No Brasil Latino desta semana, o debate é sobre a participação popular a partir do estudo comparativo de duas grandes cidades latino-americanas: São Paulo e Cidade do México. Para falar desse tema, as entrevistadas são Kelly Komatsu Agopyan, graduada em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e doutoranda no programa de pós-graduação do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo, e Paloma Gerzeli Pitre, graduada em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, pesquisadora do Centro de Direitos Humanos e Empresas da Fundação Getúlio Vargas e mestranda no Programa de Pós-graduação em Integração da América Latina da Universidade de São Paulo. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Desde que se conheceram no Timor Leste, em 1999, Sergio Vieira de Mello e Carolina Larriera decidiram ficar juntos. Ele, reconhecido internacionalmente por liderar missões humanitárias de alto risco da ONU, e ela, economista argentina que trabalhava na entidade, em Nova York. As alianças estavam prontas para o casamento, mas a fatalidade veio antes. Mesmo cansado e já pensando em voltar a morar em sua cidade natal, o Rio de Janeiro, ele aceitou o convite de seu amigo, o secretário-geral Kofi Anan, para liderar a missão diplomática das Nações Unidas no Iraque, após a invasão norte-americana em março de 2003. Nomeado como Alto Comissário para os Direitos Humanos da ONU, Sergio fez duas exigências: ficaria apenas quatro meses e levaria Carolina junto na sua equipe. Em 19 de agosto de 2003, 15 dias antes do fim de sua estadia em Bagdá, um caminhão-bomba explodiu na sede da ONU e matou 21 pessoas, entre elas Sergio Vieira de Mello. Carolina se salvou por pouco. Morando atualmente no Rio de Janeiro, ela e sua sogra, Gilda, mantem o Centro Sergio Vieira de Mello (https://sergiovieirademello.org/index_fr.html) que atua na promoção da coexistência pacífica e da tolerância entre as pessoas e as nações, formando lideranças jovens para as negociações de conflito e o diálogo multilateral, bandeiras empunhadas por Sergio, um brasileiro que trabalhou 34 anos na ONU e chegou a ser cogitado para assumir o cargo de secretário-geral sem nunca ter sido diplomata de carreira em seu próprio país. É essa a história que o filme “Sergio” conta e que, na voz de Carolina Larriera, o Brasil Latino apresenta na edição de 4 de maio. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Em entrevista ao programa Brasil Latino, no dia 27 de abril, o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) promove uma guerra federativa quando deveria estar liderando uma ampla operação de guerra para combater a covid-19. “Ele desagrega, critica governadores e prefeitos e diz que não é sua responsabilidade, uma completa inversão de papéis”, disse. Para ele, que também é deputado federal pelo PT de São Paulo, o Congresso Nacional tem tomado decisões importantes como o auxílio emergencial para os setores mais vulneráveis da população e o apoio aos pequenos e médios empresários. “É o momento em que o mais importante é salvar vidas porque a economia a gente recupera lá na frente”, ressaltou. Segundo Padilha, o isolamento é a principal arma na guerra contra a doença. Relaxamento da quarentena só depois de diminuir a disseminação, especialmente nas áreas mais pobres. Nesse sentido, o ex-ministro da Saúde elogia a atuação do governador João Doria que atuou no momento certo ao decretar o distanciamento social. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
O jesuíta espanhol Ignácio Martín-Baró, assassinado em El Salvador em 1989, trouxe grande contribuição para o estudo da violência na América Latina e é tema de grupo de estudos no Instituto de Psicologia da USP A guerra civil em El Salvador, o menor dos países centro-americanos, terminou oficialmente em 1992, com o Acordo de Esquipulas. Mas deixou um imenso rastro de sangue. Estimativas falam em mais de 50 mil mortos em duas décadas de conflito. E foi a partir desse cenário de violência que o jesuíta espanhol Ignácio Martín-Baró criou uma nova forma de praticar a psicologia. A brutal desigualdade o levou a conhecer as comunidades pobres e a entender que um processo terapêutico só faria