Claim Ownership

Author:

Subscribed: 0Played: 0
Share

Description

 Episodes
Reverse
Junho de 2022 marcou não somente o mês do Orgulho LGBTQIA+, mas a retomada das festas juninas. Produzimos, para marcar o cruzamento dessa passagem, um programa especial sobre as dimensões de gênero e sexualidade nas quadrilhas juninas. Hugo Menezes Neto (professor do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE) conversou com o antropólogo Rafael da Silva Noleto, professor da Universidade Federal de Pelotas e autor do livro "Estrelas Juninas: Gênero, raça e sexualidade no São João de Belém". Como é a experiência de pessoas LGBTQIA+ no universo das quadrilhas juninas?  O que elas reivindicam, quais os espaços conquistados e o que ainda precisa avançar? Museológicas podcast é um programa de extensão desenvolvido por estudantes e professores do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Para saber mais, nos procure no @museologicas_podcast ou na plataforma de podcast de sua preferência. Produção do programa: Hugo Menezes Neto Edição: Lara Lua Menezes e Francisco Sá Barreto Design: Sofia Moreira. Comunicação: Iri Freitas e  Hugo Menezes Neto.
O Antropológicas.doc, série incorporada ao Museológicas Podcast, retorna em uma nova temporada! Numa série de quatro episódios, conversaremos com artistas e produtores de videoclipes e álbuns visuais, numa perspectiva sobre ativismo, abordando os significados dessas produções, as referências e as articulações artísticas, entre outras dinâmicas e estratégias de produção e sentido. No terceiro episódio entrevistamos Barbarize, duo formado pela Bárbara Vitória e YuriLumin, e Victor Limar, diretor do primeiro álbum visual da dupla, intitulado Sobrevivência Periféricas, lançado em 2021. O trabalho, realizado com recursos do edital da Lei Aldir Blanc, agregou uma ampla e diversa equipe. Barbarize parte da comunidade do Bode, no bairro do Pina, no Recife, onde vivem, para propor estéticas e falar de suas realidades.   Trabalharam na produção desse programa: Curadoria e entrevista: Júlia Morim, Diego de Oliveira Rodrigues, Maria Cinthia Pio,  Alex Vailati Edição: Alex Vailati.  Arte gráfica: Jan Ribeiro Vinheta: Maria Samara Comunicação: Hugo Menezes Neto, Francisco Sá Barreto e Alex Vailati. Comitê editorial: Alex Vailati, Diego de Oliveira Rodrigues, Igor Holanda, Jaciane Silva, Jan Ribeiro, Júlia Morim, Maria Cinthia Pio, Maria Samara, Neilton Felix, Renata Mesquita, Walter Andrade, Crislaine Andrade, Caroline de Almeida e Alexandre Teixeira. Link para álbum visual: https://www.youtube.com/watch?v=gKWZzBKXu3Q
No episódio 8 da série Cartografia de Parteiras Indígenas em Pernambuco, temos a honra de conversar com Comadre Judite, parteira em T. I. Xukuru. Dona Judite teve sua vida dedica a assistência ao parto, e hoje, aposentada, foi reacessada pela jovem Xukuru Marcinha Olegário (@marcieneolegario) para acolher e assistir a um parto domiciliar na Aldeia Caetano, aldeia em que Marcinha reside e teve seus dois filhos de parto natural com o apoio de Dona Judite e da Força Encantada. O Cartografia de Parteiras Indígenas é uma ação do Museu da Parteira (@museudaparteira) em parceria com o Museológicas podcast. O Museológicas podcast é um programa de extensão desenvolvido por estudantes e professores do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE que recebe o apoio da FACEPE. Para saber mais sobre o Museológicas nos procure no @museologicas_podcast ou na plataforma de podcast de sua preferência. O Cartografia de Parteiras Indígenas em Pernambuco recebe o fomento do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura - FUNCULTURA, e é um projeto visa conectar o popular à produção de ciência, fazendo da academia um espaço de ocupação da cultura popular e tradicional, para uso e manejo público, com ferramentas de acessibilidade. Ficha Técnica: Coordenação Geral, produção e pesquisa: Marília Nepomuceno Pesquisa: Júlia Morim Pesquisa e Documentação: Dôra Pankararu e Juliana Pankararu Manejo de Mídias: Graci Guarani, Lara Bione e Marília Nepomuceno Articulação e produção: Marciene Olegário Xukuru Produção Executiva: Lara Bione Consultora de Pesquisa: Elaine Müller Traduções em Libras: Jaks Interpretações Edição e Montagem: Talita Albuquerque Designer: Joana Pena Comunicação: Francisco Sá Barreto, Iri Freitas e Hugo Menezes.
