DiscoverRasgaí
Rasgaí

Rasgaí

Author: Demografia UFRN

Subscribed: 2Played: 14
Share

Description

O Rasgaí é um podcast que fala sobre ciência. O foco é nos estudos que tratam sobre demografia e população. Episódios curtos, com cerca de 15 minutos, trazem discussões diretas e objetivas sobre essa área de conhecimento. O Rasgaí é vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Demografia (PPGDem) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Produtor/Editor: Ricardo Ojima (twitter: @ricardoojima).

Rasgaí: expressão regional; gíria; verbo usado para pedir que o outro fale algo numa conversa. - Tenho uma coisa para te contar. - Rasgaí!
9 Episodes
Reverse
O nono episódio do Rasgaí conversou com o cientista social e demógrafo Igor Cavallini Johansen sobre um recente artigo publicado na revista científica PLOS ONE que apresenta resultados da sua pesquisa de pós-doutoramento sobre a relação entre a mobilidade populacional e a transmissão de malária no principal município brasileiro em termos da incidência de casos dessa doença. A malária é uma doença endêmica na Amazônia brasileira e é transmitida, principalmente, por meio da picada de mosquitos e ocorre com maior intensidade próximo a áreas florestais e de rios. É uma doença infecciosa e pode apresentar quadros graves quando não diagnosticada a tempo e pode levar à morte. A pesquisa desenvolvida pelo Igor aplicou questionários no município de Mancio Lima, no Acre, para acompanhar as características populacionais e de saúde de um grupo de pessoas ao longo do tempo. Com os resultados da pesquisa, ele pôde analisar como a mobilidade das pessoas entre áreas urbanas e rurais nesse município contribuem para a disseminação da malária mesmo em áreas urbanas. O perfil populacional com maior mobilidade é de homens entre 16 e 60 anos de idade. São pessoas de baixa renda que não possuem emprego formal e com mais de uma residência, ou seja, mantém uma residência em área urbana e outra em área rural. Trata-se de uma estratégia de mobilidade pendular (idas e vindas cotidianas ou semanais) onde o indivíduo reside uma parte do tempo numa área rural e mantém também residência em área urbana. Normalmente são estratégias onde parte da família se mantém na área urbana para acessar serviços como educação e saúde, mas outra parte mantém suas atividades econômicas ligadas às atividades rurais em uma área mais afastada da cidade. Assim, monitorar e desenvolver maior infraestrutura para o rápido diagnóstico, sobretudo, sobre esse perfil populacional contribuiria para reduzir essa "importação" de casos de áreas rurais para urbanas. Confira os outros episódios do Rasgaí no Spotify (bit.ly/rasgai), no Anchor (anchor.fm/rasgai) ou no agregador de podcast de sua preferência. Estamos disponíveis em mais de dez plataformas. Acompanhe outras pesquisas e informações sobre demografia e estudos de população no nosso blog ou nas redes sociais: www.demografiaufrn.net | www.facebook.com/ppgdem | www.twitter.com/ppgdem | www.instagram.com/ppgdem | www.youtube.com/demografiaufrn. Créditos da trilha sonora: Robo-Western by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4298-robo-western License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ Style Funk by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4428-style-funk License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
O episódio #08 do podcast Rasgaí traz uma conversa com o pesquisador e professor do Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFRN, Jarvis Campos. Ele é geógrafo e demógrafo e publicou recentemente um artigo na revista Sustainability, juntamente com pesquisadores de diversas instituições. O artigo apresenta resultados da pesquisa de doutorado em demografia do Jarvis que apresentou uma contribuição metodológica para a obtenção de dados do tamanho e distribuição da população nas cidades brasileiras quando não há levantamento censitário. O Censo Demográfico é realizado a cada 10 anos e nos anos entre um censo e outro é preciso obter as informações a partir metodologias que permitam estimar essa população. Uma das opções metodológicas é utilizar as imagens de satélites para saber como e onde estão distribuídas as ocupações humanas e a partir da análise dessas "fotos" tiradas do espaço estimar quantas pessoas vivem ali. Nesse episódio, o professor Jarvis Campos explica como foi desenvolvida a sua pesquisa, quais foram os principais resultados e destaca as principais