DiscoverHistória Noturna
História Noturna

História Noturna

Author: Leitura ObrigaHISTÓRIA

Subscribed: 216Played: 1,141
Share

Description

História Noturna é um dos podcasts produzidos pelo canal Leitura ObrigaHISTÓRIA, dedicado tanto a falar de história como comentar sobre temas contemporâneos sob a perspectiva de um historiador, pra te acompanhar em noites aleatórias.

Desligue as luzes, dê o play e aprecie um pouco de história esta noite.
6 Episodes
Reverse
Boa noite. Bem vindos ao História Noturna, um podcast produzido pelo Leitura ObrigaHISTÓRIA. Você com certeza já ouviu falar que a História se dividiria em Pré-História, Idade Antiga, Idade Média, Idade Moderna e Idade Contemporânea. No entanto, essa divisão faz sentido? Há alternativas? Vale à pena usar essa ou qualquer outra divisão? Desligue as luzes, dê o play e aprecie um pouco de história esta noite. Gostou desse novo podcast e quer nos apoiar pra mantê-lo no ar? Acesse apoia.se/obrigahistoria e colabore conosco!
Boa noite. Bem vindos ao História Noturna, um podcast produzido pelo Leitura ObrigaHISTÓRIA. É relativamente comum encontrar pessoas Internet afora reclamando que certas histórias anedóticas de seu interesse não foram aprendidas na escola. Seja uma história contada em filme, um evento representado em uma música ou uma história qualquer encontrada na Internet, muitos são os eventos que despertam a curiosidade e o interesse das pessoas, mas a maioria deles não ganha espaço em sala, e normalmente a culpa é atribuída a alguma questão política, filosófica ou ideológica, que acaba descambando, pra variar, em professores acossados por suas escolhas ou limites, por parte de pessoas sem noção nenhuma de como funciona o processo de entrada de conteúdo em uma sala de aula. Desligue as luzes, dê o play e aprecie um pouco de história esta noite. Gostou desse novo podcast e quer nos apoiar pra mantê-lo no ar? Acesse apoia.se/obrigahistoria e colabore conosco!
Boa noite. Bem vindos ao História Noturna, um podcast produzido pelo Leitura ObrigaHISTÓRIA. Há uma discussão relativamente longa a respeito da produção de conteúdo de História por profissionais que não são da área, desde acadêmicos de outros campos do conhecimento a autodidatas. Muitos sujeitos, sem nunca ter passado por uma educação formal no campo, que têm um conhecimento muito aprofundado por algum tema pelo qual são apaixonados, algo que é admirável. Mas eles podem ser chamados de historiadores? No episódio de hoje, eu dou uma singela opinião a respeito disso. Apenas uma no meio de tantas, que eu espero que possa ao menos fazer você pensar a respeito. Desligue as luzes, dê o play e aprecie um pouco de história esta noite. Gostou desse novo podcast e quer nos apoiar pra mantê-lo no ar? Acesse apoia.se/obrigahistoria e colabore conosco!
Boa noite. Bem vindos ao História Noturna, um podcast produzido pelo Leitura ObrigaHISTÓRIA. De vez em quando pessoas me procuram pedindo uma sugestão de livro sobre os mais diversos temas. Mais uma vez resolvi transformar esse tipo de conteúdo em podcast,  assim não preciso responder individualmente a mesma pergunta continuamente durante anos. Dessa maneira, posso fazer com que as minhas sugestões cheguem a públicos mais amplos. E o primeiro episódio da série "Um livro sobre" é dedicado à Revolução Russa, um dos temas mais pedidos. Ouça e descubra porque eu recomendo A revolução russa, de Sheila Fitzpatrick. Para comprar o livro e ainda ajudar o Leitura ObrigaHISTÓRIA, CLIQUE AQUI Desligue as luzes, dê o play e aprecie um pouco de história esta noite. Livro: Sheila Fitzpatrick - A revolução Russa Gostou desse novo podcast e quer nos apoiar pra mantê-lo no ar? Acesse apoia.se/obrigahistoria e colabore conosco!
Boa noite. Bem vindos ao História Noturna, um podcast produzido pelo Leitura ObrigaHISTÓRIA. Recentemente uma matéria sobre Monteiro Lobato reascendeu no twitter o debate sobre o racismo em pessoas do passado poder ser ou não questionado por esses sujeitos serem "frutos de seu tempo". Nesse episódio, baseado num texto que publiquei originalmente no Twitter, eu tendo explicar como nós, na história, tratamos essa questão dos sujeitos serem "fruto de seu tempo". Esse argumento pode ser usado para relativizar opressões? Há sujeitos "à frente de seu tempo"? Historiadores podem julgar figuras históricas? Isso não afetaria a cientificidade do trabalho? Desligue as luzes, dê o play e aprecie um pouco de história esta noite.  Gostou desse novo podcast e quer nos apoiar pra mantê-lo no ar? Acesse apoia.se/obrigahistoria e colabore conosco!
Boa noite. Bem vindos ao primeiro episódio do História Noturna, um podcast produzido pelo Leitura ObrigaHISTÓRIA. Neste episódio eu respondo três perguntas que recebi durante anos: "O que você acha do Laurentino Gomes?", "O que você acha do Eduardo Bueno?" e "O que você acha do Elio Gaspari?". A resposta é: não os li, logo, não posso opinar ou analisá-los. Mas alguns acadêmicos vêm analisando as obras destes escritores nos últimos anos, então resolvi explicar, nesse primeiro episódio, que críticas são essas que a academia faz a eles, baseados em dois artigos, cujos links estão abaixo na descrição, sempre lembrando ao ouvinte que a crítica não é minha, mas de professores universitários que os avaliaram. Assim, vocês poderão ter uma noção de qual a lógica argumentativa por trás da rejeição. Desligue as luzes, dê o play e aprecie um pouco de história esta noite. Gostou desse novo podcast e quer nos apoiar pra mantê-lo no ar? Acesse apoia.se/obrigahistoria e colabore conosco! Bibliografia Artigo do Jurandir Malerba: Acadêmicos  na  berlinda  ou  como  cada  um  escreve a  História?:  uma  reflexão  sobre  o  embate  entre historiadores acadêmicos e não acadêmicos no Brasil à luz dos debates sobre Public History Artigo do Gilberto Grassi Calil: O revisionismo sobre a ditadura brasileira: a obra de Elio Gaspari Texto extra: Geisel e a CIA: duro golpe no revisionismo historiográfico
Comments (2)

Gabriel Nascimento

Nossa, adorei o episódio, Icles, me deixou muito interessado em estudar história do Brasil. O problema de conseguir boas fontes pra esses assuntos é justamente ser um leigo, igual eu, e ai a grande mídia consegue com maior facilidade vender o que quiser. Dá pra ver o reflexo dessa mentalidade de jornalistas frente a historiografia, basta acompanhar os textos de jornalistas sobre períodos históricos complexos e ver a descontextualização e anacronimos embutidos, e até no tratamento que dão aos movimentos sociais e grupos de vertentes políticas específicas. Um grande abraço

Feb 4th
Reply (1)
Download from Google Play
Download from App Store