No ensejo da retomada das festas juninas, o Museológicas Podcast produz o programa: "A volta das quadrilhas juninas aos arraiais do Recife". Hugo Menezes Neto, (professor do Departamento de Antropologia e Museologia) e Cristiane Souza (mestranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPE), conversaram com os quadrilheiros Joselito Costa (Quadrilha Junina Tradição), Rodrigo Oliveira (Quadrilha Junina Evolução) e Tiago Santos (Quadrilha Junina Origem Nordestina) sobre os desafios enfrentados na Pandemia, as expectativas para o São João 2022, e a importância social da maior manifestação artística da cultura popular nordestina. Museológicas podcast é um programa de extensão desenvolvido por estudantes e professores do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Para saber mais, nos procure no @museologicas_podcast ou na plataforma de podcast de sua preferência. Produção do programa: Hugo Menezes e Cristiane Souza Edição: Lara Lua Menezes e Francisco Sá Barreto Design: Sofia Moreira. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes.
CARTOGRAFIA DE PARTEIRAS INDÍGENAS EM PERNAMBUCO EM CONVERSA COM A SABEDORIA XUKURU - EPISÓDIO 7 - Marcinha Xukuru, Lia Xukuru e Lissandra Xukuru falam sobre suas experiências com o parto domiciliar em T.I. Xukuru. Marcinha é uma mulher indígena e mãe que pariu em casa na Aldeia Caetano e Lia e Lisandra parteiras ativas na Aldeia de Cimbres. Um pouco sobre nossas protagonistas: @marcieneolegario Marcinha, mãe e mulher indígena Xukuru, figura nos dias de hoje como uma jovem liderança de seu povo (@poya_limolaygo). Ao engravidar, anos atrás, despertou fortemente para a necessidade de reacordar a sabedoria e prática do parto tradicional indígena em Xukuru, e desde então se articula para fomentar discussões e espaços que fortaleçam e visibilizam partos e parteiras. Lia é uma mulher indígena, agricultora e mãe Xukuru, que vive em seu na Aldeia de Cimbres, T.I. Xukuru, fortalece e pratica a sabedoria indígena, religiosidade e o ofício de parteira. Lissandra é mulher e mãe criada na Aldeia. Hoje, com mais de 50 anos, além de ser rendeira de mão cheia, produzindo belos vestidos em renda tradicional, é também parteira em Xukuru e mora na Aldeia de Cimbres. Hoje conta que já pegou mais de 48 crianças vindas ao mundo através de partos naturais. Neste episódio teremos a honra de conversar e ouvir um pouco de suas histórias. Ficha Técnica: Entrevistadas: Marcinha Xukuru, Lia Xukuru e Lissandra Xukuru Pesquisa e Produção Geral: Marília Nepomuceno Produção Executiva: Lara Bione Comunicação e Filmagem: Marília Nepomuceno Pesquisa: Júlia Morim Consultora de Pesquisa: Elaine Müller Designer: Joana Pena Editora de vídeo e podcast: Talita Melo. Divulgação: Francisco Sá Barreto e Hugo Menezes.
No último programa da série dedicada aos eventos associados às chuvas no Recife e região metropolitana, o Museológicas Podcast conversa com Sue Costa, bióloga e paleontóloga, professora do curso de Museologia da UFPA, sobre o Antropoceno e perspectivas para a vida humana no planeta a partir das intervenções da superindustrialização. Museológicas podcast é um programa de extensão desenvolvido por estudantes e professores do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Para saber mais, nos procure no @museologicas_podcast ou na plataforma de podcast de sua preferência. Produção da série: Elaine Muller, Hugo Menezes, Francisco Sá Barreto, Daniel Vieira e Luísa Nóbrega Design: Sofia Moreira. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes.
No quarto e penúltimo programa da série dedicada aos efeitos das chuvas no Recife e região metropolitana, o Museológicas Podcast conversa com Marcos André Silva, oceanógrafo e professor da UFPE, sobre as chuvas em Pernambuco e os extremos climáticos globais. O que produz o conjunto das mudanças climáticas? Qual é o papel do Brasil no cenário global? Museológicas podcast é um programa de extensão desenvolvido por estudantes e professores do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Para saber mais, nos procure no @museologicas_podcast ou na plataforma de podcast de sua preferência. Produção da série: Elaine Muller, Hugo Menezes, Francisco Sá Barreto, Daniel Vieira e Luísa Nóbrega Design: Sofia Moreira. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes.