contribuições dessa metodologia. O artigo foi publicado em co-autoria com Irineu Rigotti (UFMG), Emerson Baptista (ADRI), Antônio Miguel Monteiro (INPE) e Ilka Reis (UFMG) e pode ser acessado através do link: https://doi.org/10.3390/su12093565. Confira os outros episódios do Rasgaí no Spotify (bit.ly/rasgai), no Anchor (anchor.fm/rasgai) no agregador de podcast de sua preferência. Estamos disponíveis em mais de dez plataformas. Acompanhe outras pesquisas e informações sobre demografia e estudos de população no nosso blog ou nas redes sociais: www.demografiaufrn.net | www.facebook.com/ppgdem | www.twitter.com/ppgdem | www.instagram.com/ppgdem | www.youtube.com/demografiaufrn. Créditos da trilha sonora: Robo-Western by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4298-robo-western License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ Style Funk by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4428-style-funk License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
O último episódio do Rasgaí em 2020 conversou sobre divulgação científica com o demógrafo e professor Douglas Sathler, da Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Há alguns anos ele criou o Canal Descomplicado, no Youtube, e vem produzindo conteúdo que trata de temas diversos, entre eles alguns temas sobre demografia e estudos populacionais. Neste episódio #07 do Rasgaí, conversamos um pouco sobre os desafios para produzir conteúdo de divulgação e como é a recepção e aceitação deste tipo de produção acadêmica do ponto de vista da tradição acadêmica brasileira. Em geral, as iniciativas de divulgação científica tendem a ser concentradas nos profissionais do jornalismo e assessoria de comunicação nas Universidades e atraem pouco os pesquisadores e docentes. Em parte isso se deve ao fato de que esse tipo de produção conta pouco na produção científica dos docentes e pesquisadores se comparado à produção tradicional que é focada em artigos em revistas científicas. É visível uma relativa mudança nesse cenário. Crescem as iniciativas que partem de docentes e pesquisadores na direção de produzir mais conteúdo com esse perfil. Ainda não tem um papel central, mas como argumenta nosso convidado, já passa a ser valorizado em termos qualitativos quando um pesquisador se esforça para avançar na divulgação do conhecimento científico. O canal Descomplicado, criado pelo Douglas, pode ser acessado aqui. No canal você encontra material que ajuda o jovem estudante a entender melhor a metodologia de pesquisa, o mundo acadêmico/universitário e diversos tópicos. Créditos da trilha sonora: Robo-Western by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4298-robo-western License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ Style Funk by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4428-style-funk License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
O Episódio #06 do Rasgaí conversou com Victor Hugo Diógenes, doutorando do PPGDem e professor da UFPB, sobre um artigo que ele acabou de publicar na revista Meio Ambiente e Desenvolvimento. O artigo apresenta os principais resultados da dissertação de mestrado em demografia defendida em 2015 pelo Victor e discute como a mudança da estrutura etária da população brasileira derivada da redução do ritmo de nascimentos pode apresentar impactos no consumo de energia elétrica do país. Para atingir seus resultados, o Victor analisou como mudou o perfil de consumo de energia elétrica nos domicílios brasileiros e como mudou o perfil da composição das pessoas nos domicílios. Com a queda na natalidade, os lares brasileiros têm uma média de moradores cada vez menor, fazendo com que o gasto de energia elétrica per capita seja maior, pois menos pessoas por domicílio usam a mesma quantidade de bens duráveis como geladeira, televisores, máquina de lavar, etc. Ou seja, o mesmo número de eletrodomésticos atende a um número menor de pessoas por domicílio. Essa mudança dos arranjos domiciliares está relacionado ao processo de envelhecimento da população brasileira. Menos nascimentos fazem com que a população seja proporcionalmente mais idosa e, portanto, os domicílios também "envelhecem". Simulando o mesmo padrão de consumo por idade do domicílio dos dias recentes, Victor mostra que se a população fosse mais jovem ela teria um consumo de energia elétrica mais baixo devido ao perfil de consumo energético aumentar conforme a idade e porque, nesse caso, os domicílios teriam também mais gente morando junto.  Créditos da trilha sonora: Robo-Western by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4298-robo-western License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ Style Funk by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4428-style-funk License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