sentido se considerasse as condições específicas de cada indivíduo em seu meio social. Foi assim que ele criou a Psicologia da Libertação, que se tornou uma referência teórica no continente latino-americano. No Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, Martín-Baró é tema de um grupo de pesquisa que funciona há quatro anos, sob coordenação da diretora do IP, Marilene Proença. Ela e os professores Ignácio Dobles (Universidade da Costa Rica), Fernando Lacerda (Universidade Federal de Goiás) e José Fernando Andrade Costa (Universidade Estadual de Feira de Santana) concederam entrevista exclusiva ao Brasil Latino para falar da obra de Ignácio Martín-Baró e sua influência na psicologia latino-americana.   Ficha técnica Marco Piva – Apresentador Alexandre Vega – Produtor Benê Ribeiro – Editor de áudio Natasha Sanchez – Estagiária Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
O número chama a atenção: 251. Esse é o total de convênios de cooperação que a Universidade de São Paulo mantêm com instituições de ensino superior na América Latina. Mas, para o reitor Vahan Agopyan, é preciso muito mais para que o continente possa ser um polo importante de pesquisa e inovação. A USP faz parte também de redes de cooperação, onde tem um papel importante como referência de produção científica. “Estamos entre as melhores universidades das Américas e isso aumenta a nossa responsabilidade para colaborar na expansão da qualidade do ensino, pesquisa e extensão, sem deixar de lado a integração cultural, tão importante para nós, latino-americanos”, afirmou ele em entrevista exclusiva ao Brasil Latino, na edição de 9 de março. O reitor ressaltou a importância de a sociedade compreender mais e melhor o papel da universidade pública para o desenvolvimento do estado e do país. Recentemente, foi concluída a CPI das Universidades Públicas que aconteceu na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. O resultado era o que se esperava: além de não haver sido constatada nenhuma irregularidade nas instituições mantidas pelo governo estadual, a conclusão foi que as universidades públicas tem um papel importante a cumprir. “Saí otimista desse processo de investigação porque, de certa forma, também nos mostrou a necessidade de aperfeiçoarmos nossa comunicação com a população e mostrar nossa produção acadêmica de excelência”, disse o reitor. Ficha técnica Marco Piva – Apresentador Alexandre Vega – Produtor Benê Ribeiro – Editor de áudio Natasha Sanchez – Estagiária Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Em entrevista exclusiva ao Brasil Latino, o pesquisador do Núcleo de Estudos da Violência, Bruno Paes Manso, trouxe dados preocupantes para o Brasil e para muitos países da América Latina: a violência está crescendo e assumindo novas formas ao mesmo tempo que o Estado de Direito é questionado por uma onda conservadora. Segundo ele, o nível da violência urbana é diferente de país para país, mas a origem desse mal que parece nunca ter fim é a profunda desigualdade social. O continente latino-americano tem o maior índice de desigualdade do mundo, segundo estudo da Comissão Econômica para a América Latina (Cepal). No caso brasileiro, a principal preocupação é com a crescente politização das polícias e de setores das Forças Armadas. O recente motim no Ceará teve uma face pública de reivindicação salarial, mas se revelou um movimento político com recorte de extrema-direita. “Imaginem vocês se as polícias militares de todos os Estados decidirem fazer greve para reivindicar melhores salários com as armas nas mãos?”, questiona Bruno Paes Manso. Os números apontam que existem cerca de 500 mil homens servindo nas PMs em todo o País, número superior ao contingente que está na ativa no Exército. Na parte musical, Zizi Possi, O Rappa e Gabriel O Pensador. Ficha técnica Marco Piva – Apresentador, Alexandre Vega – Produtor, Benê Ribeiro – Editor de áudio, Ítalo Piva – Estagiário Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Nesta edição do Brasil Latino o jornalista Marco Piva entrevista o professor e ativista de Direitos Humanos mexicano, Omar García Velásquez. Ele é um dos sobreviventes do episódio que ficou conhecido como