No terceiro de cinco programas dedicados aos efeitos das chuvas em Recife e região metropolitana na última semana de maio de 2022, o Museológicas Podcast conversa com Keyla Alencar Silva, geógrafa, acadêmica da Universidad Tecnológica Metropolitana do Chile. O que são desastres ambientais? O que a geografia do Recife tem a ver com os eventos das últimas semanas? Como proceder para lidar com fenômenos cada vez mais recorrentes? Museológicas podcast é um programa de extensão desenvolvido por estudantes e professores do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Para saber mais, nos procure no @museologicas_podcast ou na plataforma de podcast de sua preferência. Produção da série: Elaine Muller, Hugo Menezes, Francisco Sá Barreto, Daniel Vieira e Luísa Nóbrega Design: Sofia Moreira. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes.
No segundo da série de cinco programas dedicados aos eventos associados às chuvas no Recife e região metropolitana, o Museológicas Podcast conversa com o vereador do Recife Ivan Moraes Filho (PSOL) sobre as assinaturas políticas da tragédia. Qual é o papel da gestão nos eventos vividos na última semana de maio e quais são as alternativas para o momento? Museológicas podcast é um programa de extensão desenvolvido por estudantes e professores do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Para saber mais, nos procure no @museologicas_podcast ou na plataforma de podcast de sua preferência. Produção da série: Elaine Muller, Hugo Menezes, Francisco Sá Barreto, Daniel Vieira e Luísa Nóbrega Design: Sofia Moreira. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes.
Em série de 5 programas, o Museológicas Podcast discute a tragédia das chuvas no Recife na última semana de maio de 2022. Serão programas dedicados a abordagens diferentes da questão: as resistências e ações sociais; a política; a geografia e climatologia; a oceanografia e as grandes mudanças climáticas; e a biologia e o antropoceno. Neste primeiro episódio, fomos até o GRIS Solidário, projeto desenvolvido no bairro da Várzea, Recife, e conversamos com Joice Paixão (presidenta da Associação) e Eduarda Kunst, gestora da cozinha solidária montada durante a semana, sobre as ações do grupo de atendimento emergencial aos impactados pelos efeitos das chuvas.  Museológicas podcast é um programa de extensão desenvolvido por estudantes e professores do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Para saber mais, nos procure no @museologicas_podcast ou na plataforma de podcast de sua preferência. Produção da série: Elaine Muller, Hugo Menezes, Francisco Sá Barreto, Daniel Vieira e Luísa Nóbrega Design: Sofia Moreira. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes.
Para coroar o retorno do Cartografia de Parteiras Indígenas em Pernambuco, convidamos nossa querida Cacique DORINHA PANKARÁ para uma conversa rápida sobre sua experiência de parteira, enfermeira, cacica e liderança indígena em Território Pankará, na Serra do Arapuá, Bacia do São Francisco, em Carnaubeira da Penha - Pernambuco. Museológicas Podcast é um programa de extensão feito por estudantes e professores do Bacharelado em Museologia da UFPE. Para saber mais acesse nosso podcast na plataforma do @museologicas_podcast e conversa com imagens gravada e guardada no site e YouTube do @museudaparteira Ficha Técnica: Parteira: Dorinha Pankará Pesquisa e Produção Geral: Marília Nepomuceno Produção Executiva: Lara Bione Comunicação e Filmagem: Marília Nepomuceno Pesquisa e Mediação: Júlia Morim Consultora de Pesquisa: Elaine Müller Designer: Joana Pena Editora de vídeo e podcast: Talita Melo
O podcast Antropológicas.doc, série incorporada ao Museológicas Podcast, retorna em uma nova temporada! Numa série de quatro episódios, conversaremos com artistas e produtores de videoclipes e álbuns visuais, numa perspectiva sobre ativismo, abordando os significados dessas produções, as referências e as articulações artísticas, entre outras dinâmicas e estratégias de produção e sentido. Neste segundo episódio, entrevistamos biarritzzz, mulher negra e  artista transmídia que atua entre linguagens, traduções e códigos ao remixar cultura pop, videoarte, política de memes, estéticas de videogame e poesia com as novas mídias, na realização do trabalho intitulado: “EU NÃO SOU AFROFUTURISTA” produzido em 2020 . Trabalharam na produção desse programa: Curadoria e entrevista: Crislaine Andrade, Jaciane Silva, Maria Cinthia Pio,  Neilton Felix. Edição: Igor Holanda. Arte gráfica: Jaciane Silva Vinheta: Maria Samara Comunicação: Hugor Menezes Neto, Francisco Sá Barreto e Alex Vailati. Comitê editorial: Alex Vailati, Diego de Oliveira Rodrigues, Igor Holanda, Jaciane Silva, Jan Ribeiro, Julia Morin, Maria Cinthia Pio, Maria Samara, Neilton Felix, Renata Mesquita, Walter Andrade, Crislaine Andrade, Caroline de Almeida e Alexandre Teixeira.