O episódio #05 do Rasgaí abordou o impacto da pandemia sobre um projeto de extensão coordenado pelo professor Moisés Calle Aguirre. O projeto busca aproximar os alunos de ensino médio da rede pública ao habitus universitário, mas diante da pandemia teve que se reinventar. O que antes previa maior contato e interação dos estudantes de ensino médio com o ambiente universitário teve que se ajustar ao modelo de ensino remoto e o projeto de extensão que já existe há alguns anos precisou de uma nova roupagem. Agora, em formato remoto, o projeto busca oferecer também maior ênfase no letramento digital como instrumento para reduzir desigualdades no acesso ao ensino superior. Para explicar melhor os desafios impostos pela pandemia à essa iniciativa, conversamos com o coordenador do projeto, Moisés Calle, e também com Kalyne Soares, bolsistas do projeto e formada em letras pela UFRN e a Sarah Leôncio, professora de matemática da rede estadual de ensino. As convidadas explicaram o que é o letramento matemático e o letramento digital que orienta a condução do projeto. Além disso, exemplificam as ações deste projeto de extensão no âmbito da Escola Estadual Professor Edgar Barbosa (Natal/RN). A extensão é parte fundamental do tripé ensino-pesquisa-extensão sobre o qual se funda o ensino superior público no Brasil. Embora seja extremamente relevante, nem sempre tem tanta visibilidade como o ensino ou a pesquisa acadêmica. Para obter maiores informações sobre o projeto de extensão coordenador pelo prof Moisés Calle, você pode acessar os links abaixo. Os projetos estão cadastrados na base de ações de extensão da UFRN e são renovados anualmente. https://sigaa.ufrn.br/sigaa/link/public/extensao/visualizacaoAcaoExtensao/91814438 https://sigaa.ufrn.br/sigaa/link/public/extensao/visualizacaoAcaoExtensao/91816200 Créditos da trilha sonora: Robo-Western by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4298-robo-western License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ Style Funk by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4428-style-funk License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
Com o processo de seleção para ingresso no mestrado e doutorado em demografia na UFRN para o ano letivo de 2021 aberto até 31 de janeiro de 2021, o episódio #04 do Rasgaí traz uma conversa com o coordenador do programa, Marcos Roberto Gonzaga. Ele nos conta um pouco da trajetória e o perfil do PPGDem, suas áreas de atuação e algumas linhas de pesquisa. Ele responde perguntas como: que áreas de formação podem seguir para a demografia? Em que áreas atua o demógrafo? Como me preparar para a seleção? Entre outras. Também entrevistamos duas alunas para falar sobre sua experiência no mestrado e no doutorado em demografia da UFRN. A Priscila Souza, que concluiu o mestrado e agora está no doutorado, e a mestranda Kelly Pereira. As duas falaram um pouco sobre a a sua trajetória e as suas perspectivas em relação à estudar e pesquisar na área de demografia. Para ter mais informações sobre o edital de seleção para ingresso no PPGDem em 2021, você pode acessar o link abaixo. Lá, você encontrará também maiores informações sobre as pesquisas, publicações e áreas de atuação. Há inúmeros canais para se informar sobre as pesquisas conduzidas pelos docentes do PPGDem. O Rasgaí é apenas um deles. Você pode se manter informado pelas redes sociais e o canal no Youtube também. https://demografiaufrn.net/ Créditos da trilha sonora: Robo-Western by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4298-robo-western License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ Style Funk by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4428-style-funk License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