o Massacre de Iguala. Em setembro deste ano ele esteve no Brasil para uma série de eventos. Um deles aconteceu na Escola Superior de Gestão e Contas Públicas do TCMSP. Participaram deste evento a mestre em Direitos Humanos pela Universidade de São Paulo, Simone Henrique; o psicanalista e professor livre-docente da USP, Paulo Cesar Endo; o advogado e ativista de Direitos Humanos Saul de Carvalho Isaias e o jornalista e ex-ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos do Brasil, Paulo de Tarso Vannuchi. Em 26 de setembro de 2014, 43 alunos da Escola Rural Raúl Isidro Burgos, da comunidade de Ayotzinapa, desapareceram quando se dirigiam à cidade de Iguala de la Independencia, no estado mexicano de Guerrero, onde participariam de um protesto. Parados pela polícia, foram detidos, seus corpos nunca mais apareceram e os responsáveis pelo massacre nunca foram claramente identificados e condenados. Os estudantes sobreviventes até hoje buscam justiça. Ficha técnica Marco Piva – Apresentador, Alexandre Vega – Produtor, Benê Ribeiro – Editor de áudio, Ítalo Piva – Estagiário Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Na edição do Brasil Latino de 25 de novembro, o jornalista Marco Piva entrevistou o psicanalista e dramaturgo Antonio Quinet. Ele falou sobre seu mais recente livro, O Inconsciente Teatral, e também sobre a ligação entre política e teatro, considerando o atual panorama brasileiro. A sociedade está doente? Por que aumentou o ódio entre as pessoas? Qual é o papel da política nesse cenário? O entrevistado responde a essas e outras perguntas e também fala sobre o papel do inconsciente em suas peças e na vida cotidiana.   Ficha técnica Marco Piva – Apresentador, Alexandre Vega – Produtor, Benê Ribeiro – Editor de áudio, Ítalo Piva – Estagiário Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Nesta edição do Brasil Latino o jornalista Marco Piva entrevista a procuradora Eugênia Gonzaga, ex-presidente da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos. Ela foi destituída do cargo após criticar comentários do presidente Jair Bolsonaro sobre o pai do atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, preso pelo DOI-Codi em 1974 e declarado desaparecido. A Comissão Especial forneceu um atestado de óbito informando que ele morreu de forma violenta, “causada pelo Estado”. A procuradora fala sobre a importância da Comissão, compara as ações do governo brasileiro com as de outros países latino-americanos que também passaram por ditaduras militares e investigaram os crimes cometidos por estes. No Brasil, através da Lei de Anistia, houve um certo silenciamento sobre o tema e muitos personagens envolvidos em crimes no período seguem sem julgamente até hoje, enquanto em outros países, como a Argentina, participantes do regime militar foram investigados e julgados por suas ações. Ela também conta sobre a repercussão da fala do presidente e as diferenças entre a maneira como ele lida com o tema e como seus antecessores lidavam. Confira. Ficha técnica Marco Piva – Apresentador, Alexandre Vega – Produtor, Benê Ribeiro – Editor de áudio, Ítalo Piva – Estagiário Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Nesta edição do Brasil Latino, o jornalista Marco Piva entrevista o professor de História Contemporânea da USP, Everaldo de Oliveira Andrade. O tema foi o seu recente livro, “Haiti, dois século de História”, que analisa informações, dados e documentos para trazer uma visão ampla e profunda do Haiti desde sua independência, em 1804, até o início do século XXI. Oliveira analisa o processo de independência do Haiti desde as rebeliões de escravos ainda no período da colonização francesa e como isso impactou os senhores de escravos no Brasil, até o recente golpe de 2004, que foi seguido pela missão militar organizada pela ONU e liderada por generais brasileiros, deixando profundas marcas no país. Ficha técnica Marco Piva – Apresentador -Alexandre Vega – Produtor, Benê Ribeiro – Editor de áudio, Ítalo Piva – Estagiário Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Nesta edição do Brasil Latino, o jornalista Marco Piva entrevista Luiz Roberto Serrano, superintendente de Comunicação Social da Universidade de São Paulo, e Marcelo Rollemberg editor de Cultura do Jornal da USP. O tema foi o resultado das eleições na Argentina. Com a eleição do peronista Alberto Fernández, que tem a ex-presidente Cristina Kirschner como sua vice, o cenário político da Argentina muda outra vez.  