Museológicas Podcast volta a gravar presencialmente. A razão é dupla: seu programa especial de terceiro aniversário e a vigésima Semana Nacional de Museus. Elaine Muller, Francisco Sá Barreto, Alexandro Silva de Jesus, Hugo Menezes e Daniel Vieira, professores Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE se juntam pra discutir o tema "O poder dos museus". A pergunta que os guia é: de que poderes se faz o museu e que museu os poderes mobilizam? Este programa se divide em dois blocos. No primeiro, museus, museologia e tecnologias de poder. No segundo bloco, o tema é: experiências e políticas de poder em museus. Museológicas Podcast é um programa de extensão do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Produção: Hugo Menezes, Francisco Sá Barreto, Daniel Vieira, Alexandro de Jesus e Elaine Muller. Projeto gráfico: Sofia Moreira. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes. Tema musical: A Matadeira (Cordel do Fogo Encantado)
O Podcast Antropológicas.doc, série incorporada ao Museológicas Podcast, retorna em nova temporada! Numa série de quatro episódios, conversaremos com artistas e produtores de videoclipes e álbuns visuais, numa perspectiva sobre ativismos, abordando os significados dessas produções, as referências e as articulações artísticas, entre outras dinâmicas e estratégias de produção de sentido. E neste primeiro episódio, entrevistamos Renna Costa, Gabi Benedita e Thiago das Mercês, tendo como ponto de partida a produção audiovisual “Lamento de Força travesti”, lançada em 2021, que nos coloca diante do fenômeno da violência contra a vida das populações trans e travestis no Brasil, ao mesmo tempo, em que evoca a arte enquanto um recurso de expressão, sonho e resistência frente a essas violências. Veja e ouça Lamento de Força Travesti 2021| 4’46’’ neste link do YouTube: https://youtu.be/03rqrtILoy4 O Podcast Antropológicas.doc pode ser escutado no Spotify, Deezer e no seu agregador de podcast preferido. Trabalharam na produção desse programa: Curadoria e entrevista: Maria Cinthia Pio, Maria Samara, Neilton Félix e Alexandre Teixeira. Edição: Walter Andrade Arte gráfica: Jan Ribeiro Vinheta: Igor Holanda e Maria Samara Comunicação: Hugo Menezes Neto, Francisco Sá Barreto e Alex Vailati. Comitê Editorial: Alex Vailati, Diego de Oliveira Rodrigues, Igor Holanda, Jaciane Silva, Jan Ribeiro, Júlia Morim, Maria Cinthia Pio, Maria Samara, Neilton Felix, Renata Mesquita, Walter Andrade, Crislaine Andrade, Caroline de Almeida e Alexandre Teixeira.
Por ocasião de celebrações e debates em torno do dia da Consciência Negra, o Museológicas Podcast traz em forma de programa a conferência de abertura do VIII Cirkula, evento organizado e realizado por estudantes do PPGA-UFPE. Samuel Vida, professor de Direito da Universidade Federal da Bahia e Coordenador do Programa Direito e Relações Raciais - PDRR/UFBA, discute a ideia de Quilombismo jurídico para uma sociedade antirracista e contra-colonial. Quem apresenta a conferência é o professor Roberto Efrem Filho, do PPGA-UFPE. Museológicas Podcast é um programa de extensão do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Produção: Hugo Menezes, Lara Menezes e Francisco Sá Barreto. Projeto gráfico: Sofia Moreira. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes.