O terceiro episódio do Rasgaí conversou com Luciana Lima, Victor Leocádio, Raquel Zanatta, Tereza Bernardes; autores do artigo "Considerações sobre a pandemia de Covid-19 e seus efeitos sobre a fecundidade e a saúde sexual e reprodutiva das brasileiras", publicado na seção Ponto de Vista da Revista Brasileira de Estudos de População (Rebep). Eles comentaram sobre os efeitos que a situação da pandemia da Covid-19 pode ter sobre o número de nascimentos na população brasileira. Baseando-se nos estudos que discutem as motivações e condicionantes da decisão de ter ou não filhos, apresentam elementos para refletir sobre o que poderá acontecer no Brasil. Além disso, salientam a importância do papel do Estado para garantir as condições básicas para o exercício pleno dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres brasileiras. O texto completo pode ser acessado no link abaixo e compõe o volume 37 da Rebep.  https://doi.org/10.20947/s0102-3098a0130 Confira mais informações na nossa página www.demografiaufrn.net Quem são as convidades: Raquel Zanatta Coutinho é demógrafa. Pesquisadora e docente no Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFMG. Luciana Conceição de Lima é demógrafa. Pesquisadora e docente no Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFRN. Victor Antunes Leocádio é doutorando em demografia na UFMG. Tereza Bernardes é demógrafa. Pós-doutoranda no Departamento de Ciência da Computação da UFMG. Créditos da trilha sonora: Robo-Western by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4298-robo-western License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ Style Funk by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4428-style-funk License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
O episódio #02 do Rasgaí conversa com os autores do artigo "Tendências temporais e espaciais da mortalidade adulta em pequenas áreas no Brasil, 1980-2010" (no original em inglês: Temporal and spatial trends of adult mortality in small areas of Brazil, 1980–2010), publicado no volume 76 da revista científica Genus. Marcos Gonzaga, Flavio Freire, Everton Lima e Bernardo Queiroz comentaram sobre o contexto e a importância da análise da mortalidade adulta em áreas espaciais menores e explicam de modo claro o avanço da metodologia proposta. O artigo (em inglês) está disponível para acesso amplo no link: https://doi.org/10.1186/s41118-020-00105-3. Além do artigo, os autores disponibilizaram os dados e as rotinas e programações computacionais para replicar o resultado, permitindo que a mesma metodologia seja aplicada em diferentes contextos. Esse material pode ser acessado no website do Laboratório de Estimativas e Projeções Populacionais (LEPP), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Demografia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), no link: https://demografiaufrn.net/laboratorios/lepp/paper_genus/ Os pesquisadores: Bernardo Lanza Queiroz é economista e doutor em demografia, docente e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFMG. Everton Emanuel Lima é sociólogo e doutor em demografia, docente e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Demografia da UNICAMP. Marcos Roberto Gonzaga é estatístico e doutor em demografia, docente e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFRN. Flavio Henrique Miranda de Araújo Freire é estatístico e doutor em demografia, docente e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFRN. Créditos da trilha sonora: Robo-Western by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4298-robo-western License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ Style Funk by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4428-style-funk License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
Neste episódio conversamos com Silvana Nunes de Queiroz sobre as cidades médias no interior no Nordeste e suas características migratórias. A discussão é relacionada ao artigo publicado pela pesquisadora e outros autores na Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, no volume 22 de 2020. O artigo pode ser acessado pelo link abaixo em português e inglês. https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202033pt Silvana Nunes de Queiroz é pesquisadora e docente no Programa de Pós-Graduação em Demografia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Departamento de Economia da Universidade Regional do Cariri (URCA). Créditos da trilha sonora: Robo-Western by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4298-robo-western License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ Style Funk by Kevin MacLeod Link: https://incompetech.filmmusic.io/song/4428-style-funk License: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
Comments 
Download from Google Play
Download from App Store