DiscoverRegras do Jogo - HolodeckRegras do Jogo #79 – Tiros na Cabeça: Videogames, Headshots e Necropolítica
Regras do Jogo #79 – Tiros na Cabeça: Videogames, Headshots e Necropolítica

Regras do Jogo #79 – Tiros na Cabeça: Videogames, Headshots e Necropolítica

Update: 2020-11-211
Share

Description



Em Tiros Na Cabeça: Videogames, Headshots E Necropolítica, tratamos do artigo de Amanda Phillips, Shooting to Kill: Headshots, Twitch Reflexes, and the Mechropolitics of Video Games, artigo que explora a relação entre o imaginário popular sobre tiros na cabeça, a valorização do headshot como maior forma de capital no videogame e seu impacto político dentro quadro teórico da necropolítica, de Achille Mbembe, e da biopolítica de Michel Foucault.







O tiro na cabeça explodiu no imaginário cultural com o assassinato de John F. Kennedy em 1963 e a execução de Nguyễn Văn Lém na Guerra do Vietnã. Em 1968, o Journal of the American Medical Association em uma tentativa de estabelecer o que carateriza a essência da vida humana, definiu a integridade corporal e a atividade cerebral como requisitos para se determinar se alguém está vivo. Essa definição mudou o entendimento popular da imagem do coração no centro do Eu e o deslocou para a cabeça. Esses dois eventos demarcam, segundo Sean M. Quinlan, a relevância do tiro na cabeça no imaginário popular.







Já os primeiros jogos que deram importância para o headshot foram Goldeneye 007 da Rare e Team Fortress da Valve, ambos em 1999. Desde então, o tiro na cabeça virou a maior expressão da habilidade do jogador e se infiltrou nas representações de conflitos como a forma mais eficiente de matar uma pessoa.







Para falar de Tiros Na Cabeça: Videogames, Headshots E Necropolítica, recebemos novamente o Gamer Antifascista, perfil do twitter criado pelo Anderson que traz discussões sobre videogames, política e representatividade.















Ouça o Regras do Jogo #78 – Um Papo Com Gamer Antifascista







Participantes







* Fernando Henrique* Gamer Antifascista







Comentado no episódio:







* Amanda Phillips - Shooting to Kill - Headshots, Twitch Reflexes, and the Mechropolitics of Video Games* Sean M. Quinlan - Shots to the mind - Violence, the brain and biomedicine in popular novels and film in post-1960s America* Daniel Fenandes e Gabriela Resmini - Biopolítica







Indicações do episódio:







* Rationalizing Brutality: The Cultural Legacy of the Headshot* Necropolítica - Achille Mbembe* Manual Jurídico da Escravidão - André Barreto







Músicas:







* Persona 5 – Beneath The Mask lofi chill remix* Xtract - AT Day 2016




Comments 
00:00
00:00
x

0.5x

0.8x

1.0x

1.25x

1.5x

2.0x

3.0x

Sleep Timer

Off

End of Episode

5 Minutes

10 Minutes

15 Minutes

30 Minutes

45 Minutes

60 Minutes

120 Minutes

Regras do Jogo #79 – Tiros na Cabeça: Videogames, Headshots e Necropolítica

Regras do Jogo #79 – Tiros na Cabeça: Videogames, Headshots e Necropolítica

Holodeck Design