Sua posse ocorre em 10 de dezembro, quando receberá a faixa presidencial de Mauricio Macri. O presidente que deixa o cargo não conseguiu cumprir as promessas de campanha, os indicadores econômicos  pioraram e a desigualdade e pobreza se acirraram. Com isso, Macri se tornou o primeiro presidente argentino a perder uma reeleição. Isso mostra a má recepção de seu projeto liberal e vai alterar as relações entre os países do continente. Confira nesta edição do Brasil Latino a análise de Serrano e Rollemberg sobre o resultado das eleições e suas consequências. Ficha técnica Marco Piva – Apresentador Alexandre Vega – Produtor Benê Ribeiro – Editor de áudio Ítalo Piva – Estagiário Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Nesta edição do Brasil Latino, o jornalista Marco Piva entrevista Alexandre Macchione Saes, doutor em História Econômica e professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP. Ele fala sobre o ciclo de debates Celso Furtado e os 60 anos de Formação Econômica do Brasil, que acontece de 6 a 8 de novembro. O evento é uma realização conjunta do Sesc-SP, da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin e do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP. Confira aqui a programação do evento. Marco Piva – Apresentador, Alexandre Vega – Produtor, Benê Ribeiro – Editor de áudio, Ítalo Piva – Estagiário Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Nesta edição do Brasil Latino, o jornalista Marco Piva entrevista Ricardo Sennes, cientista político e economista. Ele fala sobre a conjuntura política e econômica do Brasil e as perspectivas da América Latina a partir das eleições que acontecem na Bolívia, Argentina e Uruguai. Produção: Marco Piva – Apresentador, Alexandre Vega – Produtor, Benê Ribeiro – Editor de áudio, Ítalo Piva – Estagiário. Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Nesta edição, o Brasil Latino trouxe um programa especial com música latino-americana. O pesquisador e aluno de mestrado da USP, Sebástian Andrés Canto, fala sobre a diversidade dos ritmos latinos. O grupo Los Primos de Brasil apresenta suas diferentes versões de cumbia. Para finalizar, Pitoniza, cantora de hip hop argentina, radicada no Brasil, traz sua produção autoral, mesclando rap e ritmos tradicionais. Produção: Marco Piva – Apresentador, Alexandre Vega – Produtor, Benê Ribeiro – Editor de áudio, Ítalo Piva – Estagiário. Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Em 26 de setembro de 2014, 43 alunos da Escola Rural Raúl Isidro Burgos, da comunidade de Ayotzinapa, desapareceram quando se dirigiam à cidade de Iguala de La Independencia, no estado mexicano de Guerrero, onde participariam de um protesto. Parados pela polícia, foram detidos, seus corpos nunca mais apareceram e os responsáveis pelo massacre nunca foram claramente identificados e condenados. Os estudantes sobreviventes até hoje buscam justiça. Um deles, Omar García Velazquez, falou com exclusividade ao Brasil Latino. Produção: Marco Piva – Apresentador, Alexandre Vega – Produtor, Benê Ribeiro – Editor de áudio, Ítalo Piva – Estagiário. Para entrar em contato escreva para ouvinte@usp.br. Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. .   
Na entrevista, o professor  Vladimir Safatle de Teoria das Ciências Humanas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP fala sobre a conjuntura política do Brasil e da América Latina, além de apresentar canções de seu CD “Músicas de superfície”. Você pode escrever para ouvinte@usp.br. Esperamos sua audiência. Equipe: Marco Piva (apresentador e editor), Benê Ribeiro (operador de áudio), Alexandre Vega (produtor), Vitor Coutinho Piva (estagiário) e Carlinhos Antunes (curador musical) Brasil Latino O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas em @brlatino, nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer. . 
Comentários 
Baixar da Google Play
Baixar da App Store