No sétimo episódio da série "Antropologia da Saúde" convertemos em podcast a conferencia de encerramento da IV Reunião de Antropologia da Saúde, proferida por Ailton Krenak. Liderança indígena e um dos maiores pensadores da atualidade, nessa conferencia Krenak articula de modo sensível as ideias de saúde, cuidado e ambiente, discutindo questões apresentadas em suas obras mais recentes. Museológicas Podcast é um programa de extensão do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Produção da série: Ana Cláudia Rodrigues, Ana Katarina Brito e Hugo Menezes. Projeto gráfico: Polly Cavalcanti e Ana Katarina Brito. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes.
No sexto episódio da série Antropologia da Saúde falaremos sobre o conceito, a organização e a programação da IV Reunião de Antropologia da Saúde (RAS), que ocorrerá entre os dias 22 e 24 de setembro de 2021, com o tema “Eventos Críticos e Cotidianos de Saúde”. Essa edição da RAS é organizada pelo programa de Pós-graduação em Antropologia (PPGA) da UFPE, mais especificamente pelos grupos de pesquisa FAGES, NEPE e AYÉ. Neste programa, o professor Hugo Menezes Neto (PPGA/UFPE) mediou uma conversa com representantes da comissão organizadora: Renato Athias (PPGA/NEPE/UFPE), Ana Cláudia Rodrigues (PPGA/ AYÉ/UFPE), Katarina Brito (Mestranda do PPGA/FAGES) e Ana Carla Lemos (PPGA/FAGES/UFPE). Dentre os assuntos abordados estão a importância, política e acadêmica, da RAS em meio à crise sanitária mundial da Covid-19, os desafios de organizar um evento on-line, e ainda a diversidade de debates e de atividades que os/as participantes terão acesso. Museológicas Podcast é um programa de extensão do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE. Produção da série: Ana Cláudia Rodrigues, Ana Katarina Brito e Hugo Menezes. Projeto gráfico: Polly Cavalcanti e Ana Katarina Brito. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes.
A série “O Brasil holandês nos museus e na museologia” traz um tema de história colonial do Brasil, importante para nossas identidades, a fim de fazer ver como esse tipo de narrativa também se constitui museologicamente. Para tanto, pesquisadores de instituições museais e professores de cursos de museologia, no Brasil e na Holanda, foram convidados para contribuir para esse debate. No quinto episódio da série, “O Brasil holandês e a descolonização dos povos indígenas na Historia Naturalis Brasiliae”, nossa convidada foi a Profa. Dra. Eliana de Barros Monteiro, da Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF. Formada em Ciências Sociais (2004), mestra em Antropologia (2008) e doutora em Sociologia (2014), pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), possui experiência em projetos de pesquisa e extensão com povos tradicionais, indígenas e quilombolas, com temas voltados à cultura, história, ambiente, saberes tradicionais e etnicidade. Tem interesse em temas de pesquisa ligados à antropologia e à sociologia da educação, etnologia e etno-história do Nordeste indígena brasileiro, pensamento decolonial e interculturalidades.  Nossa conversa com Eliana é sobre o Brasil holandês e a descolonização dos povos indígenas no livro Historia Naturalis Brasiliae, escrito por Guilherme Piso e Georg Marcgraf, e publicado em 1648, objeto de seu estágio pós-doutoral, pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPE. O seu programa de investigação é de grande relevância para o debate decolonial, uma vez que desconstruir as estratégias do discurso colonial que resultam na redução do Outro em objeto do olhar holandês no século XVII termina por fazer ver, através desse rasgo, a subjetividade e mesmo a agência desses grupos étnicos originários na produção de conhecimento sobre a terra, a flora, a fauna e as gentes brasílicas no século XVII. Museológicas Podcast é um programa de extensão da UFPE com fomento da FACEPE. Trabalharam na produção desse programa:  Curadoria, roteiro e entrevista: Hugo Menezes Neto e Daniel de Souza Leão Vieira; Gravação e edição: Francisco Sá Barreto; Arte gráfica: Sofia Moreira;
