DiscoverA Nova DemocraciaAO POVO EM FORMA DE ARTE ESPECIAL #4 - POEMAS REVOLUCIONÁRIOS PERUANOS
AO POVO EM FORMA DE ARTE ESPECIAL #4 - POEMAS REVOLUCIONÁRIOS PERUANOS

AO POVO EM FORMA DE ARTE ESPECIAL #4 - POEMAS REVOLUCIONÁRIOS PERUANOS

Update: 2021-11-11
Share

Description

O Ao Povo em Forma de Arte de hoje tratará sobre poetas e combatentes do Exército Guerrilheiro Popular dirigido pelo Partido Comunista do Peru (PCP), mais especificamente sobre José Valdivia Domí (Jovaldo) e Edith Lagos Sáez, militantes históricos do PCP e heróis do proletariado peruano.


JATUNSE PUKA NINA ACCHIN

(Enorme chama vermelha ilumina) 

(1984)

Poema de Jovaldo, martirizado nas luminosas trincheiras de combate de Frontón


Fogem as sombras, os tigres 

se espantam

as bestas não contêm

o fogo a irromper;

se abrem os céus

com hinos

triunfais

cem mil vendavais

se escutam rugir.

Como uma estrela radiante

e formosa

luzindo preciosa

refulge feliz;

a enorme chama

de chullos¹

vestida;

a escuridão rompendo

em todo o país.

Já pela terra

triunfante na guerra

com fúria se impõe

sua espada a brandir;

os monstros de espuma

se afogam

em pranto

se quebram de espanto

ao verem-se ruir.

Como uma estrela radiante

e formosa

luzindo preciosa

refulge feliz;

a enorme chama

de chullos

vestida;

a escuridão rompendo

em todo o país.


¹chullo: gorro tradicional peruano.



O REDEMOINHO ROMPEU A CALMA - Edith Lagos (1982)

 

Do alto de uma montanha

Ao lado de uma inerte pedra

Ao aroma das ervas silvestres

pergunto:

Quando falta para que o rio

Aumente seu caudal?

Para que tormentosamente arrase

Este cruel presente.

Para o sul avisto os largos caminhos

E nas pampas se notam os redemoinhos

Pergunto aos redemoinhos:

Porque se dirigem ao sul?

Que querem arrasar?

A iniquidade do passado 

Lá alojada.

Retoma o caminho curvilíneo, ziguezagueante se dirige lá

Onde a calma já é tormenta

Onde a tormenta já não quer ser calma

Pedra inerte, há muito pedra, há muito inerte.

Sei que o caminho, o rio

A pampa e o redemoinho

Moveu seus guardados sentimentos.

Não querias subir a montanha

Para ver os pampas, o caminho, o rio

E o redemoinho.

Porém a inércia ficou para trás

Incendiados estão teus sentimentos.

Erva silvestre, aroma puro

Te rogo acompanhar-me em meu caminho

Será meu bálsamo em minha tragédia

Será meu alento em minha glória.

Será minha amiga

Quando crescer

Sobre minha tumba.

Lá: que a montanha me abrigue

que o rio me conteste

A pampa arda,

O redemoinho volte, o caminho descanse

E a pedra?...

A pedra lápide eterna será nela

Gravada,

“Tudo permanecerá”.




Leia, divulgue e assine!

loja.anovademocracia.com.br/assinaturas

Comments 
00:00
00:00
x

0.5x

0.8x

1.0x

1.25x

1.5x

2.0x

3.0x

Sleep Timer

Off

End of Episode

5 Minutes

10 Minutes

15 Minutes

30 Minutes

45 Minutes

60 Minutes

120 Minutes

AO POVO EM FORMA DE ARTE ESPECIAL #4 - POEMAS REVOLUCIONÁRIOS PERUANOS

AO POVO EM FORMA DE ARTE ESPECIAL #4 - POEMAS REVOLUCIONÁRIOS PERUANOS