"IBI AYEYÊ - Calendário Cíclico Anual das Mulheres da Mata Norte” é um projeto de pesquisa colaborativa realizada a partir da coleta de dados e narrativas sobre o tempo cíclico, agrícola e celebrativo, experienciado por mulheres da Mata Norte de Pernambuco. O projeto conta com a coordenação de ações da produtora cultural e mestranda em Antropologia (PPGA/UFPE) Marília Nepomuceno e tem a co-autoria das também moradoras da mata norte, mestras e detentoras de saber e práticas tradicionais relacionadas à agricultura, curas e celebrações no território: Dona Bernadete, Luiza Cavalcante, Helena Tenderini e Pôla (Ivaneide Maria), que assinam conjuntamente a autoria do calendário e conversas gravadas em podcast. Os produtos finais da pesquisa são uma mini série de podcasts com 3 episódios em parceria com o Museológicas Podcast. Neste Terceiro episódio nossa conversa é com Helena Tenderini, parteira, e Maria Ivaneide (Pôla), detentora de saberes e práticas preciosas sobre a vida e a celebração no território de Tracunhaém - Zona da Mata Norte. O episódio trata de seus saberes sobre as celebrações, entendimentos e práticas de cura no Sítio Malokambo e entorno de Tracunhaém. O Museológicas Podcast é uma ação do Departamento de Antropologia e Museologia e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPE. Nossos conteúdos estão disponíveis em todas as plataformas de podcast.  Produção da série: Marília Nepomuceno Pinheiro, Ana Carvalho e Mari Sol. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes. Apoio e incentivo da Lei Aldir Blanc PE | LABPE 2020 @culturape Concepção, Pesquisa e Produção Geral: Marília Nepomuceno Co-produção e autoria do Calendário: Dona Maria Bernadete Belarmino da Silva, Luiza Cavalcante, Nzinga Cavalcante, Vanuse Carmelita da Silva, Dona Carmelita Maria da Silva, Helena Tenderini e Ivaneide Maria (Pôla). Edição de Áudio: Lara Bione. Assistência de Produção e Pesquisa: Ana Carvalho Design e Ilustrações: Mari Sol (Mariana Sobral) Realização: CHÃ- Coletiva da Terra @culturape
"IBI AYEYÊ - Calendário Cíclico Anual das Mulheres da Mata Norte” é um projeto de pesquisa colaborativa realizada a partir da coleta de dados e narrativas sobre o tempo cíclico, agrícola e celebrativo, experienciado por mulheres da Mata Norte de Pernambuco. O projeto conta com a coordenação de ações da produtora cultural e mestranda em Antropologia (PPGA/UFPE) Marília Nepomuceno e tem a co-autoria das também moradoras da mata norte, mestras e detentoras de saber e práticas tradicionais relacionadas à agricultura, curas e celebrações no território: Dona Bernadete, Luiza Cavalcante, Helena Tenderini e Pôla (Ivaneide Maria), que assinam conjuntamente a autoria do calendário e conversas gravadas em podcast. Os produtos finais da pesquisa são uma mini série de podcasts com 3 episódios em parceria com o Museológicas Podcast. Neste Segundo episódio, nossa conversa é com Luiza Cavalcante, afroagricultora, matriarca do Sítio Agatha (Tracunhaém/PE) e detentora de saberes e práticas preciosas sobre a vida, a lida com a terra e a celebração no território.. O Museológicas Podcast é uma ação do Departamento de Antropologia e Museologia e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPE. Nossos conteúdos estão disponíveis em todas as plataformas de podcast.  Produção da série: Marília Nepomuceno Pinheiro, Ana Carvalho e Mari Sol. Comunicação: Iri Freitas e Hugo Menezes. Apoio e incentivo da Lei Aldir Blanc PE | LABPE 2020 @culturape Concepção, Pesquisa e Produção Geral: Marília Nepomuceno Co-produção e autoria do Calendário: Dona Maria Bernadete Belarmino da Silva, Luiza Cavalcante, Nzinga Cavalcante, Vanuse Carmelita da Silva, Dona Carmelita Maria da Silva, Helena Tenderini e Ivaneide Maria (Pôla). Edição de Áudio: Lara Bione. Assistência de Produção e Pesquisa: Ana Carvalho Design e Ilustrações: Mari Sol (Mariana Sobral) Realização: CHÃ- Coletiva da Terra @culturape
Comments (1)

Thiago Marques

oi gente! parabéns e obrigado pelo podcast. aqui, Thiago, aluno do sétimo período de antropologia em São Raimundo Nonato, Piauí, pela Univasf. eu percebi uma dificuldade geral no episódio para falar o termo lgbtqia+. gostaria de compartilhar uma maneira bem simples que uso. basta dividir ao meio e pronunciar lgbt e depois o qia+ (quiamais)..rsrs. assim não tem como esquecer e fica muito mais fácil falar com fluidez lgbtquiamais

Jul 1st
Reply
Download from Google Play
Download from App Store